Nos acompanhe

Negócios

Agência de viagens coloca João Pessoa como 2º destino brasileiro mais procurado no pós-pandemia

Publicado

em

O Hurb (antigo Hotel Urbano), agência online de viagens, preparou uma lista com seis destinos nacionais mais em conta para viajar quando a retomada for segura e consciente. Especialistas do setor já revelaram que a volta do turismo pós-coronavírus será por viagens domésticas e que, em um primeiro momento, elas devem durar períodos mais curtos e ocorrerão para lugares mais próximos de casa.

Desde o início de junho, com a flexibilização do isolamento social em algumas cidades, o setor comercial da empresa observou um aumento nas buscas por reservas de hotéis ainda para o segundo semestre de 2020, especialmente para lugares onde o viajante pode ir de carro. Os destinos de praia estão entre os preferidos dos brasileiros e elencam, em maioria, a relação dos mais econômicos.

A começar por Salvador, capital baiana muito famosa por seu carnaval. Indo fora desta época, o custo da viagem fica mais baixo. A cidade tem passeios a preços acessíveis e até gratuitos, onde é possível conhecer cartões-postais como o Pelourinho, o Elevador Lacerda, o Farol da Barra e a Igreja do Bonfim. O Mercado Modelo é uma alternativa de quem está com o orçamento apertado para comprar lembrancinhas de presente. Com muitas opções de alimentação, é possível fazer boas refeições a R$30.

O segundo destino indicado é João Pessoa, na Paraíba. Além das praias, há algumas atrações disponíveis gratuitamente, como o Centro Cultural São Francisco e a Casa dos Azulejos. Jampa também tem bons hotéis econômicos e dá para comer bem na cidade gastando pouco. No Mercado de Artesanato Paraibano, o viajante encontra produtos de qualidade a preços variados.

O Hurb aponta ainda Ubatuba, em São Paulo, como um destino turístico barato. A capital do surfe tem mais de 100 praias, além de trilhas pela Mata Atlântica que levam a cachoeiras imperdíveis. Ou seja, Ubatuba é daqueles destinos possíveis de visitar com um orçamento curto, afinal não é preciso muita grana para conhecer as belezas naturais do município. Ubatuba também abriga comunidades caiçaras, indígenas e quilombolas, o que proporciona uma imersão na cultura brasileira sem gastar uma fortuna.

O quarto destino da lista é Cabo Frio, no Rio de Janeiro, vizinho de Arraial do Cabo e Búzios. Os preços em Cabo Frio são mais atraentes que nos outros dois balneários. Quanto à hospedagem, a diária em uma pousada 3 estrelas, com café da manhã, fica em torno de R$130 na baixa temporada e há opções de hostels ainda mais em conta. Além disso, a cidade tem muitos restaurantes com pratos que não pesam no bolso e é possível fazer um passeio diferente a preço baixo: o trajeto de ida e volta à Ilha do Japonês custa em torno de R$20 por pessoa.

Caldas Novas, em Goiás, uma das maiores estâncias hidrotermais do mundo, é o quinto destino da lista. Seus grandes atrativos são os parques aquáticos, mas há pontos turísticos incríveis e mais econômicos, como o Lago Corumbá e o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, que, inclusive, atraem os amantes do ecoturismo. Este último com entrada a R$10 por adulto. A cidade tem um centrinho com opções de bares, restaurantes e lojinhas para comprar lembranças a preço justo.

A sexta indicação do Hurb é Curitiba, no Paraná. A capital tem uma excelente infraestrutura hoteleira, sendo possível encontrar a diária em bons hotéis 3 estrelas a R$110. Repleta de vilas gastronômicas, parques e praças, em Curitiba, há passeios para quem busca lugares instagramáveis, porém sem gastar muito, como o Jardim Botânico, com entrada gratuita. Um bom investimento para o viajante que vai à cidade é pegar o ônibus da Linha de Turismo de Curitiba, com um roteiro que passa por 24 atrações. O tíquete com validade de 24 horas custa R$50. O turista acaba gastando menos que em outros destinos do sul e, ainda assim, a viagem não deixa a desejar.

