Nos acompanhe

Negócios

Unimed JP oferece atendimento gratuito para mulheres da Comunidade São Rafael

Publicado

em

A Unimed João Pessoa está acompanhando, gratuitamente, oito mulheres da Comunidade São Rafael com suspeita de câncer de mama. O Projeto Mãos que Apoiam faz parte das iniciativas da Cooperativa no Outubro Rosa e teve início nesta quarta-feira (21) já com o primeiro atendimento às mulheres.

Durante um ano, as participantes do projeto – todas acima dos 40 anos – serão acompanhadas pelas mastologistas Lakymê Mangueira, Tarciana Ramalho e Débora Cavalcanti, médicas cooperadas da Unimed JP que se engajaram como voluntárias. “É uma das ações mais fantásticas da Unimed JP, pois está acolhendo mulheres que, muitas vezes, não têm acesso a exames e tratamento”, disse Lakymê Mangueira, presidente da Sociedade de Mastologista Regional Paraíba.

Consultas e exames – Além das consultas, elas terão todos os exames complementares e de imagem custeados pela Unimed JP.  Só em caso de cirurgia haverá encaminhamento para o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da Central de Regulação Pública. “Espero que essas mulheres possam fazer o tratamento adequado para que tenham condições de vida melhor”, declarou o médico João Modesto, assessor de Inovação e Qualidade do Núcleo de Desenvolvimento Humano (NDH) da Unimed JP, setor que está à frente da iniciativa.

A Unimed JP também vai oferecer acompanhamento com psicólogas e nutricionistas para as pacientes. “Esse tratamento é muito importante. A comunidade é carente. Estou muito feliz pela oportunidade de participar desse projeto maravilhoso”, disse a dona de casa Edna de Barros, uma das mulheres selecionadas para o projeto. A triagem inicial foi realizada pelo PSF da comunidade e pela Associação de Moradores.

Propósito – A iniciativa faz parte das ações de responsabilidade socioambiental da Unimed JP, que é signatária do Pacto Global da ONU e assumiu o compromisso de contribuir para o alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O 3º ODS é “Boa Saúde e Bem-Estar”. Ao mesmo tempo, a Unimed JP também coloca em prática, com a iniciativa, o seu propósito, que é “promover a vida, cuidando da saúde das pessoas”.

Sobre a Unimed JP – Com 48 anos de tradição, a Unimed João Pessoa é uma cooperativa de trabalhos médicos que se consolidou como a melhor e maior operadora de planos de saúde da Paraíba. Além de mais de 1,7 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado. São diversos hospitais credenciados, sendo dois próprios – um deles referência em alta complexidade -, além de clínicas, prontos-socorros e laboratórios à disposição dos mais de 147 mil clientes. Tudo isso garante à Unimed JP a liderança absoluta no segmento de saúde suplementar no mercado paraibano. Acesse www.unimedjp.com.br

Outras informações:
Instagram: @unimedjoaopessoa
LinkedIn: /company/unimed-joao-pessoa
Facebook: /unimedjoaopessoa
Twitter: @unimed_jp

Continue Lendo

Artigos

Covid-19 e a sua relação com os hábitos de consumo

Publicado

em

O ano de 2020 marcou nossas vidas de modo significativo. Diversos dos nossos hábitos foram modificados e adaptados a uma nova realidade. Assim, deixamos ou ao menos diminuímos nossas idas às festas, confraternizações. Para muitos, a moradia passou a ser também local de trabalho (home office), aumentaram as compras pela internet, além do uso obrigatório de máscaras e utensílios de higiene, dentre outros. Esse ano, será então um daqueles períodos, narrados, em páginas de internet e livros de história, como o epicentro de grandes modificações estruturais na sociedade global.

De repente, diante de uma pandemia, a economia mundial viu suas relações serem modificadas, o que impactou e têm impactado no PIB (Produto Interno Bruto) dos países, no desemprego, no consumo, nas novas relações de trabalho, de tal modo que, cada país vêm adotando medidas para, ao menos, diminuir os impactos negativos. Impactos estes que já são sentidos no Brasil, por exemplo, com alto número de pessoas infectadas e mortas, aumento considerável do desemprego e queda do crescimento econômico, fazendo inclusive, agências de grande renome, projetarem que o Brasil, sairá do ranking das dez maiores economias mundiais. Soma-se a isso o aumento do preço de produtos essenciais, a desvalorização do câmbio e o estresse gerado pelas incertezas do cenário econômico e o isolamento social.

