Nos acompanhe

Paraíba

Prefeitura de João Pessoa inicia ação de limpeza e sanitização nos mercados públicos

Publicado

em

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) iniciou, na noite desta sexta-feira (22), uma ação de limpeza e sanitização nos locais de comercialização de alimentos, começando pelo Mercado Central. Uma força-tarefa de diversas secretarias está envolvida no processo e deve se estender por todos os mercados e feiras livres nos próximos dias. Este é mais um compromisso da atual gestão para cuidar da cidade, com ações de zeladoria e limpeza que auxiliam diretamente na prevenção e saúde da população.

O superintendente da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Ricardo Veloso, destacou que essa ação faz parte de um planejamento estratégico feito desde o início da gestão. “O prefeito Cícero Lucena pediu para fazermos um diagnóstico da cidade e traçar um planejamento para os próximos doze meses. E, através dele, identificamos os pontos onde havia a necessidade de uma intervenção mais enérgica por parte da Emlur. Essa ação de limpeza já aconteceu no Cidade Verde, no Valentina, no Centro Histórico e agora, esse olhar para cuidar dos nossos mercados públicos, começando aqui pelo Mercado Central”, afirmou.

“Estamos aqui com uma ação de zeladoria que envolve cerca de 20 agentes de limpeza e três carros-pipa. Foi feita toda a sanitização do Mercado Central, desde a parte interna dos galpões e boxes, e a externa, que inclui as ruas e paradas de ônibus. Essa ação faz com que os comerciantes trabalhem melhor e as pessoas tenham melhores condições de higiene para frequentar o mercado”, concluiu.

O gerente do Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses de João Pessoa, Nilton Guedes, ressaltou que essa ação de limpeza também previne contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti. “Estamos numa pandemia de Covid-19, mas num momento também muito favorável para a propagação do mosquito Aedes aegypti, que transmite diversas doenças. Então, é fundamental que a população se conscientize e não jogue o lixo nas ruas. Esta é uma ação preventiva e também educativa, porque todas as pessoas que estão vendo devem seguir o exemplo e vão fazer o mesmo procedimento nos seus locais de convivência”, ressaltou.

Órgãos envolvidos – Participaram da ação as secretarias de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), de Saúde (SMS) e Infraestrutura (Seinfra), além da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur).

Continue Lendo

Paraíba

Semob-JP realiza atendimento presencial apenas por agendamento

Publicado

em

Com o objetivo de evitar aglomerações e prevenir a contaminação pela covid-19, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP) reitera à população que o atendimento presencial na sede da autarquia, no bairro Cristo Redentor, ocorrerá, exclusivamente, por agendamento.

Os usuários que necessitarem dos serviços, deverão ligar para o número (83) 3218-9348 e agendar o seu atendimento, das 8h às 12h (manhã) e das 13h às 16h (tarde), de segunda a sexta-feira. O atendimento agendado, além de proporcionar mais segurança à saúde em tempos de pandemia, também ajuda a organizar melhor o tempo das pessoas no seu dia a dia.

Site – Por meio do site https://servicos.semobjp.pb.gov.br, a população tem disponíveis diversos serviços e informações. Neste canal o usuário poderá saber sobre cartão de gratuidade, identificação de condutor infrator, recursos de multas, câmeras de trânsito, consulta de multas, veículos removidos, itinerários e horários dos ônibus, entre outros.

Confira abaixo o banner de alerta da Semob-JP:

Continue Lendo

Paraíba

MPT emite diretrizes para cumprimento da ordem de prioridade em vacinação contra Covid-19

