Nos acompanhe

Paraíba

Fiéis lotam praia do Cabo Branco no primeiro dia do Festival Louvor e Adoração

Publicado

em

Uma verdadeira multidão de fiéis tomou conta das areias da praia do Cabo Branco para acompanhar o primeiro dia do Festival Louvor e Adoração, que teve shows dos padres Fábio de Melo, Reginaldo Manzotti, Nilson Nunes, além de convidados especiais e a Banda Rosa de Saron, na noite desta quinta-feira (5). O evento realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) integra a ação ‘Cidade que tem mais Oportunidades’, que inclui uma série de medidas para impulsionar o turismo e a economia da Capital. A programação se estende nesta sexta-feira (6) com a participação de nomes consagrados da música gospel, como Aline Barros, Regis Danese, Fernanda Brum, entre outros.

Entre os fiéis, estava o prefeito Luciano Cartaxo e a primeira-dama, Maísa Cartaxo. “Muito bom ver tanta gente, todas essas famílias se reunindo na nossa Orla para adorar a Deus e fazer desta noite um momento de fé e adoração”, disse o prefeito Luciano Cartaxo. “O fim de ano em João Pessoa tem uma grande programação para todos, e esta primeira noite do Festival Louvor e Adoração foi muito especial para renovar e fortalecer a nossa fé”, concluiu o prefeito Luciano Cartaxo.

Entre os religiosos, a noite foi uma grande oportunidade para passar uma mensagem de fé para os fiéis da Capital, como fez o Padre Fábio de Melo. “Toda vez que eu tenho a oportunidade de falar para um público como esse é sempre uma responsabilidade, por saber que o que a gente fala e canta, faz bem para o coração de quem nos escuta. Essa praia repleta de pessoas, com suas diferenças, mas a gente precisa aprender que essas diferenças não podem nos afastar. Estou muito feliz de estar hoje, aqui na Paraíba, numa noite tão especial com convidados muito especiais”, afirmou.

Os shows atraíram caravanas de diversas cidades – da Paraíba e de fora do Estado – fiéis que se misturaram para viver uma noite especial, como destaca Erisônia Rodrigues, que veio com dezenas de pessoas da cidade de Capim. “Uma noite maravilhosa para todos nós, católicos. Valeu a pena sair de casa para viver essa experiência, compartilhar com todas essas pessoas um momento de muita espiritualidade. Parabéns à Prefeitura de João Pessoa, por trazer tantos cantores importantes, que passam uma mensagem de fé e esperança”, afirmou.

Para quem é da Capital, como o professor Júlio Félix, a noite foi inesquecível. Ele ressaltou a iniciativa da Prefeitura Municipal de João Pessoa, de contemplar o público religioso na programação cultural de fim de ano. “Uma felicidade trazer a família para participar de um evento lindo como esse, inesquecível. Nossa cidade precisa disso, de cultura para todos os públicos, principalmente aqueles que transmitem uma mensagem de paz, amor e esperança, como foi hoje aqui”, disse.

Programação desta sexta – Na noite desta sexta-feira (6), encerrando o Festival ‘Louvor e Adoração’, se apresentam Aline Barros, Fernanda Brum, Damares, Davi Sacer, Régis Danese, Leonardo Gonçalves e Nazireu, nomes muito conhecidos da música gospel.

Projeção – Os dois dias de shows do Festival Louvor e Adoração irão se transformar em um programa especial de fim de ano, da Globo Nordeste, que será exibido no dia 28 deste mês, para 25 emissoras da rede. As imagens direto de João Pessoa serão vistas por milhares de pessoas em toda a Região Nordeste.

Estrutura – Além do palco com mais vinte metros, onde os artistas se apresentam, a estrutura do evento conta com área de acessibilidade, camarins para todos os artistas, área para a imprensa, 80 banheiros químicos, sendo oito de acessibilidade, posto médico fixo com viaturas do Samu e Corpo de Bombeiros e um esquema especial de trânsito feito pela Semob.