Assim, as famílias brasileiras se veem diante de um contexto de insegurança o que necessariamente impacta nos seus hábitos de consumo. Mas por que impacta? Diante de uma possível retomada da economia, viu-se o aumento do desemprego. Com mais pessoas desempregadas, haverá menos consumo e também menor renda para fazer frente às despesas essenciais. O que acaba gerando maior retração da economia e também um aumento do endividamento da população, que viu sua renda diminuir e ao mesmo tempo, os gastos aumentar com o aumento do preço de produtos essenciais.

A esse respeito, segundo pesquisa realizada pelo IBGE, 24,2% da população brasileira, teve rendimento menor que o normalmente recebido, sendo então que, grande parte recorreu a empréstimos para fazer frente às dívidas e necessidades diárias, além de adquirirem novos hábitos financeiros para tentar driblar ou diminuir os impactos da crise. Assim, de acordo com pesquisa realizada pela Opinion Box, 65% da população entrevistada deixou de comprar itens não essenciais, 31% postergou o pagamento de uma conta ou dívida, para fazer frente às necessidades primárias, 27% da população renegociou contratos de telefonia e aluguéis. E o que se espera para o futuro em relação ao consumo e situação econômica do país? Espera-se que o governo tome medidas que de fato imp actem positivamente na geração de postos de trabalho (dos setores em geral), que sinalize medidas para conter o aumento dos preços de produtos essenciais, decorrente, dentre outros, do aumento das exportações frente ao câmbio desvalorizado. Assim, medidas para manter a empregabilidade da economia brasileira, e consequente, consumo da população, juntamente com os novos hábitos financeiros adquiridos por parte da população, podem corroborar para uma melhora dos nossos indicadores econômicos e sociais.

Autora: Pollyanna Rodrigues Gondin é economista e tutora do curso superior de Blockchain, Criptomoedas e Finanças na Era Digital do Centro Universitário Internacional Uninter.

Continue Lendo

Negócios

Porto de Cabedelo se destaca como um dos mais eficientes do país

Publicado

em

O Porto de Cabedelo conquistou a terceira colocação do Prêmio Portos + Brasil, na categoria Variação da margem EBITDA (margem de lucro da empresa). Com esse desempenho, o Porto de Cabedelo se torna um dos portos públicos com a gestão mais eficiente do país na avaliação do Ministério da Infraestrutura. Do total de 32 portos do país, 7 foram premiados nessa terça-feira. Do Nordeste, apenas o Porto de Cabedelo e o Porto de Itaqui, no Maranhão.

A premiação é feita com base no Índice de Gestão das Autoridades Portuárias (IGAP). A entrega do prêmio foi feita nesta terça-feira (24), pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e foi recebido pela diretora-presidente da Companhia Docas da Paraíba (Docas/PB), Gilmara Temóteo, durante o Fórum Nacional de Logística e Infraestrutura Portuária Brasil Export, em Brasília. A solenidade contou ainda com a participação do secretário executivo Marcelo Sampaio, e do secretário nacional de Portos, Diogo Piloni.

A margem EBITDA é um conceito das áreas de contabilidade e finanças corporativas que reflete a geração de lucro de uma empresa com base em suas atividades operacionais. Ele se refere a um indicador calculado usando duas informações: a receita e o EBITDA, sendo que na fórmula original se divide a primeira pela segunda a fim de encontrar o valor da margem. Nesse sentido, o Porto de Cabedelo garantiu uma diminuição de despesas e aumento de receita numa margem superior a 200% em 2019, tornando o Porto mais eficiente.

Além disso, em todos os meses de 2020 houve aumento na movimentação de cargas com relação a 2019, inclusive com o recebimento de novos produtos. Em todo ano de 2019, o Porto de Cabedelo movimentou 1.082.357 toneladas, entre carga como malte, petcoke, trigo, gasolina, ilmenita, entre outras.

“Esse tem sido um esforço da Companhia Docas, diante de um ano de muitas dificuldades, em manter uma gestão comprometida com resultados positivos, com equilíbrio financeiro da Companhia. Trabalhamos sempre com o objetivo de atrair novos investimentos e de aumentar a movimentação, pensando na redução de custos operacionais, para alcançar essa eficiência. Vamos nos esforçar cada vez mais para alcançar novos índices, obviamente com ajuda de parceiros e do Governo do Estado”, destacou a diretora-presidente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Temóteo.