Publicado

em

O Ministério Público do Trabalho (MPT) emitiu, nesta quinta-feira (25), nota técnica contendo medidas e diretrizes destinadas à garantia do cumprimento da ordem de prioridade no processo de imunização contra a Covid-19. Após serem recebidas em diversos estados denúncias de desrespeito à ordem preferencial definida no Plano Nacional de Vacinação, o Grupo de Trabalho Covid-19 da instituição iniciou a elaboração de documento destinado aos atores envolvidos na vacinação.
As orientações são destinadas a órgãos da administração pública direta e indireta, unidades e serviços de saúde, empresas, pessoas jurídicas e conselhos de saúde. O documento busca orientá-los, de modo a garantir a preservação da saúde das trabalhadoras e dos trabalhadores com maior fator de risco ou maior exposição ao contágio pela doença.
Entre as orientações emitidas na Nota Técnica 2/2021 do Grupo de Trabalho Nacional Covid-19 do MPT, estão a de cumprir rigorosamente os planos de vacinação nacional (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid -19), estaduais e municipais. Segundo o Plano Nacional de Vacinação divulgado pelo governo federal, estão entre os primeiros grupos a receber a vacina os trabalhadores de saúde, em especial aqueles que atuam na linha de frente de combate ao coronavírus.
O documento também recomenda que seja observada a ordem de prioridade da vacinação contra a Covid-19 em cada unidade de saúde contemplada, com a classificação de risco de contágio a ser efetivada por profissional, servidor, órgão, comissão ou entidade acreditada para esse fim – sob pena de, em caso de descumprimento, serem adotadas as medidas trabalhistas, cíveis, criminais e administrativas cabíveis.
Outras medidas apontadas pela NT são a adequação das unidades destinadas à execução dos planos de vacinação e ao registro diário das informações nos sistemas (SI-PNI, sem prejuízo de outros correlatos caso existam), bem como a diligência para que seja cumprida a ordem de prioridade da vacinação contra a Covid-19. Dessa forma, recomenda-se que a vacinação dos trabalhadores da saúde seja realizada a partir de listas nominais, previamente elaboradas e encaminhadas pelos gestores das unidades, contendo as informações sobre os critérios de prioridade e risco (idade/comorbidade, local de trabalho e atividades de risco que exercem).
O documento observa também a necessidade de se promover ações para dar transparência à execução da vacinação contra a Covid-19 no município, inclusive com a divulgação semanal dos nomes das pessoas vacinadas, das metas vacinais atingidas a serem informadas aos conselheiros municipais de saúde.
Os responsáveis pela execução da vacinação também devem, segundo as orientações do MPT, abster-se de, a cada nova fase da campanha, autorizar imunização de voluntários da área administrativa que não integrem a equipe de profissionais de saúde responsável pela vacinação ou que não pertençam aos grupos prioritários definidos no Plano Nacional de Imunização.
Acesse aqui a íntegra da Nota Técnica 02/2021 do GT Nacional Covid-19.

Continue Lendo

Paraíba

Tovar defende que Governo assuma responsabilidade e garanta reabertura das escolas em todo Estado

Publicado

em

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) defendeu, nesta quinta-feira (25), durante sessão especial da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), a reabertura das escolas e a manutenção das aulas nas instituições que já iniciaram o ano letivo em todo o estado. O parlamentar afirma a educação foi prioridade em outros Países, tomando todos os cuidados e partindo do principio de preservar vidas. Destaca ainda que cabe ao Estado dar condições necessárias para que as escolas possam reabrir.

Tovar entende que a maioria das escolas, principalmente as das redes públicas, precisa se estruturar adequadamente para garantir segurança básica no retorno dos alunos às aulas presenciais diante da pandemia de covid-19.

“Somos todos a favor da vida, mas também temos que olhar adiante. Precisamos equilibrar as coisas, abrir as escolas fechadas e manter abertas as que já estavam em aulas. Tudo pode ser feito com muita segurança, com uso de máscara, álcool em gel e distanciamento. Cabe ao Estado dar essas condições”, defendeu o deputado.

Em nota, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) entende que a maioria das escolas, principalmente as das redes públicas, precisa se estruturar adequadamente para garantir segurança básica no retorno dos alunos às aulas presenciais diante da pandemia de Covid-19. Segundo os especialistas, o fechamento prolongado das escolas tem resultado em “imenso prejuízo para os estudantes e suas famílias”.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Instituto Claro, apresentaram dados de uma pesquisa indicando que chegou a 5,5 milhões o número de crianças e adolescentes que estavam sem atividades escolares ou fora da escola em outubro do ano passado, no Brasil. Cerca de 1,38 milhão de estudantes de 6 a 17 anos, ou 3,8% do total, não participaram de aulas presenciais ou remotas em outubro de 2020. O percentual é quase duas vezes maior que a média de 2019: 2%.

Continue Lendo