Nos acompanhe

Negócios

Após reabertura, 41% das lojas tiveram faturamento até 80% menor em relação ao período pré-pandemia

Publicado

em

Depois de quase três meses de comércio fechado, a retomada nos últimos 15 dias ficou abaixo das expectativas dos profissionais do setor. Uma pesquisa realizada pela ALSHOP (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), entre os dias 24 e 26 de junho com associados que representam 4.000 pontos de venda em todo o Brasil mostra informações gerais sobre as vendas.

No caso específico dos shoppings que seguem a um protocolo sanitário mais rígido determinado com associações do setor e validado pelo poder público, o fato das praças de alimentação seguirem fechadas em boa parte dos empreendimentos é o motivo para o faturamento reduzido. Os resultados representam sobretudo a primeira quinzena de comércio aberto parcialmente na capital paulista e uma retomada tímida da atividade comercial em outros centros de compra no país.

Em São Paulo

Segundo a pesquisa, em São Paulo, 32% dos lojistas relataram que o faturamento caiu 90% em relação ao período pré-pandemia. Para 41% dos lojistas o faturamento ficou reduzido em até 80% e 24% dos empresários registraram queda até 70%. No caso da capital, os dados já refletem o prejuízo do Dia dos Namorados onde o comércio teve apenas um dia de vendas nos centros de compra que estão abertos durante quatro horas por dia.

“A queda foi vertiginosa nas vendas, o que mostra o quanto o setor do comércio foi comprometido com a pandemia. Os prejuízos estimados estão em 35 bilhões de reais e só na grande São Paulo 10% das lojas não vão mais reabrir por falta de condições o que irá aumentar o desemprego, além da queda da arrecadação. Os lojistas de shopping seguem protocolos rígidos e mesmo assim estão sujeitos a restrições que não valem para todos os setores”, diz Nabil Sahyoun, presidente da ALSHOP.

Em todo o estado há cerca de 180 shoppings que empregam milhares de pessoas, além dos empregos indiretos gerados pela atividade econômica dos empreendimentos. “Agora em São Paulo avançamos para a fase amarela mas os restaurantes, o que incluem as praças de alimentação que tanto movimentam os shoppings ainda não podem reabrir. Foram três meses de fechamento total e mesmo com a baixa ocupação das UTIs na capital paulista os lojistas e colaboradores terão que esperar mais uma semana”, disse Sahyoun.

Fora do estado de São Paulo

Para as lojas situadas fora da cidade de São Paulo, as mesmas informações foram analisadas e 35% dos associados informaram uma queda de até 80% no faturamento, seguido de 29% que registraram queda de até 70% nas vendas. Em relação a taxa de conversão de clientes, ou seja, o número de pessoas que realmente concluem a compra os dados foram ainda mais negativos.

Dos lojistas entrevistados, 59% informaram que a taxa de conversão é muito inferior ao mesmo período antes da pandemia fruto dos consumidores cautelosos ou sem renda. “A população ainda quer evitar aglomerações e como as lojas funcionam em horários muito restritos, os consumidores que têm condições de fazer compras, pensam duas vezes antes de saírem de casa. Mas é importante ressaltar que os shoppings estão com mais de 20 protocolos aplicados internacionalmente e validados aqui por instituições renomadas como o hospital Sírio Libanês e validadas pela Vigilância Sanitária em diversos estados.”, afirma o presidente da ALSHOP.

A modalidade de venda online passa a contribuir com o faturamento mensal dos lojistas, mesmo que 41% dos associados afirmam que esse tipo de venda ainda não seja relevante. Por outro lado, 26,5% contam que as vendas online movimentam até 10% do faturamento, 23,5% mostram que a modalidade representa mais do que 20%, e 9% afirmam que representa até 20% do faturamento.

Para aquecer as vendas nestas primeiras semanas da retomada, 71% dos lojistas afirmam aplicar descontos em produtos para estimular a compra, mas 29% diz não ter condições de promover ações específicas nesse momento de retomada. “Os lojistas estão cada vez mais criando oportunidades para seus clientes aproveitarem os artigos com excelentes descontos e promoções. Pensando em um lojista do setor de vestuário, com o estoque cheio de peças não teria condições de renovar o estoque para o inverno que acabou de chegar. Então, vemos os descontos como uma forma de ajudar a todos, clientes e lojistas.”, comenta, Nabil.

