Nos acompanhe

Negócios

Em tempos de pandemia, saiba como é administrar o maior hospital privado da Paraíba

Publicado

em

Administrar um hospital em situações “normais” é uma tarefa complexa. Fazer isso enquanto o mundo passa pela pandemia de covid-19, considerada uma das maiores da história da humanidade, é muito mais desafiador. Exige estratégia, estrutura e bons profissionais. E quanto maior a instituição, maiores os desafios. Essa é a realidade do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, unidade própria da Unimed João Pessoa, referência em alta complexidade e no tratamento aos clientes infectados pelo novo coronavírus.

O gestor de Serviços Hospitalares da Unimed JP, Cleiton Moradillo, disse que, apesar da experiência em administrar hospitais, fazer isso durante a pandemia está sendo diferente e desafiador. “Nem nós administradores, nem os médicos, nem pacientes. Ninguém tinha passado por um momento como este. Então, salvar vidas neste momento está sendo desafiador”, comentou.

Cleiton explicou que um hospital é a unidade mais complexa que existe para a administração. Além da prestação do serviço em saúde em si, que é do conhecimento comum, existem muitas outras atividades. “Um hospital é uma ‘cidade’ com bombeiros, padeiros, seguranças, lavanderia. Tudo feito de modo exclusivo com a linguagem hospitalar. Temos que raciocinar e agir para tomadas rápidas de decisão, pois a vida das pessoas depende disso”, afirmou.

PROVIDÊNCIAS

Logo que surgiu o primeiro caso suspeito de contágio pelo novo coronavírus no Brasil, uma das primeiras providências adotadas no Alberto Urquiza Wanderley, que é o maior hospital privado da Paraíba, foi criar o Núcleo Estratégico de Enfrentamento à covid-19 e elaborar um plano emergencial. O desafio era fazer com que os serviços oferecidos continuassem funcionando – garantindo qualidade no atendimento, insumos e medicamentos necessários e segurança e saúde para os colaboradores, médicos e clientes – e colocar em prática os novos protocolos e fluxos para lidar com a covid-19.

O Hospital Alberto Urquiza foi, praticamente, transformado em duas unidades dentro do mesmo prédio. Isso foi feito para que pacientes com confirmação ou suspeita de covid-19 possam ser atendidos da melhor forma e as pessoas com outras enfermidades também recebam assistência. E deu certo. Nos últimos três meses, foram atendidas presencialmente mais de 14 mil pessoas no Hospital Alberto Urquiza. Metade com sintomas gripais.

Para garantir a segurança, as equipes de atendimento, os locais de internação e observação e os elevadores, por exemplo, foram separados para “pacientes covid-19” e “pacientes não-covid-19”. A gestão também teve o cuidado de envolver as equipes, de todos os níveis hierárquicos, com os processos. Os fluxos e protocolos foram amplamente divulgados e os profissionais treinado para colocá-los em prática. Além da equipe de saúde, os colaboradores administrativos – que cuidam da alimentação, da limpeza e da segurança, por exemplo – também precisam saber como agir, nas mais diversas situações, de forma rápida, segura e assertiva.

INOVAÇÃO

O hospital também inovou e investiu em tecnologia e novas terapias. No mês passado, começou a utilizar uma plataforma robótica para auxiliar no tratamento de clientes infectados com o novo coronavírus.

O Alberto Urquiza também foi pioneiro no Nordeste em duas iniciativas: na utilização do plasma convalescente no tratamento da covid-19; e no uso de cateter nasal de alto fluxo, um tipo de oxigenoterapia feita de forma não invasiva, no próprio apartamento, deixando o paciente mais confortável d o que qu ando usa máscaras e capacetes. Além disso, oferece ainda a tomografia por bioimpedância elétrica, que permite a visualização dos melhores parâmetros respiratórios sem a necessidade de deslocar o doente do leito.

ESFORÇOS

Cleiton Moradillo destacou que a Unimed JP, que é o maior plano de saúde da Paraíba, não está medindo esforços para salvar a vida dos pacientes. Desde o início da pandemia, já foram mais de 500 pacientes com covid-19 recuperados. “Nosso objetivo maior é salvar vidas e, apesar de não medirmos esforços para isso, é preciso administrar o hospital de maneira que ele possa continuar atendendo ao paciente, considerando, inclusive, os aspectos financeiros”, disse.

