Nos acompanhe

Negócios

Jampa Rock Festival transformará abril no mês mais roqueiro da capital paraibana

Publicado

em

Rockabilly, hard rock, punk, rock progressivo, heavy metal, blues rock, surf music, psicodelic, glam rock, pop, folk rock, new wave… O roquenrol tem vertentes que vão do mais “fofo” ao mais pesado. OK, estamos no período pré-carnavalesco, mas não custa lembrar que nem só frevo, marchinha e axé vive o festivo povo brasileiro. É por isso que, no dia 4 de abril deste ano, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, a Colônia Produções vai dar à galera a chance de curtir vários estilos desse gênero musical num evento único: o Jampa Rock Festival, mega show que contará com apresentações de Val Donato, Biquíni Cavadão, Os Paralamas do Sucesso, Vitor Kley e Capital Inicial. A capital paraibana vai ser sacudida com muitos riffs de guitarra e solos de bateria.

O Jampa Rock terá dois palcos montados na Praça do Povo do Espaço Cultural, o que dará mais dinamismo às apresentações. Nesta primeira edição, acontecerá em apenas um dia. Mas a pretensão dos seus idealizadores é ambiciosa: o objetivo é realizar o Jampa Rock a cada ano e torná-lo um evento fixo no calendário cultural da Paraíba. Num futuro próximo, o festival poderá acontecer em um final de semana, por exemplo.  “Queremos ter mais bandas e artistas paraibanos, além de montar outras ilhas de rock. Essa é a ideia. Mas, por enquanto, nosso objetivo é fazer acontecer”, diz Fábio Henrique, um dos produtores da Colônia Produções.

O primeiro lote de ingressos para o Jampa Rock Festival está sendo vendido online, no site www.ingressonacional.com.br, com 20% de desconto. Esses ingressos serão limitados. “O festival é a demonstração de que acreditamos no cenário roqueiro da Paraíba. Queremos dar espaço a essa expressão. O nosso papel será enaltecer o rock, tanto o que já tem reconhecimento nacilnal quanto o que produzimos aqui”, diz. Segundo ele, o grande homenageado do primeiro festival pessoense dedicada ao som mais rebelde produzido no século XX será o cantor, músico e compositor Herbert Viana, líder do Paralamas.

Continue Lendo

Negócios

Consumidor desempregado pode ficar isento do contrato de fidelidade com serviço de telefonia

Publicado

em

O consumidor da Paraíba que comprovar a perda de vínculo empregatício posterior à assinatura do contrato de fidelidade com concessionárias de telefonia móvel e fixa ficará desobrigado de cumprir o acordo, é o que garante a lei estadual 11.466/2019, alerta a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor.

A lei, que está em pleno vigor desde outubro do ano passado, diz em seu parágrafo primeiro, textualmente, que “torna-se ineficaz a cláusula penal que estabeleça multa em caso de rescisão efetuada antes do período de carência inserida em contrato de adesão firmado entre concessionárias de telefonia móvel e fixa na hipótese em que o consumidor comprovar a perda do vínculo empregatício posterior ao início da avença contratual”.

Para o secretário Helton Renê, a legislação estadual demonstra um viés social interessante devido à vulnerabilidade em que se encontra o consumidor quando perde o emprego. “A lei promulgada recentemente é benéfica porque antecipa uma situação de vulnerabilidade das pessoas que perdem o vínculo empregatício. Sem uma renda assegurada para cumprir seus compromissos financeiros, o consumidor poderá não ter condições de arcar com um serviço de telefonia”.

CDC – O titular do Procon-JP acrescenta que o Código de Defesa do Consumidor  (CDC) já prevê a vulnerabilidade do consumidor. “Temos pelo menos três artigos do Código que podemos usar para situações assim, a exemplo do artigo 4º que reconhece a vulnerabilidade do consumidor, o artigo 6º, inciso V, que fala sobre revisão de contratos por razões supervenientes e o artigo 47 sobre as cláusulas contratuais serão interpretadas da maneira mais favorável ao consumidor”.

