Nos acompanhe

Negócios

Dia da Cachaça: Confira 10 curiosidades sobre o maior engenho de cachaça de alambique do Brasil

Publicado

em

Patrimônio cultural do Brasil e o destilado mais antigo das Américas, a cachaça vem se tornando uma das bebidas mais apreciadas em todo o mundo. Entre os motivos que vêm dando destaque ao produto estão o aperfeiçoamento dos meios de produção e a melhora na qualidade do sabor. Para o Dia Nacional da Cachaça, celebrado no dia 13 de setembro, reunimos 10 curiosidades sobre o Engenho São Paulo, o maior produtor de cachaça por alambique do Brasil. Confira:

1) O maior produtor de cachaça de alambique do Brasil fica na Paraíba. Localizado no município de Cruz do Espírito Santo, há 28 km de João Pessoa, o Engenho São Paulo é responsável pelos rótulos “Cachaça Cigana”, “Cachaça São Paulo”, “Cachaça Caipira” e “Flyone”. Com 620 hectares, o local possui um parque industrial capaz de produzir anualmente 6 milhões de litros de cachaça e de estocar até 5 milhões de litros, o que o torna o maior produtor de cachaça de alambique do Brasil.

2) A cachaça paraibana tem pioneirismo na exportação para os Estados Unidos. Em 2013, a cachaça ganhou status exclusivo nos Estados Unidos, sendo reconhecida como um produto genuinamente brasileiro. O país, aliás, é o maior mercado de destilados do mundo e está entre os principais compradores de cachaça. Mas muito antes disso, em 1994, o Engenho São Paulo começou a exportar a “Cachaça Cigana” para o mercado americano após obter o registro da marca no TTB, o órgão governamental fiscalizador de bebidas dos EUA. Com isso, é a única marca que podia, até então, usar o nome cachaça no rótulo americano antes de 2013, por já possuir o nome cachaça registrado à marca Cigana.

3) A Cachaça São Paulo está presente em mais de 20 estados americanos. As primeiras exportações da Cachaça São Paulo para os Estados Unidos foram feitas no final da década de 80. Atualmente, pode-se encontrar essa cachaça paraibana em mais de 20 estados americanos, como a Flórida, Washington, Nova York e Califórnia. Além da branquinha da Cachaça São Paulo, esse ano, o Engenho começou a exportar a São Paulo Blend, que no Brasil é comercializada com o nome de São Paulo Amburana.

4) Fundado em 1909, o engenho está na quarta geração familiar. O Engenho São Paulo foi fundado em 1909, na zona rural de Cruz do Espírito Santo, por um senhor chamado Joaquim Fernandes de Carvalho. No início, suas atividades principais eram a produção do açúcar mascavo, do mel e da rapadura, mas com a queda do consumo desses produtos, seus filhos que já administravam o local decidiram focar mais na cachaça de alambique. No fim da década de 80, o engenho já se encontrava em sua terceira geração familiar, desta vez, com os netos de Joaquim Fernandes de Carvalho. Atualmente, é administrado oficialmente por Múcio Fernandes, neto de Joaquim, também presidente da Associação Paraibana dos Engenhos de Cachaça de Alambique (Aspeca). Mantendo a tradição da família, os bisnetos do fundador já fazem parte do corpo administrativo e trabalham para atualizar o Engenho e suas marcas para as tendências de mercado atuais.

5) O engenho conta com um laboratório de microbiologia exclusivo e uma própria levedura, selecionada a partir da microbiota da região do engenho. Em sua estrutura, a tecnologia e a inovação estão muito presentes. O engenho São Paulo conta com um laboratório de microbiologia que utiliza tecnologia de ponta para controlar rigorosamente todas as etapas da produção. O laboratório também selecionou uma cepa de levedura, que é encontrada unicamente no local. Durante a fermentação, fazem a adição dessa cepa no processo para que ela esteja sempre predominante na fermentação, o que garante que a bebida produzida possua sempre as mesmas características e o padrão de qualidade do Engenho São Paulo.