Todo esse trabalho gera segurança e, consequentemente, confiança. “O Alberto Urquiza continua sendo o maior e mais confiável hospital particular do Estado. A estrutura, o corpo clínico, os profissionais do hospital têm credibilidade. Quando o paciente nos procura, ele sabe que terá o atendimento completo garantido, com a segurança que ele espera”, garantiu Moradillo.

DIA DO HOSPITAL

Esses são bons motivos para os paraibanos celebrarem nesta quinta-feira (2), mesmo em meio à pandemia, o Dia do Hospital. A Unimed João Pessoa administra dois hospitais próprios. Além do Alberto Urquiza Wanderley, tem também o Moacir Dantas, que é referência em atendimento pediátrico.

Os clientes do plano de saúde contam ainda com outras unidades hospitalares bem estruturas na rede de atendimento credenciada para colocar em prática a filosofia do Sistema Unimed: um jeito especial de cuidar, independentemente dos desafios impostos por qualquer situação circunstancial, como a pandemia de covid-19.

Outras informações
Instagram: @unimedjoaopessoa
LinkedIn: /company/unimed-jo-o-pessoa
Facebook: /unimedjoaopessoa
Twitter: @unimed_jp
Site: www.unimedjp.com.br/cliente/

Continue Lendo

Negócios

Pesquisa do Procon-JP encontra diferença de R$ 50,00 no preço do exame para detectar Covid-19

Publicado

em

Pesquisa de preços para exames que detectam a Covid-19 realizada pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor registrou uma diferença de R$ 50,00 em sorologia, com preços entre R$ 250,00 (Hemato – Cidade Universitária; Análises – Bancários e Roseane Dore – Manaíra) e R$ 300,00 (Lacle – Manaíra).

O levantamento do Procon-JP também traz o preço do hemograma completo, que mostra a maior variação, 100%, com preços oscilando entre R$ 10,00 (Emma – Mangabeira e Labore (Jaguaribe) e R$ 20,00 (Hemato – Cidade Universitária e Lacle – Manaíra), uma diferença de R$ 10,00. A pesquisa foi realizada no dia 11 de agosto em sete laboratórios da Capital, levantando preços de 6 tipos de exames.

A secretária Maristela Viana chama a atenção do consumidor que precisa realizar esses exames para ficar atento aos preços porque há diferenças significativa. “A pesquisa do Procon-JP indica onde realizar esses exames mais baratos. Como listamos sete locais, a pessoa pode verificar o que mais lhe é conveniente”.

Mais diferenças – As maiores diferenças foram encontradas no PCR, R$ 40,00, com preços entre 280,00 (Labore – Jaguaribe) e R$ 320,00 (Lacle – Manaíra e Laboratório Maurício de Almeida); teste rápido, R$ 20,00, com preços entre R$ 220,00 (Análisis – Bancários) e R$ 240,00 (Lacle – Manaíra).

Os locais – A pesquisa do Procon-JP levantou preços nos seguintes locais: Policlínica Emma (Mangabeira), Labore (Jaguaribe), Hemato (Cidade Universitária), Análisis (Bancários), Maurílio de Almeida (Centro); Lacle (Manaíra) e Roseane Dore (Manaíra).

Para acessar a pesquisa completa clique aqui ou acesse o portal da Prefeitura de João Pessoa – www.joaopessoa.pb.gov.br e www.proconjp.pb.gov.br

Continue Lendo

Negócios

Jampa Saúde Indoor: Instagram da Unimed JP conta com treinos funcionais para fazer em casa

Publicado

em

Os benefícios da atividade física são inúmeros para a saúde e a qualidade de vida. Os especialistas recomendam exercícios para melhorar o sistema imunológico, se proteger e combater doenças crônicas. E, por isso, manter-se ativo é ainda mais importante em tempos de pandemia.

Pensando na saúde e no bem-estar de todos, a Unimed João Pessoa está com novidade para quem quer fazer atividade física sem sair de casa: o Jampa Saúde Indoor. Agora, todas as segunda-feiras será divulgado no Instagram @unimedjoaopessoa um vídeo com exercícios funcionais para combater o sedentarismo. O vídeo vai ser divulgado por meio do recurso do “stories” e ficará salvo no “Destaque” da rede social, para quem quiser conferir depois.