O 1º Prêmio Portos + Brasil é um reconhecimento às autoridades portuárias que, ao longo de 2019, obtiveram os melhores resultados em termos de eficiência operacional, administrativa, retorno sobre o capital, manutenção dos acessos aquaviários, transparência, entre outros.

“A intenção do governo é estimular a busca permanente de excelência na gestão dos portos públicos do Brasil”, avaliou o secretário nacional de Portos, Diogo Piloni.

A iniciativa do 1º Prêmio Portos + Brasil faz parte das diretrizes previstas na Portaria MTPA nº 574/18, que garantem mais autonomia às autoridades portuárias nos procedimentos licitatórios, além de maximizar a descentralização da administração dos portos organizados.

Também foram entregues os prêmios das categorias Execução dos Investimentos Planejados, Crescimento da Movimentação e Ranking IGAP.

Brasil Export – Gilmara Temóteo esteve presente no Fórum Nacional de Logística e Infraestrutura Portuária Brasil Export, em Brasília, representando o Porto de Cabedelo. O evento começou na segunda-feira (23) e se estendeu até esta terça-feira (24).

O Fórum reuniu as principais lideranças e autoridades do setor logístico e de infraestrutura portuária em uma ampla e abrangente discussão com o objetivo de contribuir com ideias e sugestões para o país continuar avançando.

Continue Lendo

Negócios

Saúde e estética: cirurgia ortognática proporciona qualidade de vida e autoestima para pacientes

Publicado

em

Autoestima, melhorias na saúde e qualidade de vida do paciente. Estes são os resultados da cirurgia ortognática, uma especialidade odontológica para corrigir a mordida, a estética facial e distúrbios, como a apneia do sono, em que há a obstrução parcial ou total das vias aéreas, causando paradas repetidas e temporárias da respiração durante o sono. “O posicionamento inadequado da mandíbula ou da maxila pode prejudicar não só a aparência, mas também aspectos vitais, como funcionamento das articulações Temporomandibulares (ATM), respiração, saúde dos dentes e tecidos adjacentes, além da questão psicossocial, que envolve aspectos psicológicos e sociais. É aí que há a necessidade da cirurgia ortognática”, explica o cirurgião bucomaxilofacial Ruy Veras Filho, da Odontogalerie, em João Pessoa.

O procedimento devolve a função e a estética dos pacientes com deformidades dentofaciais, por meio do reposicionamento dos maxilares. “É uma técnica utilizada para corrigir alterações nos maxilares, conhecidas como deformidades dentofaciais, que podem causar distúrbios na mordida, articulações e respiração. A cirurgia ortognática é um procedimento estético-funcional capaz de restaurar a harmonia facial e a função mastigatória”, explica Ruy.

Segundo ele, a principal indicação é a desarmonia entre o maxilar e a mandíbula. “Caso não haja fatores contra indicativos para realizar o procedimento e já tenha finalizado o processo de maturação óssea, o paciente já pode realizar a cirurgia”, conta Ruy, que pontua os primeiros passos para identificar a necessidade do procedimento. “A análise computadorizada por meio da tomografia em 3D proporciona a previsibilidade dos resultados e a possibilidade de simular diferentes alternativas de tratamento de uma maneira simples e rápida. É um exame de fundamental importância para o planejamento virtual da cirurgia”, explica.

Em seguida, após a indicação pelo cirurgião bucomaxilofacial, é necessário alinhar os dentes com acompanhamento do ortodontista. “Isso é indispensável e deve ser realizado sempre sob o cuidado do ortodontista para ter o encaixe correto quando os maxilares forem reposicionados pela cirurgia. É necessário fazer este preparo ortodôntico, onde o especialista vai descompensar e alinhas os dentes nas bases ósseas e preparar a oclusão do paciente. Já o cirurgião bucomaxilofacial é o responsável por reposicionar os ossos da face de forma que os dentes e os maxilares estejam corretamente alinhados. É um trabalho de equipe”, pontua Ruy.

Pós operatório – Com avaliações e planejamento, o procedimento é realizado em ambiente hospitalar com 24 horas de internação. Segundo Ruy, o pós operatório é sempre acompanhado pelo cirurgião. “Alguns cuidados também deverão ser tomados para garantir uma boa recuperação. Além de medicação específica e boa alimentação, o paciente deverá fazer repouso das atividades por até 10 dias”, explica o profissional.

Para saber mais sobre a cirurgia ortognática e os benefícios para a saúde e estética, a Odontogalerie fica na Avenida Monteiro da Franca, 424 – Manaíra. O telefone é (83) 3031-0055.

Continue Lendo