Demora na reabertura

A ALSHOP considera que a reabertura gradual após 15 dias onde foram observados a queda na ocupação de leitos disponíveis e até o anúncio de fechamento de um hospital de campanha eram compromissos para que as autoridades ampliassem a retomada da economia, o que não ocorreu. “Lembramos que o transporte, origem das maiores fontes de aglomeração, não passaram por protocolos tão rígidos de limpeza e desinfecção e dele dependem milhões de paulistanos olhando o exemplo de São Paulo, enquanto os pequenos lojistas que são a maioria dos nossos associados aplicaram com os donos de shopping um extremo cuidado e não conseguem alavancar sua atividade comercial. Isso vai aumentar ainda mais o desemprego em pouco tempo.”, finaliza, Sahyoun.

Continue Lendo

Negócios

Covid-19: Manaira e Mangabeira Shopping fazem testes em funcionários, lojistas e colaboradores

Publicado

em

O Manaira e o Mangabeira Shopping realizam nesta sexta-feira (10) e sábado (11), das 10h às 18h, a testagem rápida para a Covid-19 de todos os funcionários de lojas, lojistas e colaboradores dos malls. A testagem em massa é mais uma das medidas de cuidado e prevenção para retomada das atividades dos shoppings, que está prevista para acontecer no dia 13 de julho, caso não haja prorrogação dos decretos das autoridades locais.

Em atitude inédita nacional, os shoppings vão disponibilizar cerca de 8000 mil exames gratuitos para testar toda a equipe de funcionários. Os testes são obrigatórios para todas as pessoas que trabalham nos centros de compras. No Manaira Shopping, a testagem acontece na casa de eventos Domus Hall; já no Mangabeira, o procedimento acontece na Praça de Alimentação, ao lado do Palco de Eventos.

“Essa é mais uma atitude de respeito e cuidado que temos com nosso público interno e clientes dos shoppings. Os nossos protocolos sanitários são rígidos e todas as medidas foram adotadas para criar um ambiente seguro para todos”, afirma a gerente corporativa de marketing dos shoppings, Roberta Barros.

Desde o início da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o Manaira e o Mangabeira Shopping deram exemplo ao país e estiveram entre os primeiros que suspenderam as atividades, no dia 20 de março, como forma de mostrar que a prioridade é a saúde pública. As lojas dos empreendimentos passaram a funcionar mediante sistema de delivery e/ou Drive-Thru.

Hoje, o Manaira e o Mangabeira Shopping tem uma estrutura e protocolo com 50 medidas sanitárias de padrão internacional que visam resguardar a saúde de todos.

Continue Lendo

Negócios

Projeto disponibilizará mais de 60 mil vagas gratuitas em cursos de capacitação a partir do dia 15

Publicado

em

Sabendo da importância da qualificação para o mercado de trabalho, o grupo Ser Educacional mantenedor das marcas UNINASSAU, UNINABUCO, UNIVERITAS, UNG, UNAMA e UniNorte, em parceria com o Instituto Êxito, promove, a partir do dia 15 de julho, o projeto Capacita. A ação visa proporcionar capacitação rápida e gratuita para a população, favorecendo, além do indivíduo, as economias locais. Os interessados podem se inscrever através do site https://eventos.sereduc.com/eventos-online.

Para o Presidente do grupo Ser Educacional, Jânyo Diniz, esta é uma oportunidade para que a população tenha mais conhecimentos nas áreas escolhidas. “É uma forma de aprimorar conhecimentos ou até mesmo se especializar em um novo ramo para o competitivo mercado de trabalho, agregando valor ao seu currículo e ampliando as possibilidades de contratação para quem disputa vagas de emprego”, explica.

Com mais de vinte edições já realizadas, neste ano, o Capacita será realizado em um novo formato, com cursos acontecendo de forma on-line. Além disso, serão disponibilizadas mais de 200 lives nas áreas de humanas, exatas e saúde, totalizando 60 mil vagas. Entre os cursos oferecidos estão: Licitação e contratos administrativos; Como se portar em uma entrevista de emprego; Desenvolvimento de equipes; Legislação trabalhista; Matemática financeira; Processo logístico de estoques e compras, entre outros.