Treino simples- Quem vai comandar a atividade física do Jampa Saúde Indoor é o profissional de educação física, Claudiney Fortes. O professor elaborou um treino funcional simples para ser praticado por qualquer pessoa no conforto e segurança da casa. “Vou ensinar as pessoas se exercitarem em casa. E a única coisa que você precisa é de uma roupa leve”, disse.

Sobre a Unimed JP – Com 48 anos de tradição, a Unimed João Pessoa é uma cooperativa de trabalhos médicos que se consolidou como a melhor e maior operadora de planos de saúde da Paraíba. Além de mais de 1,7 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado. São diversos hospitais credenciados, sendo dois próprios – um deles referência em alta complexidade -, além de clínicas, prontos-socorros e laboratórios à disposição dos mais de 147 mil clientes. Tudo isso garante à Unimed JP a liderança absoluta no segmento de saúde suplementar no mercado paraibano. Acesse&nbsp ;www.unimedjp.com.br

Outras informações:

Instagram: @unimedjoaopessoa

LinkedIn: /company/unimed-joao-pessoa

Facebook: /unimedjoaopessoa

Twitter: @unimed_jp

Continue Lendo

Negócios

Viúva de autor do hino popular do Botafogo-PB processa clube e cobra R$ 500 mil de indenização

Publicado

em

A viúva de Jader Pordeus, autor do hino popular, o mais famoso do Botafogo-PB, entrou com uma ação judicial contra o clube por uso indevido da obra do seu marido na apresentação oficial do elenco do Belo em um shopping de João Pessoa em dezembro de 2019. No processo movido por danos morais e materiais, a senhora Estelita dos Santos Pordeus, pede uma indenização de R$ 500 mil ao alvinegro da estrela vermelha.

De acordo com o processo, dado entrada em dezembro de 2019, a diretoria do Botafogo utilizou sem qualquer autorização do herdeiros do autor do hino uma versão modificada da marchinha que ficou popularmente conhecida como hino do Belo.

“Em recente apresentação do Clube, ocorrido em um shopping desta capital, no dia 09/12/2019, fora apresentado este hino com severas modificações, sem que existisse qualquer autorização por parte da família do Sr. Jader, vez que estes agora são os detentores do direito do hino por ele criado. O clube, por livre vontade, substituiu onde consta ‘tricolor’ por ‘alvinegro’, frise-se, sem qualquer autorização da viúva/autora. Esta mudança veio a abalar profundamente o psicológico da Autora, que sempre prezou pela honra e memória do seu esposo, que tanto tinha orgulho por ter elaborado tal hino”, afirma no processo os advogados da família do autor.

Ainda de acordo com a ação judicial, tanto a viúva de Jader Pordeus, quanto os demais herdeiros, estão recebendo várias ligações, insistentemente sendo procurado por atuais dirigentes do clube para que autorize a mudança, sofrendo, inclusive, pressões psicológicas, que caso não autorize, vão mudar o hino oficial.

“A requerente é pessoa idosa, que busca honrar e guardar o legado deixado por seu marido, apaixonado pelo clube paraibano, que deixou como maior herança um belíssimo hino ao time que torcia, e a autora não cederá às constantes investidas feitas pelos dirigentes que não zelam pela história do clube”, enuncia a ação.

No processo, a família de Jader Pordeus pede uma indenização por danos morais de R$ 500 mil e uma outra por danos materiais, por terem se apropriado, modificado e veiculado uma versão do hino feito por ele sem autorização dos detentores dos direitos autorais, mas essa indenização a ser definida pelo juiz.

A diretoria do Botafogo-PB tem conhecimento da ação desde o início deste ano, mas permaneceu em silêncio sobre o caso. Inclusive, o fato do presidente Sérgio Meira ter autorizado que torcedores falassem em nome do clube, em mais uma episódio de amadorismo, prejudicou ainda mais o clube nessa aventura jurídica.

A audiência foi marcada para ser realizada no dia 30 de março, porém, por conta da pandemia, a Justiça da Paraíba decidiu proceder com o adiamento, e ainda não foi definida nova data.

O Botafogo Futebol Clube, que vive situação financeira delicada, tendo que assumir com custos variados dos erros administrativo, decisões falhas no departamento de futebol, pode ter que arcar com mais uma dívida por puro amadorismo e falta de experiência da diretoria executiva.

Continue Lendo