Nos acompanhe

Paraíba

CRM-PB apresenta relatório sobre ocupação de leitos Covid na Grande João Pessoa e Campina Grande

Publicado

em

Quatro hospitais públicos e três privados da Capital estavam com mais de 70% dos leitos de UTI ocupados. Em Campina Grande, apenas um público e um privado tinham taxa acima de 50%

Dos seis hospitais públicos referência para o atendimento de pacientes com a Covid-19 na Região Metropolitana de João Pessoa, quatro estavam com a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) superior a 70%, entre os dias 13 e 18 de novembro, conforme levantamento realizado pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), a pedido do Ministério Público Federal (MPF), do Ministério Público Estadual (MPE) e do Ministério Público do Trabalho (MPT). Dos quatro hospitais privados, três também estavam com a ocupação da UTI acima dos 70%.

De acordo com o relatório do CRM-PB, o Complexo Hospitalar Clementino Fraga estava com 100% de ocupação dos leitos de UTI; o Hospital Universitário Lauro Wanderley com 100%; o Prontovida com 81%; e o Hospital Metropolitano com 70%. Apenas o Hospital Santa Isabel tinha ocupação de 11%. A Maternidade Frei Damião, exclusiva para gestantes com Covid, estava com a ocupação de 41% e o Hospital do Valentina, exclusivo para crianças, estava com a ocupação de 60% nos leitos de UTI.

Ainda em João Pessoa, dos quatro hospitais privados da capital com leitos de UTI para pacientes adultos, três estavam com ocupação superior a 70%: Unimed (76%), Nossa Senhora das Neves (70%) e Memorial São Francisco (100%). Só o Hospital João Paulo II, que conta com apenas um leito de UTI, estava sem ocupação no momento da vistoria do CRM-PB.

Já em Campina Grande, o CRM-PB observou que as taxas de ocupação dos leitos de UTI Covid estão menores que em João Pessoa. Foram vistoriados cinco hospitais públicos no mesmo período, que apresentaram as seguintes percentagens de ocupação desses leitos: Hospital das Clínicas com 56%; Hospital Dom Pedro I com 33%; Instituto de Saúde Elpídio Almeida (Isea) com 29%; Hospital João XXIII com 14%; e Hospital de Trauma Dom Luiz Gonzaga, com 0%. Na rede privada foram constatas estas taxas de ocupação de UTI: Santa Clara 10%; e Antônio Targino 50%.

“Como os indicadores de mortes começaram a diminuir há algumas semanas, os governantes foram flexibilizando as regras de distanciamento social e autorizando a abertura do comércio, cinemas, bares, parques. Além disso, as pessoas começaram a ter um comportamento mais permissivo, em boa medida, pela desinformação, fake news, maus exemplos de alguns líderes e formadores de opinião e falsa segurança oferecida por uma vacina que nem está disponível ainda”, ressaltou o presidente do CRM-PB. Roberto Magliano também enfatizou que a desativação de parte dos leitos públicos destinados aos pacientes Covid também contribuiu para o aumento da ocupação atual.

O relatório do CRM-PB foi apresentado no final da manhã desta quinta-feira (19), pelo presidente da autarquia, Roberto Magliano de Morais, a juíza federal Wanessa Figueiredo dos Santos Lima; procuradores da República Guilherme Ferraz, Janaína Andrade de Sousa e Acácia Peixoto Suassuna; procurador geral de João Pessoa Adelmar Azevedo Régis; procurador do estado da Paraíba Fábio Andrade; secretário de saúde do Estado Geraldo Medeiros; secretário executivo de saúde do Estado Daniel Beltrami; secretário de saúde de João Pessoa Adalberto Fulgêncio; além do diretor de fiscalização do CRM-PB João Alberto Pessoa

Como foi feito o levantamento do CRM-PB / Faltam testes diagnósticos nas UPAs

O levantamento do CRM-PB foi feito entre os dias 13 e 18 de novembro, em 40 unidades de saúde privadas, públicas e filantrópicas de João Pessoa, Santa Rita, Bayeux, Cabedelo e Campina Grande para avaliar a atual situação de ocupação de leitos Covid-19. Foram identificados um total de 692 leitos destinados para pacientes infectados pelo novo coronavírus, sendo 238 leitos de UTI e 454 de Enfermaria.

