Nos acompanhe

Paraíba

Zona dos Ipês: novo projeto de estacionamento rotativo é apresentado na CMJP

Publicado

em

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou, na manhã desta segunda-feira (18), sessão especial que apresentou o projeto de ordenação de vagas e estacionamento rotativo substituto do Zona Azul. A sessão foi proposta pelo presidente da Frente Parlamentar de Mobilidade Urbana na Casa, vereador Damásio Franca (Progressistas).

Damásio Franca afirmou que a ideia da sessão surgiu do Câmara Itinerante, realizado no início do ano, que visitou diversos pontos da Capital e avaliou também dificuldades encontradas na saúde e educação, assim como na mobilidade e ordenamento urbanos. “Fomos à Lagoa e no Centro conversar com lojistas e e vimos que um dos principais problemas é a questão do estacionamento”, afirmou o propositor ressaltando que foi procurado por empresários relatando as insatisfações com a falta de ordenamento de vagas no centro da cidade.

O gestor da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), George Morais, destacou que tem como desafio a reativação do estacionamento rotativo em João Pessoa para beneficiar o comércio, o turismo e o cidadão pessoense. Ele explicou que a Semob abriu um chamamento público para que empresas pudessem apresentar ideias, soluções e modelos voltados para a implantação, administração e modernização de um novo estacionamento rotativo da Capital.

“Empresas se habilitaram e, de forma transparente, houve a seleção da proposta vencedora. O objetivo é devolver à população um estacionamento com preço justo, que possamos através do smartphone adquirir um bilhete, identificar com ajuda de mapas de calor qual zona da cidade apresenta espaçamento mais vago, para que o cidadão possa se deslocar com mais eficiência e gastar menos tempo no trânsito”, destacou George Morais, salientando que é um projeto informatizado com base nas melhores experiências em todo o Brasil.

O presidente da comissão do chamamento público na Semob, João Eduardo Morais de Melo, informou que das três empresas que apresentaram estudos, a ganhadora do certame foi a Rizzo Park e que a partir de agora a intenção é debater com todos os envolvidos as mudanças propostas para o aprimoramento do projeto. “A Semob juntamente com a Rizzo Park está conduzindo um processo de melhoria para debater o processo com os vereadores, comerciantes, lojistas para mitigar possíveis falhas naturais em um processo dessa magnitude”, explicou, acrescentando a simbologia do início desse debate acontecer na CMJP, com a representação de toda a cidade. Ele explicou ainda que o chamamento público selecionou o melhor projeto para a cidade e a partir dele será ab erta a licitação para a execução do serviço.

A líder do projeto e diretora da Rizzo Park, Roberta Borges Boaventura, fez uma explanação técnica sobre o projeto elaborado. Ela afirmou que trouxe uma solução com a tecnologia de ponta que o mundo utiliza na gestão de estacionamento rotativo, incentivo do transporte coletivo em detrimento do individual – com a integração dos dois – e um viés de acolhimento social e sustentabilidade.

“Vamos acolher as pessoas que estão em situação de risco, que fazem uso das ruas para um trabalho de maneira consciente e para incentivar um comércio local. Os comerciantes poderão vender o estacionamento e ter uma comissão sobre isso. Haverá um mapa que o cidadão poderá consultar as vagas disponíveis antes mesmo de sair de casa para encontrar uma região mais tranquila, evitando assim o fluxo intenso de veículos”, explicou ela.

Zona dos Ipês

Segundo Roberta Borges, o estacionamento rotativo na cidade foi chamado de Zonas dos Ipês pelo viés de sustentabilidade adotado no projeto e se divide em Ipês Amarelos, Brancos e Roxos. O Ipê Amarelo representa as áreas de zoneamento comercial com a rotatividade maior, a permanência de até duas horas a uma tarifa de R$3 a hora e um total de 3.937 vagas entre comuns, para idosos e para pessoas com deficiência.

O Ipê Amarelo no bairro de Mangabeira tem um planejamento especial com uma remodelagem no tráfego também com a permanência de até duas horas a uma tarifa de R$3 e o total de 667 vagas. “Mangabeira vai ter um projeto de remodelação, com uma via para veículos, uma para ônibus, uma ciclovia e vagas de estacionamento para revitalizar a região”, explicou.

O Ipê Branco representa uma área de integração do estacionamento rotativo com o transporte coletivo, com a permanência de até cinco horas e a tarifa de R$3 a hora – caso não haja o uso do ônibus – e o total de 103 vagas. “No Mercado Central, vai ter uma obra de remodelação com a criação de um edifício garagem com espaço para comerciantes, que hoje estão de maneira irregular ou de maneira precária. Verificamos que não existem vagas suficientes para a demanda do local, então criamos um edifício garagem com espaço para a integração com transporte coletivo para que as pessoas façam uso do transporte público para chegar até o local desejado”, esclareceu Roberta, citando que ha verá ainda uma integração tarifária de R$ 5, valor referente ao estacionamento e à passagem do cidadão que aderir à integração.

