Nos acompanhe

Negócios

COVID-19 – Copagaz adota plano de contingência para manter suas operações na Paraíba

Publicado

em

A Copagaz, quinta maior distribuidora de GLP do país, consciente da necessidade primária do GLP (gás de cozinha) nas residências brasileiras – neste momento de restrição de circulação e maior permanência das pessoas em suas casas por conta do COVID-19, adotou medidas de contingência para manter suas operações de envase e entrega de gás de cozinha, regularmente em todas as suas unidades nos 18 estados em que está presente, além do DF.

A companhia criou um Comitê de Crise para minimizar eventuais impactos no suprimento em toda a sua rede de clientes, com atenção especial aos consumidores residenciais.

“Neste período de isolamento social vamos manter o nosso nível de entrega de gás de cozinha, seja qual for o padrão de consumo em nossas praças de atuação, pois temos como mobilizar a rede de distribuição para atender a um aumento de demanda nas residências, já que haverá redução do consumo na indústria e no comércio”, explica Pedro Turqueto, Diretor de Desenvolvimento e Gestão da Copagaz.

No caso das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, por serem dois dos maiores centros consumidores e os mais afetados pela crise, a Copagaz dará atenção redobrada. A companhia também está segura com relação ao fornecimento de GLP pela Petrobrás, que continua trabalhando continuamente.

Prática não recomendada pela Copagaz: estocar botijões em casa

A Copagaz identificou que em algumas regiões do país houve aumento expressivo da demanda, o que pode indicar que os consumidores estejam estocando botijões de GLP. A empresa não recomenda esta prática, porque além do risco inerente ao armazenamento em condições inadequadas, os botijões precisam ser devolvidos, já que são necessários para serem enchidos novamente e redistribuídos de forma contínua.

“Não há necessidade de armazenamento de gás de cozinha pela população, porque toda a cadeia produtiva deste produto essencial está funcionando regularmente”, afirma Turqueto.

Prevenção do corpo colaborador

A companhia realiza no momento um rigoroso trabalho nas ações de prevenção ao COVID-19, por meio de comunicação, procedimentos e cuidados com seus colaboradores e familiares, na distribuição de kits mínimos de higiene, além de triagem (anamnese) diária em todos os funcionários e terceiros, através de medição de temperatura corporal e questionário com respostas relacionadas aos sintomas que acometem a doença.

No caso da operação nas linhas de produção, a Copagaz manterá uma quantidade mínima para atender a produção com segurança. Para a área Administrativa, aproximadamente 80% dos colaboradores estão em regime home office. Já na matriz, em São Paulo, 95% da equipe trabalha remotamente.

A companhia também está contratando uma equipe para suprir a possível ausência de eventuais suspeitos ou infectados. Paralelamente a isso, discute também uma ação coordenada e em conjunto com o Sindigás – e demais empresas do mesmo segmento – para compartilhamento de serviços restrições.

Todos os possíveis casos em que houver colaboradores com sintomas, serão imediatamente conduzidos para o isolamento domiciliar e, dependendo do nível dos sintomas, para os serviços médicos.

“Estamos seguindo todas as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde), do Ministério da Saúde e informes de Consultorias Estratégicas sobre como proceder. Em nossas redes, disponibilizamos folders e vídeos explicando, de forma bem didática, como todos devem agir neste momento. Realizamos um treinamento de nossa equipe de suporte para atender às dúvidas oriundas deste novo processo, e nos colocamos à disposição para sanar quaisquer outros questionamentos que nos sejam feitos”, conclui Turqueto.