As equipes do CRM-PB observaram também, durante as visitas, que faltam testes diagnósticos nas Unidade de Pronto Atendimento (UPAs) de João Pessoa. “A saúde municipal de João Pessoa não vem realizando testes diagnósticos para Covid-19 em quantidade suficiente. Os poucos exames disponibilizados não suprem a demanda crescente e contribuem para uma subnotificação de casos”, afirmou Roberto Magliano.

Ele ainda acrescentou que “o atendimento e confirmação diagnóstica na rede pública de João Pessoa é mais lento, precário e complexo do que na rede privada e na saúde suplementar”. Também foi observado que, as UPAs de Campina Grande estão realizando testes e fazendo o encaminhamento dos pacientes.

Divergências sobre a quantidade de leitos

Os números levantados pelo CRM-PB sobre os leitos Covid (UTI e enfermaria) nos hospitais de referência para o tratamento da doença divergem dos números divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), em seu Plano de Contingência, atualizado em setembro de 2020. Conforme a SES, há 436 leitos de enfermaria e 238 leitos de UTI Covid. Já de acordo com o levantamento do CRM-PB, os números são os seguintes: 314 leitos de enfermarias e 170 leitos UTIs

Estes números são a soma dos leitos instalados nos hospitais referência para o tratamento da Covid-19 nas cidades de João Pessoa, Santa Rita e Campina Grande. São os seguintes hospitais: Hospital Clementino Fraga, Hospital Municipal Valentina, Hospital Santa Isabel, Hospital Universitário Lauro Wanderley, Prontovida, Maternidade Frei Damião, Hospital Metropolitano (Santa Rita), Hospital de Clínicas de Campina Grande (CG), Hospital de Trauma Dom Luis Gonzaga Fernandes (CG), Hospital Pedro I (CG), ISEA (CG) e João XXIII (CG).

Continue Lendo

Paraíba

Pesquisa aponta aprovação de 47,4% da gestão João Azevêdo e de 42,2% de Bolsonaro em João Pessoa

Publicado

em

A gestão do governador João Azevêdo (Cidadania) é aprovada por 47,4% e a do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por 42,4% dos eleitores de João Pessoa. Os dados são da Pesquisa RedeMais/Instituto Opinião, que ouviu 800 eleitores da capital paraibana nos dias 19 e 20 de novembro.

No comparativo do levantamento, contratado ao Instituto Opinião e divulgado pelo Portal MaisPB, , João tem avaliação positiva superior (47,4%) a do presidente (42,4%) entre os pessoenses, ao tempo que a desaprovação de Bolsonaro supera a de Azevêdo na capital paraibana.

Enquanto o governador da Paraíba tem 34,4% de reprovação, o índice de Bolsonaro chega a 47,1%.

Sobre a avaliação do governo de Azevêdo, 18,2% não sabem ou não responderam ao questionamento. Em relação à gestão presidencial, 10,5% dos entrevistados em João Pessoa não quiseram opinar.

Dados Técnicos

A pesquisa do Instituto Opinião, realizada em parceria com o Portal MaisPB/RedeMais, ouviu 800 eleitores de João Pessoa nos dias 19 e 20 de novembro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo PB-01053/2020.