O Hurb oferece diariamente mais de 400 mil opções de hotéis e pousadas espalhados por todo o mundo, sendo mais de 9 mil apenas no Brasil. Além disso, registra mais de 6 mil reservas ao dia, em 6.500 destinos mundo afora.

Continue Lendo

Negócios

Procons assinam nota técnica sobre procedimentos na rede privada de ensino

Publicado

em

Proibição de matrícula condicionada à venda do material didático vinculado à instituição de ensino e podendo ser entregue de forma fracionada ao longo do ano letivo, entre outras orientações, é o teor da Nota Técnica conjunta assinada, nesta quinta-feira (21), por todos os procons da Região Metropolitana de João Pessoa e dirigida às escolas da rede privada. Assinam o documento os Procons da Paraíba, João Pessoa, Bayeux, Cabedelo e de Santa Rita.

De acordo com Rougger Guerra, secretário do Procon-JP e relator do documento, este pode ser considerado um momento especial porque se trata de uma inovadora união de forças dos órgãos que compõem o sistema de proteção e defesa do consumidor no Estado. “É uma reunião de esforços de todos os procons envolvidos em uma exemplar ação conjunta e o Procon-JP teve a honra de redigir esta primeira nota técnica que envolve todos órgãos da Região Metropolitana”.

O documento preenche uma lacuna nesse segmento porque dispõe de questões que dizem respeito às preocupações rotineiras dos pais de alunos da rede privada de ensino, tratando de temas como a desvinculação entre a matrícula e a compra do material didático/pedagógico (aquele que é oferecido pela própria instituição como cadernos e apostilhas) e a possibilidade de fragmentação na aquisição desse material na medida da necessidade do aluno. A proibição se estende também às atividades que não estão incluídas na anuidade escolar e, portanto, são opcionais (extracurriculares).

Plataforma digital e apostilhas – A nota técnica também pontua que a escola deve possibilitar a compra fragmentada do material didático em conformidade com o plano pedagógico orientador das práticas educacionais durante o ano letivo. Outro ponto abordado no documento trata do valor da anuidade escolar, que não deve contemplar o preço das apostilhas físicas ao acesso à plataforma digital, cujo pagamento deve ocorrer de forma individual e paralela por serem juridicamente distintos.

Descontos – O documento assinados pelos procons da Região Metropolitana recomenda, ainda, que a escola deverá ofertar descontos ou outras facilidades no pagamento do material didático para quem o adquirir em compra única. Está previsto também que, em caso de desistência da matrícula antes do início das aulas, o aluno ou responsável terá direito à devolução integral do valor pago pelo material didático-pedagógico. Nesse caso, se ressalvam as despesas administrativas, que devem ser justificadas pela escola.

Sustentabilidade ambiental – Outra questão prevista no documento é sobre a promoção da sustentabilidade ambiental e a educação financeira referente às famílias, prevendo que as escolas devam possibilitar a obtenção e precificação individualizada do material didático impresso e o acesso à plataforma educacional digital, permitindo que os pais reaproveitem o material físico de um ano para outro, a não ser que haja a impossibilidade em razão das atualizações e/ou modificações. Nesse caso, a escola deve justificar essa impossibilidade de reaproveitamento das apostilhas ou cadernos.

Continue Lendo

Negócios

MPPB ajuíza ação contra farmácia por venda de álcool em gel com preço abusivo

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) ajuizou uma ação civil pública de obrigação de fazer contra a Farmácia Menor Preço localizada no centro do município de Bayeux, na Grande João Pessoa, e contra o representante legal do estabelecimento pela comercialização, durante o período mais crítico da pandemia da covid-19 em 2020, de álcool em gel 70% com preço abusivo. A ação ajuizada pela 5ª promotora de Justiça de Bayeux que atua na defesa do consumidor, Fabiana Lobo, requer a condenação da empresa ao pagamento de multa e indenização pelo dano coletivo sofrido pelos consumidores no valor não inferior a R$ 20 mil reais, a ser revertida para o Fundo Estadual de Direitos Difusos.