6) O engenho tem preservação ambiental e sustentabilidade em toda a propriedade. Além da levedura própria, outro “segredinho” do Engenho São Paulo está no cuidado de preservação das matas do terreno e nas várzeas do Rio Paraíba. O Engenho realiza um trabalho intenso de preservação ambiental para conservar, principalmente, as nascentes de água, garantindo uma água de excelente qualidade para a fabricação das bebidas. Além disso, o local conta com paisagens bucólicas e pretende abrir para visitação e fomentar o turismo rural da região.

7) O engenho conta com um projeto social para crianças das comunidades locais. Em 2012, o Engenho São Paulo fundou a escolinha de futebol “São Paulo Crystal”, que treina crianças de 6 até 18 anos. No início, acolhia filhos de trabalhadores e moradores do engenho, e hoje, inclui também crianças da cidade e da zona rural de Cruz do Espírito Santo, o que totaliza uma média de 200 alunos. Além de incentivar a prática do esporte, ensinando futebol, o projeto funciona em parceria com a prefeitura e acompanha o rendimento escolar dos alunos, avaliando desde notas até comportamento e frequência escolar. A escolinha está em fase de expansão e futuramente terá filiais em João Pessoa, Guarabira, Campina Grande, Sapé, Patos e na zona urbana de Cruz do Espírito Santo.

8) O engenho conta com time profissional de futebol. Com o sucesso da escolinha, que passou a revelar diversos talentos, em 2017 foi fundado o time profissional de futebol, o “São Paulo Crystal” – com direito a alojamento, centro de treinamento, mascote e torcida. Desde a fundação, o São Paulo Crystal já reúne diversas conquistas. Foi vice-campeão no estadual sub 19 em 2017. Em 2019, foi campeão estadual do sub 15 e vice-campeão no sub 17 além de ser campeão da Copa Paraíba no sub 17. Em 2020, a equipe fez bonito e subiu para a primeira divisão do campeonato paraibano e finalizou sua participação no estadual figurando entre os quatro finalistas da competição.

9) Mesmo sabor, novos rótulos. A marca Engenho São Paulo se prepara para uma nova fase. Em 2021, haverá ajustes na identidade visual. Nova logomarca, novos rótulos e presença mais forte nas mídias digitais e tradicionais – tudo isso para se comunicar melhor com um público cada vez mais bem informado e conectado. Para conhecer mais sobre a história e os produtos, o site é engenhosaopaulo.com.br/ e os perfil no Instagram são @engsaopaulo, @cachacasaopaulo, @cachacacaipira e @saopaulocrystalfc

10) A cachaça tem nome de santo. Outro fato curioso é que, antigamente, todas as terras da zona rural de Cruz do Espírito Santo eram chamadas com nomes de santos católicos. O santo Paulo foi escolhido para batizar a propriedade da família, que se mantém até hoje pelos herdeiros, pela tradição e pela religiosidade. Ao lado do engenho São Paulo, por exemplo, estão localizadas as usinas Santa Helena e a São João. Local histórico – A região da várzea do Rio Paraíba, onde fica localizado o engenho, foi um dos locais dominados pelos holandeses na época da colonização. Essa parte da história ainda pode ser visualizada hoje por conta das capelas – Nossa Senhora das Batalhas e Nossa Senhora do Socorro, que ficam localizadas próximas ao Engenho.

Continue Lendo

Negócios

Sindicato dos Artistas nega registro para Juliette por falta de “embasamento profissional”

Publicado

em

O Sindicato dos Artistas negou registro profissional para a ex-BBB paraibana Juliette Freire por “falta de embasamento profissional”.

De acordo com informações da colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, a tentativa de adquirir um registro da Delegacia Regional de Trabalho (DRT) que permitiria que a ex-BBB fosse considerada uma profissional do campo artístico teria partido da equipe de assessoria da paraibana.