As entrevistas foram realizadas nas seguintes localidades: Altiplano Cabo Branco, Alto do Céu, Alto do Mateus, Bairro dos Estados, Bancários, Bessa, Brisamar, Cabo Branco, Castelo Branco, Centro, Cidade dos Colibris, Cristo Redentor, Cruz das Armas, Ernesto Geisel, Expedicionários, Funcionários, Grotão, Ilha do Bispo, Ipês, Jaguaribe, Jardim Oceania, Jardim Veneza, Jardim Cidade Universitária, João Agripino, João Paulo II, José Américo, Manaíra, Mandacaru, Mangabeira, Miramar, Oitizeiro, Padre Zé, Paratibe, Roger, Tambaú, Tambauzinho, Torre, Treze de Maio, Valentina Figueiredo e Varjão.

O intervalo de confiança estimado para a pesquisa é de 95%, com margem de erro estimada em 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Instituto Opinião

Com 26 anos de experiência, o Instituto Opinião tem sede em Campina Grande e acumula atuação destacada na Paraíba e em estados do Nordeste.

Dirigido pelo estatístico Joaquim Braga, é um dos mais respeitados e acreditados no segmento.

Continue Lendo

Paraíba

“Festa da Covid-19” vai parar na Justiça e prefeito e banda terão que prestar explicações

Publicado

em

O prefeito Célio Barbosa (Republicanos), de São João do Tigre, município localizado no interior da Paraíba, terá que explicar sobre a verba utilizada para realizar, no último sábado (21), o evento que ficou conhecido nacionalmente como “Festa da Covid-19”. (Clique aqui para conferir outros detalhes)

O gestor foi notificado pelo Ministério Público Federal (MPF), através da Procuradoria da República em Monteiro, para que explique em detalhes sobre a origem dos recursos públicos utilizados para promoção do evento em plena pandemia da Covid-19.

O MPF ainda cobra do gestor “cópia das autorizações sanitárias para realização do evento“.

O empresário que é proprietário da Banda Cavaleiros do Forró, que foi a atração principal do evento realizado em praça pública e que atraiu milhares de pessoas, também foi notificado para prestação de informações junto à Justiça.

O evento ganhou destaque nacional e apontado como um dos maiores eventos públicos realizados em tempos de pandemia no Brasil.

Confira abaixo imagem do processo:

Continue Lendo

Paraíba

Eleições internas da Famup acontecem nesta quinta-feira em João Pessoa

Publicado

em

As eleições internas da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) para o biênio 2021/2022 acontecem nesta quinta-feira (26) em João Pessoa. Na votação, será definida a Diretoria e Conselho Fiscal do órgão.

Apesar do edital aberto por um mês para que interessados analisassem as regras, o pleito tem, até o momento, chapa única para a Diretoria Executiva, onde o atual presidente, George Coelho, disputará a reeleição.

Conforme resolução da diretoria da Federação, só poderá votar prefeitos de municípios filiados há pelo menos um ano antes da publicação do edital de convocação do pleito, que foi divulgado no dia 3 de novembro.  Ao todo, 186 gestores poderão participar da votação.

A posse dos eleitos está prevista para acontecer em 07 de janeiro de 2021. Apesar da chapa única, a inscrição de outras chapas ao pleito pode acontecer em até 24 horas antes da votação.

Caso reeleito, George garantiu que buscará trazer mais visibilidade e força à Federação perante o Governo do Estado, a Assembleia Legislativa e a bancada federal paraibana no Congresso Nacional.

Ele ressalta ainda a descentralização dos serviços e responsabilidades administrativas da diretoria, a proximidade com prefeitos e capacitação de gestores e servidores como algumas de suas pautas defendida ao longo de sua atuação.

“A nossa gestão foi marcada por avanços significantes para o municipalismo, mas buscamos fortalecer ainda mais a relação entre os municípios, com transparência e compromisso com a população”, pontuou.

A votação acontecerá das 8h às 17h na sede da Famup, em João Pessoa, que fica localizada na Rua Lauro Torres,110, Tambauzinho.  As orientações das autoridades sanitárias em relação ao coronavírus serão respeitadas pela Federação.

Continue Lendo