Para contemplar a integração com o transporte coletivo, está previsto no projeto uma nova rota de ônibus com um trajeto de 21 minutos com circulação apenas na região central, abrangendo o Parque Solon de Lucena e o Centro Histórico. “É um trajeto rápido com vários pontos de ônibus justamente para que a região central tenha um meio de transporte coletivo barato. Então a pessoa que vai ao banco e ao mercado, no lugar de parar várias vezes, ela tem a opção de deixar o carro no edifício garagem e utilizar o ônibus para circular nessa região central, diminuindo assim a incidência de poluentes, de veículos e melhorando a fluidez da região”, exemplificou Roberta Borges.

O Ipê Roxo reflete as áreas de zoneamento turístico das avenidas à beira mar, com a permanência de até cinco horas, a tarifa a R$3 a hora e o total de 1.817 vagas. Roberta Borges explicou que durante o estudo foi feita uma ampla pesquisa de opinião para se chegar no valor da tarifa. “O estacionamento privado aqui custa em média R$5 a hora. A gente queria uma tarifa que possibilitasse a pessoa estacionar na rua, e o preço médio foi de R$3, por isso que fixamos o preço”, justificou Roberta Borges.

Tecnologias usadas no projeto

De acordo com Roberta, há a previsão de instalação de parquímetros, equipamentos eletrônicos alimentados com energia solar, utilizados para o controle do estacionamento rotativo, no qual será possível o pagamento com moedas e cartões de crédito e débito. “Está prevista a instalação de parquímetros em toda João Pessoa, nas ruas que permitem, pois o equipamento é robusto. São equipamentos utilizados no mundo todo, como Europa e Estados Unidos”, destacou, enfatizando a facilidade de utilização do equipamento e a falta de necessidade de utilização de papel em todo o processo.

Há a previsão de criação de aplicativo com tecnologias mínimas, que contenham cadastro, mapa com a disponibilidade de vagas, a possibilidade da recarga e de pagamentos de irregularidades pelo próprio aplicativo. “No termo de referência, a gente prevê o que é minimamente necessário para João Pessoa”, informou Roberta Borges, acrescentando que a criação do aplicativo é de responsabilidade da futura concessionária do serviço.

O projeto também prevê a criação de um aplicativo para o comerciante, o Smart PDV. “Aquele que tem um comércio na região do estacionamento rotativo e quiser fazer parte do projeto, vai poder baixar o aplicativo, fazer a compra antecipada dos créditos para ganho de 20% das vendas que ele realizar. Nosso projeto prevê no mínimo um ponto de vendas a cada 50 vagas, que dá menos da metade de um quarteirão”, afirmou a diretora acrescentando que esse cadastro também será realizado pela empresa concessionária.

Haverá ainda a ferramenta de fiscalização chamada de OCR (Optical Character Recognition), que consiste em câmeras que fazem a leitura automática das placas dos carros. “No projeto, são previstos veículos embarcados com OCRs que vão fazer a leitura automatizada das placas dos carros estacionados na Zona dos Ipês, promovendo segurança com a possibilidade de integração dessas câmeras com sistemas de segurança pública. Assim é possível verificar se você tem um veículo roubado ou irregular na Zona dos Ipês, com isso você consegue automatizar a fiscalização do trânsito de João Pessoa”, explicou.

Ainda de acordo com Roberta, o investimento inicial para a realização do projeto é de R$ 15 milhões. “A futura empresa concessionária entregará no mínimo um investimento desse valor em obras, que consistem na sinalização horizontal e vertical de todo perímetro de estacionamento e a realização de obras de engenharia e arquitetura. Teremos ainda a outorga inicial mínima de R$ 300 mil e a mensal de 5% do faturamento do estacionamento, devendo ser destinado à Semob para a realização de obras de mobilidade urbana”, ressaltou.

A diretora acrescentou que o projeto prevê a criação de um emprego a cada 100 vagas de estacionamento; o cadastro de no mínimo um comércio a cada 50 vagas; e o plantio de uma árvore a cada cinco vagas. “É importante ressaltar que tivemos engenheiros ambientais participando do processo e trouxeram todas as possibilidades ambientais”, explicou.

Participações

O presidente da Câmara de Dirigentes Logistas de João Pessoa (CDL-JP), Nivaldo Vilar, parabenizou a prefeitura pela iniciativa. “É um projeto importante para o Centro de João Pessoa, que está tão carente. Precisamos dar injeção de ânimo no comércio, principalmente no Mercado Central”, destacou.