Sanções – Ainda de acordo com a lei estadual, a empresa de telefonia que não cumprir a legislação estará sujeita a sanções estabelecidas no CDC, que prevê multas e suspensão temporária dos serviços. “A lei especifica que as penalidades por descumprimento serão aplicadas pelos procons baseadas no CDC”, informou Helton Renê.

Campanhas a todo vapor – Esta é a terceira campanha educativa realizada em 2020. O Procon-JP já deu alertas sobre a legislaçãoque assegura que o consumidor idoso com mais de 80 anos tem primazia sobre os demais em atendimentos nas áreas de saúde, jurídica,bancos, lojas, transporte, etc, e já trouxe informações sobre a lista de material escolar. “Este ano vamos continuar a divulgar leis para que o consumidor fique ciente dos seus direitos e possa fazer as devidas cobranças ao fornecedor de bens e serviços”, informa Helton Renê.

Continue Lendo

Negócios

Renner pagará indenização a paraibano que teve o nome incluído em cadastro de inadimplente

Publicado

em

As lojas Renner foram condenadas ao pagamento de uma indenização, a título de danos morais, no valor de R$ 5 mil, por ter incluído indevidamente o nome de um consumidor nos cadastros de restrição de crédito. A sentença foi proferida pela juíza Adriana Maranhão Silva, da Vara Única da Comarca de Serra Branca, nos autos da ação nº 0800526-93.2018.8.15.0911.

O autor da ação sustentou que teve seu nome lançado no rol de inadimplentes pela empresa sem nunca ter contratado ou autorizado terceiros a contratarem em seu nome, nem tão pouco assinou qualquer documento. Aduziu, ainda, que o débito foi contraído no estado de São Paulo e foi vítima de fraude.

A empresa apresentou defesa, argumentando não haver defeito na prestação do serviço, uma vez que agiu no exercício regular de direito ao incluir o nome do promovente nos cadastros restritivos, diante da inadimplência de fatura de cartão de crédito. Ressaltou, ainda, que se houve fraude na contratação foi por culpa exclusiva de terceiro e que inexiste dano moral a ser reparado, destaca publicação do TJPB.

No julgamento do caso, a magistrada Adriana Maranhão destacou que o ônus da prova é de responsabilidade da empresa, que, no caso dos autos, não apresentou nenhum documento ou contrato que demonstrasse uma relação jurídica entre as partes. “Em que pese o demandado ter demonstrado que a dívida que originou a negativação é decorrente de débito de cartão de crédito, não há um mínimo de prova de regular contratação pelo autor”, afirmou.

A juíza observou que tudo indica ter sido uma outra pessoa que firmou contrato com a empresa como se fosse o autor. “A fraude cometida está evidente nos autos e caracteriza fortuito interno, que não exclui a responsabilidade”, frisou.

Da decisão cabe recurso.

Continue Lendo

Negócios

Custo da construção civil na PB encerra 2019 com segunda menor variação do país

Publicado

em

O custo da construção civil na Paraíba encerrou 2019 com uma alta de 1,53%, a 2ª menor variação do país e a mais baixa do Nordeste, no ano, de acordo com o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado nesta sexta-feira (10), pelo IBGE. O percentual ficou abaixo da média nacional, de 4,03%, e da região, de 2,92% e seguem a dinâmica do último estudo, divulgado em novembro, com os dados de novembro.

Em dezembro, o índice variou 0,33% no estado e o custo médio do metro quadrado alcançou o maior valor no ano para a Paraíba, de R$ 1,101,57. Em janeiro de 2019, esse montante era de R$ 1,087,02. A variação em relação ao mês de novembro foi a 5ª maior do Brasil e a 3ª da região, destaca publicação do Jornal da Paraíba.

Do custo médio com o metro quadrado, conforme o levantamento, a maior parte, R$ 624,71, foi direcionada para gastos com materiais, o que representa 56,71% do total. Já as despesas com mão de obra somaram R$ 476,86, em dezembro.

O valor de R$ 1.101,57 foi o terceiro maior da Região Nordeste, atrás apenas do estado do Maranhão, em que o montante foi R$ 1.115,34, e do Piauí, R$ 1.101,61. No contexto geral do Brasil, o custo médio do metro quadrado no último mês foi de R$ 1.158,81.

Continue Lendo