Canais de contato:

Consumidores que precisem esclarecer dúvidas podem entrar em contato pelas redes sociais da Copagaz ou pelo endereço de e-mail: relacionamentocliente@copagaz.com.br

Sobre a Copagaz

A Copagaz, fundada em 1955, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, é hoje a quinta maior empresa de GLP do Brasil. Comercializando cerca de 620 mil toneladas de GLP por ano, destinadas a clientes residenciais, industriais e empresariais, a Copagaz conta com uma equipe de mais de 1.700 colaboradores e uma estrutura que inclui a sede em São Paulo, 15 centros operativos, 11 depósitos avançados e ainda uma rede de revenda com mais de 2.500 representantes. A empresa distribui GLP para mais de 1.800 municípios, localizados em 18 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Além do engarrafamento e distribuição de GLP, a companhia realiza processos de requalificação de vasilhames, conforme exigido pela legislação vigente, descartando aqueles que não se enquadram nas normas e adquirindo vasilhames novos para reposição. Esse processo garante o abastecimento de GLP, que cumpre sua missão de fornecer à sociedade a energia necessária com segurança e qualidade.

Continue Lendo

Negócios

Abrasel se manifesta contrária ao decreto que prorroga e amplia as medidas de isolamento na Paraíba

Publicado

em

A Abrasel/PB, ao lado de entidades dos setores produtivos e da cadeia do Turismo e de Negócios da Paraíba, assina carta direcionada a prefeitos e ao governo do Estado, na qual as entidades se manifestam contrárias ao teor do decreto estadual 40.289 de maio de 2020, que prorroga e amplia as medidas de isolamento no Estado.

As entidades demandam maior abertura para participar das discussões com o governo sobre as medidas de isolamento social, importantes para o achatamento da curva de transmissão do Coronavírus, mas que prejudicam fortemente o setor produtivo. “Queremos trabalhar junto com o Poder Público para uma retomada responsável das atividades. É fundamental um comitê de retomada das atividades, de modo que não prejudique a saúde da população e que ao mesmo tempo garanta a sobrevivência de milhares de trabalhadores formais e informais da Paraíba. Somos muitos micro, pequenos e médios empreendedores que estão vendo seus negócios fechados”, comenta o presidente da Abrasel/PB, Arthur Lira.

A Abrasel/PB já criou um plano bastante consistente, entregue a governador e prefeituras para contribuir na retomada com segurança para o setor de alimentação fora do lar. Esse mesmo plano já foi entregue e está sendo analisado por governadores e prefeitos de todo o Brasil.

Continue Lendo

Negócios

Ministério Público da Paraíba recomenda suspensão imediata das feiras livres, em Guarabira

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) recomendou a suspensão imediata das feiras livres no município de Guarabira. A recomendação foi expedida na última sexta-feira (29/05), ao prefeito municipal e deve durar, pelo menos, durante os 14 dias de intensificação das medidas de isolamento na Região Metropolitana (de 1° a 14 de junho). A medida visa diminuir o contágio do novo coronavírus e evitar o colapso nos serviços de saúde locais e de João Pessoa, uma vez que os casos graves de covid-19 em Guarabira são encaminhados para hospitais da capital. De acordo com a Promotoria de Justiça, o município, que é polo regional, já registrou cinco mortes por covid-19 e 466 casos confirmados da doença.

A recomendação ministerial diz que devem ser suspensas a feira livre do Centro da cidade e a “Feira do Acari”, que acontece aos domingos no bairro Nordeste, por se tratar de lugares com grande aglomeração de pessoas, inclusive vindas de cidades circunvizinhas.

Segundo a 3a promotora de Justiça de Guarabira, Edivane Saraiva, 19 procedimentos já foram instaurados na promotoria sobre a pandemia, com a recomendação ao gestor municipal da adoção de medidas preventivas, como o fechamento do comércio não essencial e, mais recentemente, a suspensão das feiras livres.

A representante do MPPB explicou que a medida é importante diante da pandemia e do crescente número de infectados com a covid-19, que vem sendo registrado no Estado da Paraíba, sobretudo na Região Metropolitana de João Pessoa, e também no município de Guarabira.

Segundo a Promotoria de Justiça, cinco UBSs (unidades básicas de saúde), localizadas nos bairros Santa Terezinha, Bairro Novo, Primavera, Nordeste e Cordeiro, estão atendendo os casos leves de covid-19, na cidade. Alguns casos são atendidos na UPA local e os mais graves, encaminhados aos serviços hospitalares de João Pessoa, que já estão com 80% de sua capacidade em UTI ocupada.