Ainda segundo a colunista, a justificativa para o pedido seria adquirir a licença para que Juliette pudesse atuar no remake da novela Pantanal cujo lançamento está programado para o próximo ano nas telinhas da Globo, emissora que, por sua vez, nega a informação.

Para a coluna, Hugo Gross, atual presidente do órgão, justificou a decisão.

“A gente não pode liberar o registro para Juliette porque não há trabalhos suficientes que comprovem que ela seja atriz, portanto não há embasamento profissional para que ela detenha um DRT. O documento enviado pela equipe de Juliette, com objetivo de comprovar seus trabalhos como atriz, tinha apenas imagens da cantora fazendo comerciais para algumas lojas, após sua saída do ‘BBB’”, explicou.

De acordo com informações de bastidores, a notícia da suposta tentativa da paraibana tentar adquirir um DRT às pressas teria desagradado a estudantes e profissionais do setor que dedicam anos da própria vida para tornarem-se profissionais do setor.

Continue Lendo

Negócios

Paraíba tem 15 cachaças premiadas no Concurso de Vinhos e Destilados do Brasil

Publicado

em

Quinze cachaças paraibanas foram premiadas na 20ª Edição do Concurso de Vinhos e Destilados do Brasil – Premiação 2021. Para o deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro, essa premiação evidencia o potencial que o estado possui na produção da bebida.

“A Paraíba sempre foi destaque quando o assunto é cachaça. Essa premiação só afirmar o potencial do estado para produção desse produto que agrada cada vez mais o paladar, não só dos brasileiros, mas também de estrangeiros, tendo em vista que o produto também é exportado. Além de contribuir para o setor econômico paraibano, gerando emprego e renda”, avaliou Eduardo.

O concurso, que foi realizado entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro, teve o resultado divulgado na última sexta-feira (17) por meio de uma live. Entre as paraibanas premiadas estão: o Engenho São Paulo, em Cruz do Espírito Santo, que levou cinco prêmios com a cachaça São Paulo Cristal recebendo a medalha duplo ouro, a Cigana Heritage e Cigana Carvalho que receberam a medalha de ouro; Já a cachaça São Paulo Original e a Caipira foram medalha de prata. O Engenho Nobre, também em Cruz do Espírito Santo, levou a medalha de ouro com a cachaça Nobre Sensações Carvalho e a medalha de prata com a cachaça Nobre Sensações Umburana.

O Engenho Triunfo, localizado na cidade de Areia – município que foi reconhecido como capital paraibana da cachaça por meio da lei nº 11.879/21, de autoria de Eduardo Carneiro – ganhou um total de três medalhas, sendo elas: medalha duplo ouro com a Triunfo Jaqueira, a medalha de ouro com a cachaça Triunfo Prata, e medalha de prata com a cachaça Triunfo Castanheira.

Já a cachaça Saqueira Prata Freijó, do município de Sousa, garantiu a medalha de duplo ouro. As cachaças Pai Vovô Amburana Prata, de Sousa; Cobiçada Premium, de Serraria; Baraúna Umburana, de Alhandra; e Turmalina da Serra, de Areia, garantiram a medalha de prata.

Concurso – Valorizar a produção nacional, estimular a procura pela qualidade e servir de referência segura ao consumidor, são os objetivos do Concurso de Vinhos e Destilados do Brasil, que este ano chegou a sua 20ª Edição. Cerca de 120 rótulos de vinhos e 300 de destilados participaram da disputa, que contou com degustações às cegas do júri formado de 16 pessoas, entre jornalistas e compradores de bebidas mundiais, garantindo isenção e divulgação das análises. Para conferir o resultado completo do concurso é só acessar o site vwww.vinhosedestiladosdobrasil.com.br.

