Nos acompanhe

Brasil

Queiroga contraria Casa Civil e diz que não haverá exigência de jogadores vacinados na Copa América

Publicado

em

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, contrariou o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, e afirmou nesta sexta-feira que nao haverá exigência de vacinação dos atletas e das comissões técnicas dos países que irão disputar a Copa América em junho. A declaração foi feita em entrevista ao jornal “Correio Braziliense”.

De acordo com a matéria publicada originalmente em O Globo, na última segunda-feira, o ministro Luiz Eduardo Ramos afirmou que todos os jogadores e integrantes das delegações de cada delegação seriam vacinados.

—  São dez times com dois grupos, 65 pessoas por delegação. Todos vacinados. Foi a imposição que tratamos com a CBF. Não há documentos assinados, apenas tratativas. Inclusive a seleção brasileira, também será vacinada — afirmou Ramos.

Na entrevista o jornal, entretanto, o ministro Marcelo Queiroga negou que haverá vacinação dos jogadores. Segundo ele, outros eventos esportivos já estão ocorrendo no Brasil, como o Campeonato Brasileiro.

Queiroga destacou que existirá um protocolo de testagem dos atletas produzido pela Conmebol e referendado pelo Ministério da Saúde. Segundo o ministro, a Copa América não é um evento mundial como os Jogos Olímpicos de Tóquio. No caso das Olimpíadas, toda a delegação brasileira foi vacinada.

— Os campeonatos estão acontecendo, inclusive eventos internacionais e a exigência (da vacinação) não é uma obrigação. Vai acontecer a Olimpíada, esse sim um grande evento mundial do esporte. Há protocolos de segurança da Conmebol e o Ministério da Saúde está avaliando esses protocolos para verificar se são adequados,. Há uma política de testagem dos jogadores e dos integranes da comissão técnica — afirmou.

Segundo o ministro, o torneio, que virou o centro de uma polêmica dentro da Seleção Brasileira, funcionará em um esquema parecido com o de uma bolha, em que os jogadores deixarão o estádio e irão diretamente para o hotel.

— Caso se encontre positividade, o atleta é imediatamente afastado e isolado. Não tem publico nos estádio, os atletas vão sair dos estádios e vão para o hotel. Vai se criar uma bolha. São quatro cidades e os governadores todos concordaram em sediar o evento. Não é incumbência do Ministério da Saúde autorizar a realização do evento esportivo. O Ministério tem que assegurar que os protocolos são adequados e as autoridades sanitárias estaduais tem que fiscalizar seu cumprimento — disse.

Continue Lendo

Brasil

Gervásio ironiza discurso de Bolsonaro na ONU e volta a criticar PEC que ‘desmonta’ serviço público

Publicado

em

O deputado federal paraibano Gervásio Maia (PSB) ironizou o discurso realizado pelo atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que acontece em Nova York, nos Estados Unidos.

Gervásio Maia, que é vice-líder da oposição na Câmara Federal, afirma que Bolsonaro falou, em seu discurso na ONU, sobre um Brasil que não existe, uma vez que o país da realidade é o que bateu o maior índice inflacionário dos últimos 20 (vinte) anos, que tem gasolina ao custo de R$ 7,00 (sete reais) e que tenta desmontar e destruir o serviço público através da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, do Poder Executivo, que retira inúmeros direitos dos servidores.

Leia também: Gervásio mobiliza e comemora adiamento de votação da PEC 32 que tira direitos do servidor público

Leia também: “Desmontamos a farsa da PEC 32 na Comissão Especial”, diz Gervásio Maia

Confira o vídeo:

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Gervásio Maia (@gervasiomaia)

Continue Lendo

Brasil

Confirmação de Covid-19 em Queiroga suspende presença de delegação brasileira em reuniões da ONU

Publicado

em

O ministro da Saúde, médico paraibano Marcelo Queiroga, após mostrar despreparo e ofender manifestantes em Nova York, nos EUA, voltou a ser notícia internacional na noite da terça-feira (21) por ter testado positivo para Covid-19.

A confirmação da contaminação do ministro, a segunda registrada dentre a delegação brasileira que viajou para participar da 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, provocou a suspensão da participação do Brasil em reuniões previstas para esta quarta-feira (22) no evento.

Leia também: Queiroga mostra despreparo e ofende manifestantes em Nova York mostrando dedos do meio; veja vídeo

Queiroga confirmou, através de pronunciamento feito pelas redes sociais, que permanecerá em quarentena nos EUA e que seguirá todos os protocolos de Segurança Sanitária.

A quarentena do paraibano, de acordo com o noticiário internacional, será de 14 (quatorze) dias em um hotel 4 estrelas cujas diárias, que segundo o site oficial do próprio hotel custa a partir de US$ 407.55 (quatrocentos e sete dólares e cinquenta e cinco cents), serão pagas pelos contribuintes brasileiros.

Na terça-feira, mesmo dia em que o ministro foi diagnosticado com o vírus, Queiroga acompanhou o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Assembleia Geral da ONU e se encontrou com o presidente polonês, Andrzej Duda, com o secretário-geral da ONU, António Guterres, compareceu a um evento da Organização Pan-Americana da Saúde e turistou no Memorial 11 de Setembro com diversos integrantes da delegação brasileira.

Confira o comunicado:

Continue Lendo

Brasil

Para Efraim, Governo precisará de articulação e engenharia política para aprovar PL’s no Congresso

Publicado

em

O deputado federal paraibano Efraim Filho, líder do DEM, na Câmara, em Brasília, ao fazer uma análise acerca da situação atual do Governo Federal junto ao Congresso Nacional revelou que ela pode não ser tão fácil como se pensa.

A proximidade do período de um ano que antecede as Eleições 2022 propicia o fechamento de uma janela importante para o Governo Federal conseguir aprovar reformas amplas no Congresso.

Aos olhos de Efraim Filho, o Governo Federal só conseguirá aprovar textos se for feliz na realização de um trabalho sério que envolvem articulação e engenharia política que serão fundamentais num período de afunilamento de oportunidades.

Ao falar sobre a perspectiva de aprovação na Câmara de temas como Auxílio Brasil e precatórios o parlamentar se mostrou otimista.

“São temas que têm sintonia com a sociedade. Isso ajuda o apelo social”, disse.

Porém, ao analisar a possibilidade real de aprovação de Projetos como o da unificação do PIS (Programa de Integração Social) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), bem como a reforma administrativa, em entrevista concedida à Folha, o deputado paraibano não viu tanta facilidade.

“A CBS [Contribuição sobre Bens e Serviços] é mais uma dificuldade de construir um texto que signifique a segunda fase da reforma tributária, mas sem aumento de carga, é uma dificuldade técnica. E a reforma administrativa começa a preocupar pelo timing eleitoral. Estamos a um ano das eleições, e é um projeto que gera bastante ruído na base”, afirmou.

A visão de Efraim é compartilhada por diversos outros congressistas, mesmo apesar da ‘trégua’ com a realização de discursos amenos por parte do presidente Bolsonaro na briga iniciada por ele contra os Poderes.

Continue Lendo