Cursos extras gratuitos na UNINASSAU Campina Grande

Além dos cursos ofertados em parceria com o Instituo Êxito, a UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau, em Campina Grande, está ofertando mais de 10 cursos de curta duração, totalmente gratuitos, que serão ministrados de forma remota. Para se inscrever e conferir a programação completa, basta acessar o site https://extensao.uninassau.edu.br/.

Para a reitora da UNINASSAU Campina Grande, Cilene Andrade, os cursos ofertados no programa CAPACITA são, mais do que nunca, essenciais para a qualificação da população. “Ofertamos o CAPACITA duas vezes ao ano, com cursos e oficinas gratuitas. Em janeiro, o evento foi um sucesso. Neste semestre, com a pandemia do novo Coronavírus, as pessoas estão precisando ainda mais desta oportunidade de capacitação e aperfeiçoamento profissional. Então, vamos ofertar, de forma remota, tudo o que seria realizado presencialmente”, destacou.

Algumas das opções de cursos do CAPACITA 2020.2 da UNINASSAU Campina Grande são: Oficina culinária de aproveitamento integral; Cozinha para solteiros; Drinks e petiscos para happy hour; Cabeleireiro Básico: fundamentos da profissão, coloração básica, gestão de salões de beleza; Maquiagem artística, maquiagem básica, embelezamento do olhar, visagismo; Habilidades sociais e inteligência emocional em tempos de crise; Cuidador de crianças; Atualização no atendimento de farmácias e drogarias.

Todos os inscritos receberão por e-mail um link para a sala virtual, além de um certificado de participação ao término do evento. Os cursos serão ministrados em uma plataforma on-line, em tempo real, por professores da própria Instituição.

Continue Lendo

Negócios

Spotify: canal da Unimed-JP inspira pessoas com playlists para relaxamento, meditação e leitura

Publicado

em

Buscando ajudar as pessoas a aproveitarem os momentos em casa com mais tranquilidade e leveza, a Unimed João Pessoa criou um canal na plataforma Spotify. A ideia é inspirar os ouvintes em diferentes situações do dia a dia e tornar as atividades cotidianas mais prazerosas, seja para começar o dia bem humorado, para animar a atividade física ou usar durante a meditação e a leitura.

A Unimed João Pessoa montou quatro playlists. Uma delas é a “Músicas para começar o dia de bom humor”, com canções de Caetano Veloso, Vanessa da Mata, Chico César e Elis Regina. Outra sugestão é a playlist “Músicas para relaxar e se sentir bem”, com faixas de Ana Vilela, Tiago Iorc, Jason Mraz e A Banda Mais Bonita da Cidade. Já em “Músicas para ouvir se exercitando”, os ouvintes poderão conferir músicas de Luísa Sonza, Iza, Dua Lipa e Black Eyed Peas.

Ainda há uma seleção com refrões de canções de 20 segundos para ouvir enquanto lava as mãos seguindo as orientações de higienização da Organização Mundial da Saúde. Nesta playlist, estão faixas de Tribalistas, The Beatles, Elton John e A-Ha.

Como acessar – Para conferir a playlist exclusiva, basta acessar o perfil da Unimed João Pessoa no Spotify ou clicar no link: https://open.spotify.com/user/zmftvofan4exfnsq31ciuwq7h?si=TEh6Ae0rT66Cuv6Dr4Wvxw .

Sobre a Unimed JP – Com 48 anos de tradição, a Unimed João Pessoa é uma cooperativa de trabalhos médicos que se consolidou como a melhor e maior operadora de planos de saúde da Paraíba. Além de mais de 1,7 mil médicos cooperados, possui a mais completa rede de assistência médico-hospitalar privada do Estado. São diversos hospitais credenciados, sendo dois próprios – um deles referência em alta complexidade -, além de clínicas, prontos-socorros e laboratórios à disposição dos mais de 147 mil clientes. Tudo isso garante à Unimed JP a liderança absoluta no segmento de saúde suplementar no mercado paraibano. Acesse www.unimedjp.com.b r .

Continue Lendo