Atuação – É buscando valorizar e reconhecer o trabalho desenvolvido por engenhos que atuam no mercado da cachaça de forma legal no Estado da Paraíba, que, o deputado estadual Eduardo Carneiro apresentou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei nº 2.631/2021, que estabelece parâmetros para fiscalização efetiva sobre engenhos e alambiques clandestinos. A propositura cria um Disque Denúncia de Produção Clandestina, atrelado à Secretaria de Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiáridos, que receberá as denuncias da produção irregular de cachaça e vai executar as fiscalizações e inspeções.

Continue Lendo

Negócios

Especialista da Unimed esclarece sobre os perigos pela busca de cirurgias estéticas “da moda”

Publicado

em

Os procedimentos estéticos estão cada vez mais acessíveis ao público. Essa facilidade de acesso traz uma preocupação aos profissionais da área: muitas pessoas procuram intervenções “da moda”, que são procedimentos não indicados clinicamente, mas que celebridades propagam e despertam o desejo. Além disso, hoje também tem o chamado “efeito zoom”, causado pelo aumento de reuniões por vídeo.

“Nosso corpo é imperfeito. Temos lados diferentes e essas diferenças têm que ser mostradas para que o paciente leve em consideração e valorize as imperfeições já existentes”, lembra o cirurgião plástico Marcelo Aquino, médico cooperado da Unimed João Pessoa.

De acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, a rinoplastia ultrapassou a lipoaspiração como a cirurgia plástica mais realizada em 2020. A busca pelo termo no Google alcançou altas de 4.800% em julho deste ano, devido a famosos que se submeteram ao procedimento como Anitta, Cleo Pires e Kevinho.

Orientação – Marcelo Aquino comenta que sempre irão existir nomes diferentes para técnicas que já existem há anos para torná-las mais evidentes. “Cabe a nós, como cirurgiões, desmistificar isso, assim como entender se a pessoa tem indicação ou não. O fato de ‘estar na moda’ ou por ter sido feito por algum famoso não significa que todos podem fazer”, explica. Esse processo é delicado. “É mais difícil contraindicar do que indicar, pois o paciente chega com um ideal, uma a mentalidade pré-formada”.

O médico ressalta que a cirurgia plástica surgiu para trazer bem-estar ao paciente. A principal finalidade é corrigir ou melhorar algo que o incomoda, seja uma mama grande ou pequena, o abdômen volumoso e vários aspectos que podem interferir na qualidade de vida. “Não são indicadas [as cirurgias] quando as alterações não condizem com a realidade, como uma pessoa que vê um nariz muito pior do que realmente é, ou alguém que procura fazer intervenções em série na tentativa de emagrecer”, exemplifica.

Outras contraindicações, segundo Marcelo Aquino, são pacientes com doenças graves ou muito jovens, que, às vezes, não têm o ideal de corpo bem formado. “Também desaconselho quem pretende fazer, com plástica, procedimentos que só terão resultados com dieta ou bariátrica, por exemplo”, diz.

Com indicação médica, um pré-cirúrgico bem feito e seguindo todos os parâmetros – como a realização em um ambiente hospitalar com estrutura, equipe bem formada com anestesista e outro cirurgião plástico auxiliar – o procedimento terá menor risco. “Nunca é zero, mas é menor quanto melhor for o perfil do paciente e mais bem feito o pré-operatório”, explica.

Sobre a Unimed JP – Com 49 anos de tradição, a Unimed João Pessoa é uma cooperativa de trabalhos médicos que se consolidou como a melhor e maior operadora de planos de saúde da Paraíba. Além de mais de 1,8 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado. São diversos hospitais credenciados, sendo dois próprios – um deles referência em alta complexidade -, além de clínicas, prontos-socorros e laboratórios à disposição de 150 mil clientes. Comprometida com o desenvolvimento sustentável, é signatária do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). Tudo isso garante à Unimed JP a liderança absoluta no segmento de saúde suplementar no mercado paraibano. Acesse www.unimedjp.com.br.

Outras informações:

Instagram: @unimedjoaopessoa

LinkedIn: /company/unimed-joao-pessoa

Facebook: /unimedjoaopessoa

Twitter: @unimed_jp

Continue Lendo