Nos acompanhe

Paraíba

Educação infantil: crianças em situação de vulnerabilidade serão contempladas com Movimento Abraçar

Publicado

em

Não é só a produção de etanol, biomassa e açúcar que movimentam a rotina da Usina Miriri na Região Metropolitana de João Pessoa em plena safra, mas a vontade de contribuir na formação do caráter de crianças de 1 a 7 anos nas comunidades adjacentes da agroindústria. A empresa mantém uma escola com 100 crianças, um exemplo a ser seguido, através da implantação do Movimento Abraçar, e agora quer estender a iniciativa para mais 10 municípios da zona da mata paraibana, de forma gratuita, e com o apoio da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup).

Uma das etapas para a concretização dessa ferramenta pedagógica, aconteceu nesta quarta-feira (17), com a realização de uma videoconferência com gestores públicos. A apresentação do Movimento Abraçar foi apresentado aos representantes dos gestores públicos paraibanos pelo criador do projeto, professor Carlos Andriani

A videoconferência foi aberta pelo diretor presidente da Usina Miriri, Gilvan Morais Sobrinho que agradeceu a participação dos representantes dos gestores dos 10 municípios e destacou a importância de ajudar na formação das crianças de 1 a 7 anos. “Nossa preocupação é dá o melhor para as pessoas e disponibilizar essa ferramenta pedagógica para o entorno da usina”, destacou.

Para o professor Andriani, a metodologia da amorosidade na escola desde a creche, vem se destacando como idealismo da equipe executora na igualdade de oportunidades, pois a formação do caráter da criança se inicia no berço. “A criança sente e copia as atitudes dos adultos. Isto vai determinar a personalidade quando adulto, e isso é a base de uma nação e valores de uma sociedade”, destacou.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool na Paraíba (Sindalcool), Edmundo Barbosa, o evento representou mais uma contribuição da Miriri Alimentos e Bioenergia para se ganhar tempo no acesso a melhores oportunidades desde a primeira infância, a fim de que as crianças amem estar na escola antes dos três anos.

Na opinião do dirigente do Sindalcool, a valorização do mundo interior da criança através da meditação vai levá-las a crescer com bons sentimentos, mais concentração e foco no desenvolvimento pessoal.

O QUE É – O Movimento Abraçar é uma metodologia pedagógica voltada para a formação ética e moral das crianças de 1 aos 7 anos, e aplicada em creches e nas salas de aulas da educação infantil, paralelamente ao conteúdo didático de cada série, por meio de conteúdos teóricos, mas também com prática da meditação.

A metodologia já foi implantada em vários municípios brasileiros, como Jaboticabal (case de sucesso), Uchoa e São José do Rio Preto em São Paulo, além de Cedros em Pernambuco, mais de dez municípios no Ceará, no entorno de Fortaleza. Os resultados foram a harmonia e redução de violência doméstica e ainda dos indicadores de criminalidade.

Para implantar o Movimento Abraçar o município ao fazer adesão à iniciativa, precisa ter um projeto de lei aprovado e para a execução não é preciso gastar sua verba pública, pois é oferecido em sistema de parcerias como a da Miriri Alimentos e Bioenergia.

O movimento foi desenvolvido pelo professor Carlos Andriani, que defende que o ser humano deve ser acolhido e estimulado a realizar a sua essência até os sete anos de idade, etapa em que se formam conexões neuronais. O projeto existe há 16 anos, e teve início em Campinas-SP com o atendimento de até 600 crianças na creche Monte Cristo, situada em um bairro violento e socialmente vulnerável.

Baseado nos cinco valores da essência humana (amor, paz, verdade, ação correta e não violência), tem o objetivo de educar seres humanos melhores e com capacidade para desenvolver todas suas qualidades positivas, tornando melhor a vida em sociedade.

O Movimento Abraçar é executado pela Associação Douglas Andreani (ADA) em homenagem ao pai do idealizador, Douglas Andreani que praticou filantropia na comunidade que viveu.

O movimento busca a união da sociedade para a transformação social a partir da criança e Andriani definiu como missão “contribuir para que os prefeitos garantam uma educação infantil universal e voltada para a formação do caráter das crianças com base nos valores humanos, o que se fará mediante lei municipal que preveja a preparação dos professores e um plano de atendimento de 100% da demanda em creches e pré-escolas”, adiantou, para garantir a igualdade de oportunidades.

Ao defender a metodologia para os alunos na infância, Andriani destacou que esta fase está diante de uma janela de oportunidade única para a formação do caráter que irá dirigir as habilidades e conhecimentos do adulto. “A formação dos valores antecede a fase de alfabetização da criança. O bebê nasce sem mente e com a capacidade de aprendizagem, de seleção de temas para colocar atenção. A rede neuronal vai se desenvolvendo a partir de uma base de 86 bilhões de neurônios e tem um pico de sinapses na fase dos três anos de idade”, defendeu.

