Nos acompanhe

Brasil

Aécio recebeu R$ 20 milhões em propina, diz Eike Batista em tentativa de delação

Publicado

em

Um dos anexos que integram o acordo de delação do empresário Eike Batista com a Procuradoria-Geral da República (PGR) detalha o pagamento de R$ 20 milhões de propina a Aécio Neves. A informação é da colunista Bela Megale, do Globo.

Segundo a jornalista, Eike contou que o dinheiro era uma contrapartida pela ajuda de Aécio às empresas de seu grupo junto ao poder público, em especial em Minas Gerais. O empresário citou a concessão de licenças ambientais como um dos benefícios concedidos ao seu grupo. O ex-governador mineiro chamou de falsa e absurda a acusação.

Eike afirma que repassou a propina a um amigo de Aécio, conforme pedido do próprio tucano. O acordo de Eike com a PGR ainda não está fechado. Há menos de um ano, ele tentou sem sucesso fechar o acordo com a então procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Recentemente ele abriu nova negociação com a Procuradoria, destaca publicação do Congresso em Foco.

Preso duas vezes nas operações Eficiência e Segredo de Midas, que apontou um esquema de manipulação do mercado de capitais e lavagem de dinheiro para o ex-governador Sergio Cabral, ele foi solto em agosto do ano passado.

“A acusação é falsa e absurda. Basta dizer que, em 2010, o deputado Aécio Neves não era mais governador de Minas. O deputado jamais intercedeu em favor de qualquer interesse do Sr. Eike Batista”, disse Aécio.“É lamentável que acusações levianas, como essa, sejam aceitas por autoridades sem a menor comprovação, exclusivamente para atender interesse de um réu confesso de inúmeros crimes e que, agora, busca obter benefícios através de imputações que jamais serão comprovadas exatamente por serem falsas”, acrescentou.

Segundo o deputado, vazamentos selecionados de acusações vagas são estratégia de interesse de delatores e dificultam até mesmo a apresentação dos argumentos de defesa de quem é injustamente acusado.

O deputado também é acusado de receber propina do empresário Joesley Batista, do grupo JBS.

Continue Lendo

Brasil

Prazo para inscrições do projeto Você no Senado termina na próxima segunda-feira

Publicado

em

As inscrições para a terceira turma do projeto Você no Senado terminam na próxima segunda-feira (2). Podem se inscrever professores da rede pública de ensino (ensinos infantil, fundamental e médio). Os professores devem atuar em escolas públicas da Paraíba. O projeto é realizado pela senadora Daniella Ribeiro, em parceria com a Fundação Milton Campos (FMC). O sorteio acontecerá dia 3 de março, às 15h.

Segundo Daniella, o projeto, que foi iniciado no ano passado, tem o objetivo de democratizar o acesso ao Congresso Nacional, sobretudo ao Senado Federal, a qualquer cidadão. “O grupo visita o Senado, assiste a palestras, conhece o plenário e acompanha reuniões e votações. É uma forma de mostrar à população o dia a dia de um parlamentar, que muitas vezes começa de manhã cedo e se estende até a noite ou madrugada, em casos de votações polêmicas”, frisou.

Serão sorteados cinco profissionais da educação que visitarão Brasília nos dias 9, 10 e 11 de março. O sorteio será feito pela Fundação Milton Campos. Uma vez sorteado, o profissional precisa comprovar que atua como professor da rede pública de ensino da Paraíba. As despesas com passagem e hospedagem ficam sob responsabilidade da Fundação.

Essa será a terceira turma do projeto. A primeira foi composta por jornalistas paraibanos, turma que visitou Brasília em outubro passado. Em novembro, foi a vez de estudantes universitários. A senadora Daniella disse que o intuito é levar categorias diversas através da FMC. Pelo sucesso das edições anteriores, parlamentares de outros estados já planejam realizar o projeto em seus estados.

Foto: Rodrigo Nunes (Senadora Daniella Ribeiro com participantes da segunda turma do projeto)

Continue Lendo

Brasil

Pautas bomba: “A relação com Guedes já foi melhor”, diz líder do DEM na Câmara dos Deputados

Publicado

em

A equipe econômica já começa a ver riscos de não avançarem rapidamente, neste primeiro semestre, as três pautas que eram dadas como certas para aprovação pelo Congresso: o projeto de autonomia do Banco Central e as Propostas de Emenda à Constituição (PECs) Emergencial e dos fundos públicos.

O acirramento dos ânimos com o Parlamento, depois que o presidente Jair Bolsonaro disparou de seu celular um vídeo convocando apoiadores a irem às ruas para defendê-lo contra o Congresso, colocou a pauta em suspense e ampliou as incertezas da agenda econômica.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, é o mais cobrado pelas lideranças partidárias da Câmara e do Senado, que o acusam de ter descumprido o acordo do Orçamento impositivo, que amplia poderes dos parlamentares na destinação dos recursos para programas e ações do governo. Nos bastidores, líderes reclamam de fragilidades da equipe de Guedes nas negociações, destaca reportagem do Estadão.

Para o líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB), a relação com Guedes já foi melhor. “A equipe econômica chegou a ser a grande avalista da agenda do governo na Câmara. Atualmente, atritos reduziram essa sintonia, como o aguardo pelas propostas tributária e administrativa que não chegaram até o momento.”

Clique AQUI e confira a integra da publicação

Continue Lendo

Brasil

Em nota, Partido Verde diz que presidente Jair Bolsonaro demonstra desapreço pela Democracia

Publicado

em

Nota

Mais uma vez, o presidente Jair Bolsonaro demonstra seu desapreço pela Democracia. Ao replicar convocação para uma marcha que atenta contra as instituições democráticas, Bolsonaro se coloca cada vez com mais clareza dentro do campo do autoritarismo.

Para o Partido Verde, isso não é uma novidade. Em 2016, representamos no Conselho de Ética da Câmara contra o então deputado federal Jair Bolsonaro, por apologia à Ditadura, quando ele homenageou o torturador Brilhante Ustra em plenário.

Somos um partido forjado por pessoas que resistiram à Ditadura Militar. Que colocaram suas próprias vidas em risco para defender o nosso retorno à Democracia. Para nós, os princípios democráticos são inegociáveis.

Também foi o Partido Verde, que através da frente parlamentar Franco Montoro, lidera desde então os debates pró-parlamentarismo, única saída democrática para reestruturar a política brasileira, segundo os Verdes.

O Partido Verde sempre estará ao lado da luta pelo fortalecimento das nossas instituições e contra qualquer ímpeto autoritário e populista que as coloquem em risco.

Executiva Nacional do Partido Verde

Continue Lendo