O vereador Tarcísio Jardim (Patriota) afirmou que ficou satisfeito com a proposta da fiscalização por câmeras e fez um apelo para a volta de linhas de ônibus desativadas. Já o vereador Odon Bezerra (Cidadania) ressaltou a necessidade de uma solução para a falta de estacionamentos também no Parque Solon de Lucena e Centro Histórico da Capital. “Queremos que tudo que foi apresentado se transforme em realidade. Certamente a voz dessa Câmara vai lutar para que esse sonho se torne realidade e tenhamos um centro da cidade pujante com a oferta de dignidade para os comerciantes”, destacou Odon Bezerra.

Respondendo a questionamento do vereador Thiago Lucena (PRTB), João Eduardo respondeu que a previsão de arrecadação da prefeitura dentro do percentual mínimo da outorga inicial é de R$ 7 milhões. “A prefeitura não entra com custo nenhum, pelo contrário, o projeto beneficia a cidade toda por conta da empresa da licitação inicial e recebe um percentual para investir em mobilidade urbana”, explicou o presidente da comissão de chamamento público da Semob se referindo aos 5% do faturamento da empresa com as tarifas de estacionamento.

A presidente da Associação Comercial da Paraíba, Melca Farias, propôs ampliar a discussão para empresários em geral, não só para os comerciantes, e também a ampliação da integração de transporte coletivos para os municípios da região metropolitana da Capital. O superintendente executivo da Semob Marcos Antônio Souto Maior Filho acrescentou que também há a intenção de promover a circulação de ônibus elétricos na região do Centro, “diminuindo a emissão de poluentes e trazendo uma injeção de ânimo ao Centro da cidade”, afirmou o secretário executivo.

O vereador Thiago Lucena ainda questionou a exigência de vagas de estacionamento do empreendedor ao abrir um negócio. “Se o estacionamento não é do empreendedor nem da empresa, que se deixe de exigir essa quantidade de vagas”, sugeriu. Tarcísio Jardim também propôs uma melhor organização da distribuição de vagas de estacionamento.

Continue Lendo

Paraíba

Abriu o jogo: Romero fala sobre PSDB, Pedro, João e as dificuldades políticas com Veneziano; ouça

Publicado

em

O ex-prefeito Romero Rodrigues (PSD), de Campina Grande, afirmou que o PSDB tem todo o direito e legitimidade de lançar o nome do deputado federal paraibano Pedro Cunha Lima, presidente da sigla na Paraíba, como o nome da oposição para disputar o comando do Governo do Estado nas Eleições 2022.

Romero afirmou que, sem se prender a pressões ou prazos, poderá decidir “nos próximos dias ou nas próximas semanas” o rumo que tomará em relação ao pleito do próximo ano.

O comentário foi registrado pelo Correio Debate, da 98 FM, de João Pessoa, nesta sexta-feira (3).

Confira o áudio:

 

O ex-gestor ainda disse que, em relação às informações sobre uma suposta decisão dele em desistir ou assumir alguma decisão política, muita gente tem falado por ele, mas, só ele pode falar por si.

Confira o áudio:

 

Após comentar sobre a possibilidade de conversar com João Azevêdo (Cidadania), Romero afirmou que no campo da política não é possível fazer aliança com senador e presidente estadual do MDB na Paraíba, Veneziano Vital do Rêgo, por conta da forma como foi tratado, mas, que com o governador poder conversar sem problemas.

Confira o áudio:

 

Romero fez questão, porém, em deixar claro que as dificuldades que possui em relação à Veneziano estão apenas no campo político, mas, que no campo pessoal, não possui animosidade com quem quer que seja, mas, que essa aproximação seria uma conversa para um futuro onde ambos tenham respeito um com o outro.

Confira o áudio:

 

Continue Lendo

Paraíba

STF: defesa solicita, ministra atende e habeas corpus de Coriolano é deslocado para outro ministro

Publicado

em

A ministra Laurita Vaz, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu encaminhar para o também ministro do STF, Sebastião Reis Júnior, os autos referentes ao réu Coriolano Coutinho para o devido despacho.

A informação foi publicada nesta sexta-feira (3) pelo próprio STF.

A redistribuição havia sido solicitada pela defesa de Coriolano sob alegação de que “em 16/11/2021, a Sexta Turma concedeu a ordem vindicada em favor do Paciente nos autos do HC n. 633.507/PB para revogar a prisão preventiva” e que por este motivo, “o resultado do julgamento foi estabelecido nos termos da divergência inaugurada no voto do Exmo. Ministro SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, designado para a relatoria do feito e lavratura do voto condutor do acórdão no HC n. 633.507/PB” que, segundo a defesa de Coriolano, possui o ‘writ‘ conexo ao HC n. 633.507/PB que agora está sob relatoria do próprio Sebastião Reis.

