Nos acompanhe

Negócios

“Live de Cinema” do Cine Aruanda traz a atriz e diretora Bárbara Paz e com mediação do Lúcio Vilar

Publicado

em

Nesta quinta-feira, 30, às 17h, o Projeto de Extensão Universitária Aruandando no Campus (UFPB), realiza mais uma ‘Live de Cinema’, desta vez com a atriz e diretora Bárbara Paz, e mediação do professor e diretor da 15ª edição do Festival Aruanda, Lúcio Vilar.

Bárbara Paz é atriz, diretora, escritora e produtora. Se formou pela Escola de Teatro Macunaíma e pelo Centro de Pesquisa Teatral CPT de Antunes filho e atualmente faz parte do grupo TAPA;. No teatro, trabalhou em mais de 25 peças, protagonizando espetáculos de Oscar Wilde a Tennessee Williams. Em 2013, pela sua trajetória como atriz, recebeu do Ministério da Cultura a Medalha Cavaleiro 2013, Honra ao Mérito Cultural do Ministério da Cultura. Bárbara, que também é contratada da TV Globo, onde participou de diversas séries e novelas.

Apresenta o programa A Arte do Encontro, no Canal Brasil, onde conversa com grandes nomes do cenário artístico brasileiro. No cinema, como atriz participou de vários longas e curtas-metragens incluindo Meu amigo Hindu, último filme de Hector Babenco ao lado de Willem Dafoe.

Como diretora adentrou o universo dos curtas-metragens, produzindo e dirigindo programas e filmes. O Documentário “Babenco – Alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou” é seu primeiro longa-metragem que teve sua estreia no festival de Veneza e ganhou o prêmio de melhor documentário na competição oficial Venice Classics e também o prêmio da crítica independente ‘Bisato D’oro’.

As ‘Lives de Cinema’ são realizadas todas as quintas-feiras e já teve como convidada a jornalista e crítica de cinema Maria do Rosário Caetano, os cineastas Eliézer Rolim e Edson Lemos, a cineasta Susanna Lira, a atriz Mayana Neiva e o ator Bukassa Kabengele.

E seguem abertas as inscrições para o 15º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Podem o ser feitas até o dia 11 de agosto em plataforma especial no site oficial do festival (www.festaruanda.com.br).

Serviço:

15ª Edição do Fest Aruanda

Data: de 3 a 10 de dezembro

Inscrições e informações: www.festaruanda.com.br e Instagram: @festaruanda

Local: Cinépolis (Manaíra Shopping)

Podcast: https://open.spotify.com/show/17ptpdngqnnU9I1KqicHPp?si=EbTm2vWDQ3WIRb2ySUtMFA

Continue Lendo

Negócios

Unimed JP se firma como referência em promoção do conhecimento científico contra a Covid-19

Publicado

em

Mais de dois mil profissionais da saúde de todo o Brasil estiveram conectados nesse sábado (1) em torno de um único propósito: conhecer e compartilhar aprendizados e experiências em relação ao enfrentamento à covid-19. O feito foi promovido e realizado pela Unimed João Pessoa por meio do Simpósio “Enfrentamento da Covid-19: do Desafio às Conquistas”, transmitido pelo canal exclusivo da operadora no Youtube, de forma gratuita e online.

O Simpósio contou com palestras de 20 especialistas convidados, como infectologistas, pneumologistas, pediatras, anestesistas, nefrologistas, cirurgiões e enfermeiros. Na abertura, o Simpósio recebeu o secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio.

Ao longo do evento, que durou todo o dia, foram debatidos desde o planejamento até os protocolos que são adotados pela instituição, bem como o impacto das terapias implantadas e que tiveram grande êxito no combate ao novo coronavírus em João Pessoa.

“O evento atendeu seu objetivo, que foi de transmitir conhecimento científico e prático dos envolvidos. Este simpósio inicia um novo momento. Agora, a Unimed João Pessoa participa ativamente da promoção do conhecimento científico no combate à covid-19”, analisa o diretor científico do evento, Gilvandro Lins. Para o coordenador do Núcleo Estratégico de Enfrentamento à Covid-19 da Unimed JP, Petrúcio Sarmento, o evento foi primoroso tanto no conteúdo de alta qualidade, quanto no formato, online e rigorosamente pontual. “A revolução de podermo s fazer um evento deste porte, transmitido com qualidade pela internet, nos surpreende assim com a qualidade científica dos palestrantes. Parabenizo os palestrantes e a organização, e agradeço a direção da Unimed João Pessoa por ter conseguido fazer um evento deste porte na nossa instituição”, pontuou.

Para o presidente da Unimed JP, Gualter Ramalho, este também marcou um novo tempo da cooperativa. “A Unimed João Pessoa saiu na frente e marca agora um novo tempo. Os profissionais que estiveram aqui respiram ciência, e a Unimed JP trouxe para a prática muitas inovações para os nossos clientes. Foi excelente conseguirmos compartilhar tudo isso. Parabéns a todos os envolvidos!”, avaliou o presidente.

