Nos acompanhe

Paraíba

Operação Calvário: Advogado diz que Gaeco não tem provas, apenas delações contra Ricardo Coutinho

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) protocolou no Tribunal de Justiça, nesta segunda-feira (13/01), a sexta denúncia com base nas investigações da “Operação Calvário”. Na peça jurídica, o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e a Improbidade Administrativa (Ccrimp) acusam 35 gentes públicos, empresários e operadores financeiros de formarem uma organização criminosa (Orcrim) para a prática de delitos, como corrupção e lavagem de ativos, através de atividades de organizações sociais (OSs) na saúde e da adoção de inexigibilidades (fraudadas) na educação.

De acordo com a denúncia 0000015-77-22-020.815.0000, a organização criminosa chefiada pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) atuava em três núcleos: político, administrativo e financeiro operacional. Integravam o núcleo político, o ex-governador Ricardo Vieira Coutinho; a deputada estadual Estelizabel Bezerra de Souza; a ex-secretária de Estado, Maria Aparecida Ramos de Meneses (Cida Ramos) e a prefeita do Conde, Márcia de Figueiredo Lucena Lira. Faziam parte do núcleo administrativo: Waldson Dias de Souza, Gilberto Carneiro da Gama, Coriolano Coutinho, José Edvaldo Rosas, Cláudia Luciana de Sousa Mascena Veras, Aracilba Alves da Rocha, Livânia Maria da Silva Farias (colaboradora) e Ivan Burity de Almeida (colaborador).

O advogado Eduardo Cavalcanti, que defende o ex-governador, afirma que a denúncia não tem ‘qualquer prova a não ser delações, além da tentativa permanente do Ministério Público em criminalizar qualquer diálogo que envolva gestão de governo’. “Não existe culpa por não existir fato concreto. Não existe qualquer aumento minimamente ilícito de patrimônio, enfim, uma operação espetacularizada com objetivos majoritários de encobrir as conquistas dos oito anos de governo”.

Ainda estão denunciados como integrantes do núcleo financeiro operacional da Orcrim: Francisco das Chagas Ferreira, Ney Robinson Suassuna, Geo Luiz de Souza Fontes, Bruno Miguel Teixeira de Avelar Pereira Caldas, Jair Éder Araújo Pessoa Júnior, Raquel Vieira Coutinho, Benny Pereira de Lima, Breno Dornelles Pahim Filho, Breno Dornelles Pahim Neto, Denise Krummenauer Pahim, Saulo Pereira Fernandes, Keydison Samuel de Sousa Santiago, Maurício Rocha Neves, Leandro Nunes Azevedo (colaborador), Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro (colaboradora), Daniel Gomes da Silva (colaborador), David Clemente Monteiro Correia, José Arthur Viana Teixeira, Vladimir dos Santos Neiva, Valdemar Ábila, Márcio Nogueira Vignoli, Hilário Ananias Queiroz Nogueira, Jardel da Silva Aderico

Segundo a denúncia do MPPB, o grupo mantinha “um modelo de governança regado por corrupção e internalizado nos bastidores dos poderes Executivo e Legislativo do Estado da Paraíba, o qual se destacou, com maior intensidade, a partir da ascensão do denunciado Ricardo Vieira Coutinho ao governo estadual”. Ainda de acordo com o Ministério Público, a identificação desses 35 denunciados não a identificação e o envolvimento de “outros agentes políticos, administrativos e econômicos que contribuíram para a concretização dos desvios de recursos públicos, de modo que a multiplicidade de seus atores, certamente demandará aditamentos ou novas denúncias”.

A Operação Calvário

A Operação Calvário foi desencadeada no dia 14 de dezembro de 2018 para investigar núcleos de uma organização criminosa, gerida por Daniel Gomes da Silva, que se valeu da Cruz Vermelha Brasil – filial do Rio Grande do Sul (CVB/RS) e do Ipcep como instrumentos para a operacionalização de um esquema de propina no Estado da Paraíba. A organização seria responsável por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde do Estado, que chegaram a R$ 1,1 bilhão.

Clique AQUI e confira a denúncia na íntegra

Continue Lendo

Paraíba

Jovem é agredido e atribui agressões ao secretário da Administração de Pedras De Fogo

Publicado

em

O secretário da Administração do município de Pedras de Fogo, Arthur do Canto, está sendo acusado de agredir fisicamente um jovem identificado como Yuri, apenas por discordar de paródias musicais com teor político que o jovem estava ouvindo em frente a própria casa.

De acordo com informações divulgadas pelo próprio jovem através de um vídeo onde aparece contando detalhes sobre o acontecido, no momento das agressões o secretário estava acompanhado por outros aliados da atual gestão que, num momento de selvageria, jogaram a caixa de som do rapaz ao chão no intuito único de quebrá-la para não mais tocar quaisquer paródias contra o atual gestor.

O jovem prestou queixa na Delegacia de Polícia local registrando assim, um Boletim de Ocorrência, mas, pouco depois, recebeu um áudio de alguém se identificando como sendo Luís Carlos, tio do agressor, proferindo ameaças contra o rapaz.

Clique aqui e confira o vídeo postado pelo jovem e confira abaixo o áudio da ameaça supostamente enviada pelo tio do secretário:

Continue Lendo

Paraíba

Alagoa Nova: veículo oficial da Prefeitura estaria sendo utilizado para campanha eleitoral noturna

Publicado

em

Um vídeo que viralizou nas redes sociais tem chamado atenção da população do município de Alagoa Nova, localizado na região Metropolitana de Esperança, no Cariri paraibano, por mostrar supostos servidores públicos utilizando um veículo oficial da Prefeitura para fazer campanha eleitoral e conseguir adesões na cidade no período noturno.

No vídeo viralizado, aparecem dois homens, um identificado como “Chopa” e outro como sendo o motorista Adailton, no momento em que é selada adesão de um eleitor ao projeto de reeleição do atual prefeito Aquino Leite (PSDB).

Aquino teria sido apelidado pelo povo de “morcego” por usar constantemente o símbolo do herói da DC Comics, Batman, em alguma vestimenta e, inclusive, nas  máscaras de proteção contra a Covid-19.

A redação do ParaíbaRádioBlog tentou entrar em contato com o candidato à reeleição, porém, como não obteve sucesso, deixa espaço aberto caso queira falar sobre o assunto.

Confira abaixo vídeo e imagens relacionadas à denúncia:

 

 

Continue Lendo

Paraíba

Raniery Paulino se solidariza com candidatos atacados por Ricardo Coutinho durante convenção

Publicado

em

O deputado estadual licenciado Raniery Paulino (MDB), dedicou mensagem de solidariedade aos candidatos a prefeito de João Pessoa que foram atacados verbalmente pelo ex-governador Ricardo Coutinho, durante convenção partidária do PSB.

Raniery lembrou que os ataques destemperados partiram de ninguém mais que alguém que é investigado como mentor da “maior operação de corrupção da Paraíba”.

” Quero aqui me solidarizar com o deputado e candidato a prefeito em João Pessoa Walber e os demais candidatos pelos ataques destemperados do ex-governador da Paraíba. Quero dizer quê, João Pessoa terá uma grande oportunidade de renovação, e não viver no retrocesso, com investigados da maior operação de corrupção da Paraíba.” enfatizou o parlamentar.

Continue Lendo