Nos acompanhe

Paraíba

Livânia acertou pessoalmente com João Azevedo o pagamento de propina de R$ 120 mil/mês

Publicado

em

Em delação ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba, dentro das investigações da Operação Calvário, a ex-secretária Livânia Farias confirmou que acertou pessoalmente com o João Azevedo o pagamento de propina no valor de R$ 120 mil mês.

O então candidato, atualmente governador da Paraíba, teria recebido em mãos, através do secretário de estado Deusdete Queiroga, pelo menos R$ 500 mil em espécie. Acertado o valor da quantia que seria paga, o próprio João Azevedo delegou Deusdete Queiroga para atuar como seu interlocutor.

As tratativas da organização criminosa ocorriam no “Canal 40”, espécie de quartel general do PSB, localizado no bairro do Altiplano, em João Pessoa.

Continue Lendo

Brasil

Consórcio Nordeste: Governadores dão justificativas diferentes sobre respiradores que não chegaram

Publicado

em

Com a pandemia do novo coronavírus e a compra milionária de respiradores que nunca chegaram ao destino, valores bloqueados e empresários presos, o governador João Azevedo (Cidadania) e demais governadores que compõem o Consórcio Nordeste estão em “maus lençóis”.

Há dias o RádioBlog alerta a população sobre o “calote” levado pelos governadores. Apesar de em outros estados do Consórcio os demais governadores admitirem o calote e falarem abertamente sobre o caso, na Paraíba, João Azevedo insistia em um silêncio ensurdecedor.

Leia também:

Polêmica! Respiradores comprados por João Azevedo no Consórcio Nordeste podem não chegar à Paraíba

Confirmado! Respiradores comprados por João Azevedo no Consórcio Nordeste não chegarão à Paraíba

Apenas na segunda-feira (01), quando o Brasil acordou com operação da Polícia do Estado da Bahia, que culminou na prisão de empresários que venderam, mas não entregaram os respiradores, o governador João Azevedo resolveu quebrar o silêncio. João Azevedo conseguiu adiar, mas não evitar a polêmica que estava por vir.

Leia também:

Pandemia: Governador admite que respiradores comprados pelo Consório Nordeste não chegarão na PB

Consórcio Nordeste: João Azevedo pagou antecipadamente por respiradores que não chegaram à Paraíba

Em pronunciamento via internet, ao falar sobre a frustrada compra dos respiradores, João Azevedo surpreendeu e disse que comprou, mas os equipamentos teriam sido apreendidos pelo Ministério da Saúde.

Segundo o governador, teria sido realizada a compra de 84 respiradores para o Estado da Paraíba, mas no dia 02 de abril, o governo teria recebido uma carta da empresa que vende os respiradores no Brasil, dizendo que o Ministério da Saúde havia confiscado todos esses respiradores. João Azevedo disse ainda que tentou, sem sucesso, realizar outras compras e, em contato com o Ministério da Saúde, teria conseguido garantir à Paraíba o envio dos respiradores “comprados” pelo Governo do Estado.

Confira o áudio de João Azevedo

 

Leia também:

Justiça bloqueia dinheiro de respiradores que governador pagou e não recebeu no Consócio Nordeste

Respiradores enviados por Bolsonaro são os únicos equipamentos novos em operação na Paraíba

Presos empresários que venderam, mas não entregaram respiradores a governadores do Nordeste

João Azevedo não contava que um dia após sua fala, circularia na internet pronunciamento do governador da Bahia, Rui Costa, presidente do Consórcio Nordeste, explicando à população o que realmente teria acontecido, comentando as compras frustradas e, em nenhum momento, tratando a informação sobre o Ministério da Saúde trazida até o momento apenas pelo governador João Azevedo.

Confira o áudio de Rui Costa

As falas antagônicas dos governadores da Paraíba e da Bahia chamaram a atenção da imprensa, da sociedade e, claro, das autoridades que investigam o caso.

O processo que investiga o calote na entrega dos respiradores está em segredo de Justiça e foi movido pela Bahia, Estado que preside o Consórcio Nordeste.

 

Texto revisado e atualizado às 12h45m

Continue Lendo

Negócios

Covid-19: João Azevedo comprou respiradores de empresa especializada em produtos à base de maconha

Publicado

em

A compra de respiradores pulmonares pela Paraíba e outros oito Estados do Nordeste à empresa paulista Hempcare Pharma ganhou contornos de caso judicial após o dinheiro empregado na transação, R$ 48,7 milhões, ter sido antecipado, mas os equipamentos não terem sido entregues.

A empresa Hempcare, que recebeu do Consórcio Nordeste para vender de respiradores que seriam usados em hospitais para tratamento da Covid-19 é, na verdade, espacializada na comercialização produtos derivados da maconha. ISSO MESMO, MACONHA. A informação está no site da própria empresa, que diz importar produtos dos Estados Unidos e Europa, “à base de Cannabis spp na América Latina”. A denúncia foi feita pelo deputado federal Osmar Terra, ex-ministro da Cidadania do Governo Bolsonaro, através do Twitter.

Leia também:

Consórcio Nordeste: Governadores dão justificativas diferentes sobre respiradores que não chegaram

Polêmica! Respiradores comprados por João Azevedo no Consórcio Nordeste podem não chegar à Paraíba

Confirmado! Respiradores comprados por João Azevedo no Consórcio Nordeste não chegarão à Paraíba

Leia também:

Pandemia: Governador admite que respiradores comprados pelo Consório Nordeste não chegarão na PB

Consórcio Nordeste: João Azevedo pagou antecipadamente por respiradores que não chegaram à Paraíba

A empresa foi alvo da Operação Ragnarok, deflagrada na última segunda-feira (01) pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia, estado que lidera o Consórcio Nordeste. Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador, e 3 mandados de prisão, sendo 2 no Distrito Federal e 1 no Rio de Janeiro.

 

Continue Lendo

Paraíba

Desembargador descarta vinculação do radialista Fabiano Gomes com Operação Calvário

Publicado

em

O desembargador Ricardo Vital do Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu não receber denúncia do Ministério Público Estadual em desfavor do comunicador Fabiano Gomes, que agora, responderá na primeira instancia a possível tentativa de extorsão.

A inclusão do investigado na Operação Calvário solicitado pelo MP está descartada por provas suficientes no processo que agitou a Paraíba nos últimos meses, destaca publicação do portal Resenha Política.

A denúncia feita pelo GAECO ao desembargador Ricardo Vital contra Fabiano Gomes foi feita ainda quando o comunicador estava em prisão temporária no presídio do Roger em João Pessoa.

Continue Lendo