Nos acompanhe

Negócios

Grupo Elfa celebra crescimento contínuo e inaugura nova sede da empresa em João Pessoa

Publicado

em

O Grupo Elfa, referência no setor de distribuição de medicamentos no Brasil, vai inaugurar na próxima segunda-feira, 9, às 17h, a nova sede da empresa no DCT- Duo Corporate Towers, que fica situado às margens da BR-230, em João Pessoa. Com um espaço ainda mais moderno, a nova sede do grupo ocupa três pavimentos do empresarial, totalizando uma área de cerca de 1.200 m².

Na oportunidade, diretores, convidados da indústria, parceiros comerciais, gerentes e demais lideranças estarão presentes no evento para celebrar a nova conquista da empresa, que em fevereiro deste ano passou a ser liderada pelo CEO José Antônio  Vieira, que vai receber os convidados.  Os fundadores do Grupo, Edalmo Leite e Elmo Assis, que fazem parte do Conselho Administrativo, também estarão presentes.

O Grupo Elfa nasceu na capital paraibana há 30 anos. Com unidades em Recife, Fortaleza, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Florianópolis, o Grupo tem 11 centros de distribuição e representantes por todo o país, mas decidiu manter sua sede em João Pessoa, local de onde partem todos os direcionamentos do grupo.

Crescimento contínuo e reconhecimento nos últimos anos 

O Grupo Elfa vem passando por um crescimento exponencial contínuo nos últimos 10 anos.  Atualmente a organização absorve as operações de empresas como Prescrita, Jaw, Cristal Pharma, Majela Medicamentos, Ágilfarma e o Grupo CDM. As aquisições fortaleceram ainda mais a marca e aumentaram o seu mix de produtos e presença de mercado. A previsão de faturamento para este ano é de R$ 2 bilhões.

A cultura da empresa também é bastante focada no cuidado com as pessoas. Prova disto é que desde 2016 o Grupo é ranqueado no Great Place to Work (GPTW – Melhores Empresas para Trabalhar) no segmento Nacional da Saúde. São quatro anos consecutivos no ranking nacional. Na Paraíba, o Grupo Elfa está entre as 10 melhores empresas do GPTW.

Sempre figurando entre os principais prêmios de Gestão de Pessoas, a empresa também foi reconhecida com os prêmios ABRH de Desenvolvimento Humano, Prêmio Valor 1000 e o selo de As Maiores e Melhores Empresas da Revista Exame, publicação especializada em negócios.

Continue Lendo

Negócios

Custo da construção civil na PB encerra 2019 com segunda menor variação do país

Publicado

em

O custo da construção civil na Paraíba encerrou 2019 com uma alta de 1,53%, a 2ª menor variação do país e a mais baixa do Nordeste, no ano, de acordo com o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado nesta sexta-feira (10), pelo IBGE. O percentual ficou abaixo da média nacional, de 4,03%, e da região, de 2,92% e seguem a dinâmica do último estudo, divulgado em novembro, com os dados de novembro.

Em dezembro, o índice variou 0,33% no estado e o custo médio do metro quadrado alcançou o maior valor no ano para a Paraíba, de R$ 1,101,57. Em janeiro de 2019, esse montante era de R$ 1,087,02. A variação em relação ao mês de novembro foi a 5ª maior do Brasil e a 3ª da região, destaca publicação do Jornal da Paraíba.

Do custo médio com o metro quadrado, conforme o levantamento, a maior parte, R$ 624,71, foi direcionada para gastos com materiais, o que representa 56,71% do total. Já as despesas com mão de obra somaram R$ 476,86, em dezembro.

O valor de R$ 1.101,57 foi o terceiro maior da Região Nordeste, atrás apenas do estado do Maranhão, em que o montante foi R$ 1.115,34, e do Piauí, R$ 1.101,61. No contexto geral do Brasil, o custo médio do metro quadrado no último mês foi de R$ 1.158,81.

Continue Lendo

Negócios

Justiça condena Cagepa a pagar R$ 11,8 milhões em favor da construtora Sanccol

Publicado

em

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) foi condenada a pagar o valor de R$ 11,8 milhões (atualizado até 30.05.2018) em favor da empresa Sanccol Saneamento Construção e Comércio Ltda. A decisão foi proferida pelo juiz Gutemberg Cardoso Pereira, da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital, nos autos da Ação Ordinária de Cobrança nº 0831015-44.2018.8.15.2001.

A empresa alegou que celebrou com a Cagepa o Contrato nº 036/2008, oriundo da Concorrência nº 001/08, cujo objeto consistia na execução das obras de ampliação do sistema de abastecimento de água nos Municípios de João Pessoa e Santa Rita, com valor inicial de R$ 17.459.540,31. O contrato seria cumprido em 630 dias consecutivos, contados a partir da data da assinatura, o que ocorreu em dois de abril de 2008. Assim, o termo final do contrato seria em 23 de dezembro de 2009.

Ocorre que ao longo da execução do contrato, a empresa teria enfrentado inúmeros obstáculos que lhe impediram de imprimir um ritmo regular às obras, desde a falta de liberação de frentes de obra, falta de regularização fundiária e indefinições de projeto, demora nos ajustes de quantidades e preços que se fizeram necessários, bem como, os atrasos nos pagamentos e nas medições, que causaram a quebra do equilíbrio econômico-financeiro do contrato, destaca publicação do TJPB.