Conforme explicou a promotora de Justiça, a ação civil pública é um desdobramento do inquérito civil público (nº 013.2020.000518), instaurado a partir de um ofício do Procon do Município de Bayeux, informando a realização de inspeção na Farmácia Menor Preço, no dia 17 de março do ano passado, após recebimento de denúncia. Na ocasião, o órgão de defesa do consumidor constatou que, durante a pandemia de covid-19, o estabelecimento comercializava álcool em gel de 400ml pelo valor de R$ 29,95, quando antes custava R$ 13,00. A diferença representa um aumento de 130%. Em face disso, foi lavrado auto de infração, tendo sido remetidas cópias à Promotoria de Justiça para adoção de providências na esfera cível.

Segundo Fabiana Lobo, paralelamente ao processo administrativo do Procon de Bayeux, tornou-se necessária a reparação ao dano coletivo causado pela empresa aos consumidores, pela venda de produto álcool em gel 70%, no período de pico da pandemia mundial, com valor abusivo. A empresa foi notificada, na esfera extrajudicial, para que prestasse informações, mas não se manifestou.

Código de Defesa do Consumidor

A representante do MPPB esclareceu também que o Código de Defesa do Consumidor (CDC), em seu artigo 4º, estabelece a Política Nacional das Relações de Consumo, tendo por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo, atendidos princípios como o do reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor no mercado de consumo.

Segundo ela, o CDC, em seus artigos 39 e 51, proíbe ao fornecedor elevar o preço de produtos ou serviços sem justa causa, bem como a celebração de cláusulas que estabeleçam obrigações que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada, ou sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade.

Para a promotora, a empresa violou o Código de Defesa do Consumidor. “O aumento arbitrário de preços que imponha vantagem exagerada de produtos voltados à prevenção do novo coronavírus, no pico da pandemia, não configura justa causa, mas sim insensibilidade com os mandamentos emanados da solidariedade social. Em situações de crise, espera-se dos comerciantes um mínimo de solidariedade e esforços para não haver aumento dos preços, sendo justa e legítima a busca do lucro, mas não de forma abusiva, aproveitando de uma triste situação de calamidade pública. A livre concorrência não autoriza o fornecedor fixar preço aleatório, sem critérios, sobretudo em momentos de crise, em que a população precisa ter acesso a produtos essenciais. A elevação de preços sem justa causa, em situações que afete a saúde e a segurança dos consumidores e da população em geral, enseja dano moral coletivo, a ser imputado ao fornecedor que assim agir”, argumentou.

Continue Lendo

Negócios

Nui 360 encanta clientes ao som de clássicos nacionais e internacionais

Publicado

em

Um setlist especial e agradável para um espaço gastronômico sofisticado e um público de bom gosto. É desta forma que o Nui 360, primeiro restaurante com Chef Michelin da Paraíba e com menu assinado por Erick Jacquin, também busca encantar os clientes. No local, a mistura do Brasil com a França vai além da cozinha. O Nui 360 traz atrações musicais ao vivo de terça a domingo para proporcionar uma noite ainda mais exclusiva.

A partir das 17h, o saxofonista Arnno Neto apresenta ao público grandes clássicos da música francesa no rooftop do restaurante, localizado no primeiro andar. “O local é um convite para prestigiar um lindo pôr-do-sol nas alturas. Por isso, preparamos uma apresentação especial. Iniciamos o repertório com um musical que produzi chamado ‘Suíte Franco -Nordestina’, que traz uma viagem musical entre a cultura francesa, que é o DNA do Nui 360. Os clientes podem conferir verdadeiros hinos das duas culturas, como ‘Asa Branca’, do Luiz Gonzaga, e ‘La Vie En Rose’, da Edith Piaf, além de referências ao Bolero de Ravel com a música ‘Paraíba Masculina’”, adianta o músico.

Com uma proposta mais descontraída, a partir das 20h30, o DJ Vinny Santos dá início a um setlist com house music. “A ideia é fazer uma conexão das músicas francesas e brasileiras e a receptividade do público está surpreendente”, conta o DJ.

O Nui 360 fica localizado no Green Tower, na Av. Senador Ruy Carneiro, 303. O restaurante funciona todos os dias das 12h às 15h e das 19h às 00h, e o rooftop a partir das 16h30 a 00h. As reservas podem ser realizadas via whatsapp no (83) 99104.7897. Para conferir as novidades, o site é o https://www.nui360.com.br/ e no instagram, @nui_360.

Continue Lendo