Para o professor esta rede neuronal estará bem desenvolvida até a fase dos sete anos de idade, quando a criança já compara as situações vividas com relação às experiências boas ou ruins do passado. “Desta forma, na fase infantil, a criança guarda seus referenciais de vida com tinta de fogo, ou seja, com muita emoção e com pouca referência da racionalidade”, disse.

Participaram ainda da videoconferência, educadores da prefeitura de Jaboticabal que contaram com o apoio do então prefeito Perina, além de servidores da prefeitura de Campinas e outras cidades onde já foi implantada a metodologia do Projeto Abraçar.

Continue Lendo

Paraíba

Cabo Gilberto acusa Governo Estadual de diminuir poder de fogo de seguranças no presídio PB1

Publicado

em

O deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL), postou um vídeo em suas redes sociais dirigindo críticas ao Governo do Estado da Paraíba pelo descaso com o qual trata o setor da Segurança Pública.

De acordo com o parlamentar, os presídios instalados no território paraibano estão precisando de atenção urgente.

O parlamentar afirma que o Governo do Estado, ao invés de aparelhar ainda mais o sistema de segurança dos presídios, diminuiu o poder de fogo dos profissionais da Segurança Pública que trabalham nas guaritas do Presídio PB1, localizado na região Metropolitana da de João Pessoa.

Clique no player abaixo e confira a íntegra do vídeo publicado pelo parlamentar:

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gilberto Silva (@cabogilbertosilva) em

Continue Lendo

Paraíba

Cabo Gilberto Silva convoca paraibanos para apoiamento à criação do Partido Aliança pelo Brasil

Publicado

em

O deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL) postou um vídeo em suas redes sociais convocando a todos os paraibanos para colaborarem com assinaturas em fichas de apoiamento ao projeto de criação do partido Aliança Pelo Brasil, encabeçado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os filhos Flávio Bolsonaro e Jair Renan Bolsonaro.

De acordo com as informações do Cabo Gilberto, no dia 31 de outubro, um ponto de apoio para coleta de assinaturas na Paraíba será aberto na Avenida Argemiro de Figueiredo, 2027, sala 01, bairro do Bessa, em João Pessoa.

Assinaturas de apoiamentos vindos de outros municípios deverão ser encaminhados para a Caixa Postal 8005.

Confira o vídeo postado pelo parlamentar sobre o assunto:

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gilberto Silva (@cabogilbertosilva) em

Continue Lendo

Paraíba

MPPB celebra TAC que obriga Município de Princesa Isabel a empossar aprovados em concurso

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba celebrou um termo de ajustamento de conduta para que o Município de Princesa Isabel emposse, em até 45 dias, os aprovados no último concurso público, dentro do número de vagas previstas no edital. De acordo com a promotora de Justiça, Maria Socorro Lemos Mayer, o compromisso estabelecido tem por objeto atender ao princípio constitucional da obrigatoriedade da contratação de servidores concursados, bem como cessar a ilegalidade dos contratos temporários.

O TAC foi celebrado, nessa quinta-feira (22/10), a partir do procedimento administrativo 049.2020.000.056, instaurado pela Promotoria de Justiça de Princesa Isabel para apurar a situação dos contratos temporários e a efetivação do concurso público. Além da promotora Maria Socorro Lemos Mayer, assinaram o  compromisso o prefeito Ricardo Pereira do Nascimento e a procuradora jurídica do Município, Edineide Pereira da Silva.

De acordo com o MPPB, o concurso para a nomeação de servidores efetivos no Município foi homologado em novembro de 2019, mas servidores continuaram contratados por excepcional interesse público para o desenvolvimento de funções permanentes da administração, “em nítida ilegalidade, conforme dados extraídos do Sagres Online (sistema do Tribunal de Contas da Paraíba – TCE), valendo da contratação temporária para necessidades permanentes, mantendo por esse vínculo profissionais de demanda perene”.

Além do prazo de 45 dias para a posse dos aprovados no número de vagas, “ficando a nomeação dos excedentes à discricionariedade da adminsitração, segundo os critério de oportunidade de conveniência”, o TAC obriga o gestor a encaminhar ao Ministério Público até o dia 15 de fevereiro os documentos que comprovam a exoneração dos servidores contratados ilegalmente, bem como da nomeação dos aprovados.

Após o cumprimento do TAC, a Prefeitura também se obriga a somente realizar contratações temporárias que atenda aos requisitos previstos na Constituição Federal, com comunicação ao MPPB, e sendo precedidas de processo seletivo simplificados realizado com ampla divulgação. O não cumprimento das obrigações implica em multa pessoal cominatória ao representante do Município equivalente a R$ 50 mil, acrescida de R$ 1 mil por dia de atraso.

Clique aqui e confira a íntegra da TAC

Continue Lendo