Laurita Vaz, por sua vez, decidiu que diante das “condições, com fundamento nos arts. 51, inciso II, e 71, § 2.º, do Regimento Interno do Superior Tribunal de Justiça, determino o encaminhamento dos autos ao Exmo. Sr. Ministro SEBATIÃO REIS JÚNIOR, para que se manifeste acerca da eventual prevenção“.

Coriolano é um paraibano apontado pelo Ministério Público como ‘peça’ fundamental para realização de um esquema criminoso supostamente comandado pelo irmão, então governador Ricardo Coutinho (PT), para desvio de um montante com valor superior aos R$ 130 milhões dos cofres públicos paraibanos.

Clique aqui e confira a íntegra do Despacho.

Clique aqui para conferir a íntegra do julgamento do habeas corpus nº 633.507 – PB publicado em 30/11/2021.

.

Continue Lendo

Paraíba

CMJP concede título de cidadão pessoense ao supermercadista “Seu Dedé”

Publicado

em

Pela história de determinação e perseverança construída em João Pessoa, o empresário José Leodácio de Souza, mais conhecido por “seu Dedé”, recebeu da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) o Título de Cidadão Pessoense, na manhã desta sexta-feira (3), em Sessão Solene.

Natural de Serra Redonda, José Leodácio de Souza chegou a João Pessoa como vendedor de verduras. Logo que veio para a capital, passou a vendê-las em um box no Mercado Central de João Pessoa, até que se iniciaram rumores de que seria fechado. “Iam acabar também com o sonho de um homem que trouxe na mala o desejo de vencer. Seu Dedé, porém, sagaz, desceu mais uma serra, que é a Av. Senador Ruy Carneiro, abriu uma portinha e começou a vender suas verduras, em Manaíra”, relatou o vereador Carlão Pelo Bem (Patriota), autor da propositura do Título. Foi nesse bairro que nasceu e cresceu o empreendimento do homenageado, o Superm ercado Manaíra. “Mais do que a riqueza que conquistou, é importante como o senhor conquistou”, disse Carlão, dirigindo-se ao empresário.

Além dos inúmeros empregos gerados e comunidades religiosas beneficiadas em João Pessoa, o valor da família é tido como um diferencial na vida de seu Dedé. “Vi com meus próprios olhos, ao longo desses anos, o crescimento exponencial de uma empresa que se caracterizava, diferentemente das outras, pela presença da família em seu cotidiano”, enfatizou o vereador Bruno Farias.

 

Homenagens

Na Sessão Solene para entrega do Título, além dos vereadores Carlão Pelo Bem, Marcos Sobreira, Bruno Farias e Bosquinho, familiares, amigos e funcionários estiveram presentes e homenagearam o empresário.

Júlio Serpa, representando o irmão José, advogado e amigo de Leodácio, afirmou que é uma trajetória de orgulhar e inspirar a todos. No trecho de uma poesia escrita pelo irmão, o empresário é tido como: “Seu Dedé, o guerreiro do mercadinho”, que desbravou o bairro de Manaíra e “o suor virou prefácio”.

“Seu Dedé é mais do que um patrão. É exemplo de humildade, força, resiliência. Ele é sinônimo de credibilidade na cidade”, salientou Antenor Filho, gerente do Supermercado. E acrescentou que além de um exemplo para inspirar, também ajuda a construir a vida dos colaboradores que estão ao lado dele no dia a dia.

Entre outras virtudes de José Leodácio, seu amigo Severino destacou a humildade e caráter de sempre recorrer à sua base: “O seu dia a dia diz muito a todos nós”. Já Rosane Mariz, cerimonialista da Câmara, ressaltou: “Ninguém tem a variedade de produtos que tem lá, a humanidade dos colaboradores. O senhor sempre foi humano, sempre nos recebeu com carinho e atenção. Quando a gente estava sem carro, ele e dona Marinalva [esposa de José Leodácio] iam me deixar”.

“O Supermercado Manaíra é uma empresa que tem 52 anos de CNPJ aberto. Desde 1970. Isso não é vaidade, é para mostrar que vale ser justo, vale ser honesto e, mesmo quando a dificuldade vier, é preciso nunca desistir”, declarou José Marcolino, filho do empresário. Ele ainda contou que no ano que vem será aberta uma loja do bairro do Altiplano e se disse grato a Deus pelas portas que abriu.

Por fim, seu Dedé concluiu afirmando estar bastante emocionado: “Eu sou de poucas palavras, mas quero agradecer a todos os presentes”.

 

Continue Lendo