De acordo com a promotora, a suspensão das feiras livres visa conter a propagação do novo coronavírus em localidades que vêm registrando os maiores números de casos confirmados de covid-19. É o caso do Bairro Novo (que fica próximo à feira central) e do bairro Nordeste, que é muito populoso. “Sei que não é fácil para os comerciantes a suspensão da feira livre e o fechamento do comércio não essencial, mas temos que dar as mãos e ter a participação de todos para preservar a nossa saúde e a saúde de nossos parentes e amigos. É preciso que cada um faça a sua parte e faça o isolamento”, argumentou.

A recomendação ministerial foi expedida também em razão da inexistência de leitos de terapia intensiva para o atendimento satisfatório dos pacientes, em todo o Estado. Ela diz que o poder executivo local, “nos termos do Decreto Estadual 40.217/2020, pode/deve expedir decreto, suspendendo e/ou limitando a feira livre em seu município, como medida de combate e prevenção ao novo coronavírus”.

Medicamentos

A promotora informou que também foi recomendado aos profissionais médicos que façam a prescrição de medicamentos, conforme protocolo, para pacientes em fase inicial da covid-19. Esses medicamentos deverão ser fornecidos pelo Município, de forma gratuita.

Reclamações podem ser enviadas à promotoria pelo e-mail guarabira@mppb.mp.br, e pelo telefone/WhatsApp 99162-5051.

Continue Lendo

Negócios

Energisa orienta como prevenir acidentes com eletricidade em dias de chuva

Publicado

em

Neste período chuvoso, a Energisa tem um alerta importante para população: redobrar os cuidados para garantir a segurança e evitar acidentes envolvendo eletricidade. De acordo com a concessionária, como muitas vezes as precipitações vêm acompanhadas de ventos fortes e raios, acabam causando danos na rede elétrica.

Além disso, todo mundo sabe que água e eletricidade não combinam, afinal o líquido é um condutor natural de energia elétrica que, em contato com a energia, pode causar choques e acidentes. Preocupada com a sua segurança e a de sua família em dias chuvosos, a Energisa reuniu algumas dicas preventivas.

Confira as dicas da Energisa para os dias de chuva:

Em casa

– Fique atento: se a chuva vier acompanhada de raios e trovões, coloque um calçado isolante (de borracha) e retire imediatamente das tomadas equipamentos sensíveis como televisão, som, ventilador, computador e carregadores de celulares;

– Evite manusear aparelhos elétricos com as mãos molhadas ou pés descalços e tocar nas partes metálicas dos objetos, prevenindo o risco de choque. Essa dica vale para qualquer período do ano, mas em dias de chuva a recomendação é ter mais atenção;

– Caso perceba que alguma parede da sua casa está úmida, não ligue equipamentos elétricos em tomadas instaladas nela. As paredes podem ser fonte de choques e mau funcionamento de equipamentos, causando danos aos aparelhos;

– Não faça manutenções quando estiver chovendo. Em telhados existe o risco de ser atingido por raios e em equipamentos elétricos ligados à tomada há chance de choque elétrico;

– Em caso de alagamento, curto-circuito ou princípio de incêndio dentro de casa desligue imediatamente o disjuntor.

Na rua

– Se estiver na rua e começar a chover, fique longe de campos de futebol, piscina, lagos, lagoas, praias, árvores, mastros e locais elevados. Evite encostar em grades e objetos metálicos, não se abrigue em lugares descampados, próximo de postes ou embaixo da fiação elétrica. Esses locais se tornam perigosos por causa do risco de descargas elétricas naturais, como raios;

– Se observar fios caídos, objetos ou pessoas em contato com a rede elétrica, galhos ou árvores entre a fiação não se aproxime e ligue imediatamente para Energisa.

Continue Lendo