A Sanccol relata que por conta da grande quantidade de interferências na obra, o contrato original necessitou ser aditado por 20 vezes, tanto para fins de rerratificação contratual, como também para fazer acréscimo de valores e serviços em planilha e prorrogação de prazo de vigência do contrato. Diante disso, as obras sofreram prorrogações substanciais de mais de 1.920 dias devido a atrasos causados pela contratante, elevando o prazo total do contrato para 2.550 dias.

Diante dessa situação, a empresa afirma que os acréscimos de prazos e atrasos verificados no decorrer da obra desequilibrou a equação econômico-financeira inicialmente pactuada pelas partes, trazendo enormes prejuízos, pois implicou em drástica perda de produtividade e aumento significativo nos custos de Administração local da obra, encargos complementares e da manutenção do canteiro de obras.

Na contestação, a Cagepa alegou que a empresa deveria pleitear o reajuste econômico- financeiro do contrato até a data de prorrogação da avença, ao contrário, incidiria a renúncia tácita desse direito, ou seja, não discutir as questões atinentes à manutenção do equilíbrio financeiro, o contratado perde o direito. Alegou, ainda, pela imperícia e negligência contratual por parte da contratada em vários aspectos descritos na ação. Ao final, pugnou pela realização de perícia, bem como, pela total improcedência dos pedidos.

Sobre o pedido de perícia técnica, o juiz Gutemberg Cardoso destacou a total impossibilidade do pleito, pelo fato de não mais existir rastro, marcas definidoras de imprudência.

Analisando o mérito da demanda, o magistrado afirmou que, diante da prova produzida e acostada aos autos, foi a própria Cagepa que deu causa aos diversos problemas que geraram paralisações no andamento das obras. “Assim, deve-se assegurar o equilíbrio econômico financeiro como sendo uma vertente em todo contrato administrativo, sendo observado de forma fundamental e essencial pelos acordantes”, ressaltou.

Da decisão cabe recurso.

Continue Lendo

Negócios

Hospital Alberto Urquiza Wanderley recebe certificação inédita na Paraíba

Publicado

em

O cliente da Unimed João Pessoa tem mais uma garantia de que seu atendimento é seguro e focado no bem-estar. É que o Hospital Alberto Urquiza Wanderley recebeu uma certificação internacional inédita na Paraíba, na área de Tecnologia da Informação. A divulgação oficial aconteceu nesta quinta-feira, 16, no auditório do Hospital.

A unidade hospitalar agora é validada no modelo de maturidade Emram estágio 6, da Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS). Isso significa que a Tecnologia da Informação utilizada tem o mesmo nível que os melhores hospitais no mundo. No Brasil, apenas outros 21 hospitais têm a mesma certificação.

A Unimed João Pessoa está investindo em tecnologia para os Serviços Hospitalares da Cooperativa. Isso acontece para que todo o atendimento ao paciente, desde sua admissão até sua alta, seja feito da maneira mais segura possível.

Tecnologia para saúde

A evolução da Tecnologia da Informação está presente no dia a dia da equipe do Hospital Alberto Urquiza. Um desses exemplos é o aplicativo que dá mais segurança no atendimento ao paciente que precisa de transfusão de sangue, coletar exames de laboratório e doar ou receber leite materno. Esse aplicativo, desenvolvido pela equipe de Tecnologia da Informação do Hospital, possibilita que os recipientes com leite, sangue e material para laboratório recebam um código de barras ou QRCode.

Após escaneadas, todas as informações aparecem no telefone celular, garantindo mais segurança e otimizando o tempo dos profissionais envolvidos. Tudo isso de forma integrada, utilizando o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP).

Sustentabilidade

Essas mudanças implantadas também ajudam na sustentabilidade da Cooperativa e na preservação do meio-ambiente. Em um período de 18 meses, oito milhões de folhas de papel deixaram de ser impressas e armazenadas. Com esta redução, estima-se que pelo menos 800 árvores deixaram de ser derrubadas.

A utilização do PEP gera muito mais que economia em papel, ele impacta diretamente no atendimento ao paciente. No sistema, todos os profissionais envolvidos no atendimento têm acesso a guias de internação, relatórios médicos, histórico de atendimento e demais documentos emitidos eletronicamente, relacionados ao mesmo paciente, seja da internação atual ou antiga. Tudo isso com segurança da informação garantida.

Também eletronicamente, há a checagem de exames e medicamentos beira leito, barreiras para evitar eventos de alergia e a interação medicamentosa. Todos os processos livres de papel.

Certificação Himss

Todo o processo para receber a certificação HIMSS – a mais desejada quando o assunto é Tecnologia da Informação em Saúde – é voluntário. Esta é a primeira vez que o Hospital Alberto Urquiza se submeteu a esta avaliação e já conseguiu atingir o nível 6, quando a escala de avaliação chega a sete.

Ter esta validação garante que todos os processos do hospital estão utilizando as boas práticas de Tecnologia da informação alinhada à saúde. “É de extrema importância que possamos contar com inovações tecnológicas para o atendimento do nosso paciente. O Hospital Alberto Urquiza sempre foi pioneiro em utilizar novas tecnologias e ser referência em equipamentos modernos e cirurgias de alta complexidade. O cliente da Unimed João Pessoa sempre é beneficiado com nosso pioneirismo. Ser o primeiro hospital da Paraíba com a certificação HIMSS é mais uma conquista não apenas nossa, mas um benefício para todos os paraibanos”, disse o Gestor de Serviços Hospitalares, Norberto de Castro Nogueira Filho.

A HIMSS é uma associação internacional com o objetivo principal de estimular o uso da Tecnologia da Informação(TI) pelo setor da Saúde.

Continue Lendo