Com 48 anos de tradição, o trabalho de excelência realizado pela Unimed João Pessoa durante a pandemia tornou a Cooperativa uma referência no enfrentamento à covid-19. A Unimed JP empregou todas as tecnologias pioneiras, informação e protocolos que outros lugares do mundo utilizaram e nossos resultados são comparáveis aos de qualquer outro grande centro. Além de mais de 1,7 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado.
Outras informações:

Instagram: @unimedjoaopessoa e @simposiocovidjoaopessoa

LinkedIn: /company/unimed-joao-pessoa

Facebook: /unimedjoaopessoa

Twitter: @unimed_jp

Continue Lendo

Negócios

Energisa entrega obra que aprimora fornecimento de energia no distrito industrial de João Pessoa

Publicado

em

Em meio a todas as limitações provocadas pela pandemia do Covid-19, os paraibanos puderam ficam em casa na certeza que poderiam contar com uma energia de qualidade. Além de manter a manutenção e prestação de todos os serviços, a Energisa continuou com as obras e investimentos programados para 2020 na Paraíba. Recentemente, a Distribuidora concluiu a obra de melhorias na Subestação do Distrito Industrial de João Pessoa, já em pleno funcionamento.

“Ao todo, foram investidos mais de R$ 1,2 milhão no projeto que aprimorou a subestação localizada no Distrito Industrial, com sua reforma e ampliação da potência instalada, garantindo uma maior confiabilidade no sistema, qualidade da energia e continuidade de fornecimento com ainda menos riscos/possibilidades de interrupções”, conta Danielly Formiga, gerente de construção e manutenção da distribuição da EPB. A obra beneficia diretamente cerca de 10 mil clientes dos bairros do Distrito industrial, Jardim Veneza, zona rural de João pessoa e Santa Rita, Vieira Diniz, Cidade Verde e bairro das Indústrias.

Além dos clientes residenciais, a obra de expansão na Subestação Distrito Industrial vai beneficiar diretamente o abastecimento de energia da Cagepa Mubamba, empresas e espaços públicos localizados nos bairros acima citados. “O investimento na Subestação Distrito Industrial também gera a possibilidade de novos empregos diretos e indiretos, uma vez que a obra permite a expansão dos negócios da região, garantindo o desenvolvimento do polo industrial de João Pessoa e fazendo girar a economia do Estado”, comenta Danielly.

Ainda em este ano, a Energisa vem trabalhando na construção da Subestação Altiplano, em João Pessoa; Linha de Transmissão Coremas / Sousa no alto sertão da Paraíba; reformas na Subestação Cristo – JP e Subestação na cidade de Cajazeiras/PB, entre outros investimentos que juntos somam R$ 31.192.454,36 em obras no sistema de transmissão de energia da Paraíba a serem concluídas até dezembro de 2020.

Confira abaixo fotos da Subestação da Energisa:

 

Continue Lendo

Negócios

TJPB julga inconstitucional lei que prevê plantio de árvores por concessionárias de veículos

Publicado

em

A Lei nº 11.878/2010 do Município de João Pessoa, que prevê o plantio de árvores por empresas concessionárias de veículos foi declarada inconstitucional pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba. A norma foi questionada pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Estado da Paraíba (Sincondiv/PB). O relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 0804153-25.2018.8.15.0000 foi o desembargador Oswaldo Trigueiro do Valle Filho.

A parte autora sustenta que a lei impugnada, ao dispor acerca da obrigatoriedade do plantio de árvores por empresas concessionárias de veículos novos e seminovos, afronta o artigo 7º, §2º, incisos VI e VIII, da Constituição Estadual, pois os municípios são absolutamente incompetentes para legislar sobre a proteção ao meio ambiente. Enfatiza, ainda, que “não há qualquer lei da União a amparar a pretensão municipal, pesando aí evidenciar que de igual modo inexiste lei estadual e ainda que esta última existisse, seria inconstitucional em razão da limitação contida no §4º do artigo 7º da Constituição Estadual”.

Já o Município de João Pessoa defendeu a constitucionalidade da lei questionada. Argumenta que há interesse local na promoção e proteção ao meio ambiente na Cidade de João Pessoa, uma vez que os automóveis comercializados nesta Capital aqui circularão poluindo, assim, o meio ambiente local. Sustenta que a plantação de árvores imposta aos que obtém lucro com a venda do automóvel atenuará a poluição gerada na Cidade, além de outros benefícios ambientais e urbanísticos.

O texto da lei dispõe que ficam as empresas concessionárias de veículos zero km e seminovos, obrigada ao plantio de: uma árvore para cada veículo zero km, vendido de até 1.000 cilindradas; duas árvores para cada veículo zero km, vendido com potência maior que 1.000 cilindradas até 2.000 mil cilindradas; três árvores para cada veículo zero km vendido com potência superior a 2.000 mil cilindradas; e quatro árvores para cada caminhão, ônibus ou máquina agrícola zero km vendido.

O relator do processo destacou que a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal reconheceu aos municípios a competência para legislar sobre direito ambiental quando se tratar de assunto de interesse predominantemente local. No entanto, a questão relativa à emissão de gases poluentes pelos veículos não pode ser compreendida como de interesse estritamente local, o que afasta a competência Municipal.

“Com efeito, a lei municipal questionada causa embaraços comerciais, além de colocar as empresas locais em desvantagem comercial em relação às situadas em cidades circunvizinhas que não têm que cumprir a mesma obrigação. Ademais, a questionada lei, ao estabelecer que para cada carro “novo” comercializado há que se plantar árvores, fere o princípio da razoabilidade e da isonomia, excluindo da obrigação de proteção ao meio ambiente às concessionárias que promovem vendas de veículos usados que igualmente são fontes emissoras de dióxido de carbono em proporções até maiores”, afirmou o desembargador Oswaldo Filho.

Da decisão cabe recurso.

Confira, aqui, o acórdão.

Continue Lendo