Parcerias – A Funjope conta com vários parceiros para a realização do evento, como a Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), Secretaria de Meio Ambiente (Semam), Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra), Secretaria de Comunicação Social (Secom), Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Secretaria Municipal de Turismo (Setur), Secretaria de Habitação Social (Semhab), Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Secretaria de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), Guarda Civil Municipal, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

Continue Lendo

Paraíba

Gravado, Ricardo desdenhou e fez piada com a idade de Maranhão: “Dormindo em pé. Maranhão dorme…”

Publicado

em

Após a repercussão do áudio em que o ex-governador Ricardo Coutinho disse que o deputado federal Aguinaldo Ribeiro é inconfiável, o RádioBlog traz nesta quinta-feira (23), novo trecho de conversa entre Ricardo e o delator na Operação Calvário, Daniel Gomes.

Durante a conversa, ao analisar os candidatos para a disputa eleitoral do último ano, Ricardo Coutinho desdenhou da idade do senador José Maranhão e fez piada: “O cabra com 85 anos… dormindo em pé. Maranhão dorme… Maranhão tá sentado dorme”.

Confira o áudio:

Confira a degravação:

DANIEL: É o que o senhor falou naquela vez naquela reunião. É uma eleição ganha né, você abrir mão de uma eleição ganha é difícil mas em contra partida o projeto é, é maior né?

RICARDO: (ininteligível)…

DANIEL: Realmente a pessoa perde, perder a mão do Estado aí fica bem mais difícil pra conseguir fazer o JOÃO. Mas apesar de que eu acho que ele tem tudo…depende muito também da composição né? (ininteligível)… Se de fato o PMDB lançar a candidatura eu acho que o MARANHÃO…

RICARDO: É.

DANIEL: …pelo visto vai, de novo, que é inacreditavel né, com 80 anos.

RICARDO: A grande pergunta é a seguinte é, qual o peso real…

DANIEL: De MARANHÃO…

RICARDO: …que eu não sei. Desse povo, depois dessa confusão toda…

DANIEL: Dessa confusão toda, é verdade.

RICARDO: …então, esse, essa pergunta ninguém sabe. Pode ser que ressurjam né (ininteligível)…

DANIEL: Eu acho que CÁSSIO tá morto enfim acho que CÁSSIO…

RICARDO: É, (ininteligível)…

DANIEL: Mas MARANHÃO eu acho que nesse ponto acabou passando (ininteligível)…

RICARDO: É (…) a idade dele…

DANIEL: A idade, a idade…

RICARDO: A idade (ininteligível)…. O “cabacabra” com 85 anos…

DANIEL: Mas eu acho que ele pega um segundo turno, se bobear, não pega?

RICARDO: Dormindo em pé. MARANHÃO dorme…

DANIEL: (ininteligível)…

RICARDO: …MARANHÃO tá sentado dorme.

DANIEL: É.

RICARDO: Entendeu aí… num, eu ganhei dele em 2010 rapaz, na verdade, na verdade no inconsciente foi isso… as pessoas pô… sabe?

DANIEL: É.

RICARDO: Porque ele tinha tudo.

DANIEL: Aí ficou naquele negócio, seu tempo acabou (ininteligível)…

RICARDO:É(…)

DANIEL: …na reportagem, que ficava o tempo todo.

RICARDO: É, ou seja, sabe, as pessoas pô não dá mais não, pelo amor de Deus…

DANIEL: É.

RICARDO: …tal… agora…

DANIEL: Sete, oito anos depois.

RICARDO: Ele é ótimo pro Senado, porque o Senado é um lugar pro “cabacabra” dormir, pro “cabacabra”…

DANIEL: É, é. (risos)

RICARDO: Né? aí, é meio que a casa dos anciãos né?

DANIEL: (risos) O senhor não pode mais falar isso não quem sabe o senhor…(risos)

RICARDO: (ininteligível)… é verdade seuessa porra (risos)

DANIEL: (risos)

Continue Lendo

Paraíba

Áudio: Ricardo Coutinho suspeitava que estava sendo gravado, mas continuou com práticas criminosas

Publicado

em

 

O ex-governador e ex-presidiário Ricardo Coutinho (PSB) suspeitava que estava sendo grampeado. Em uma das conversas com Daniel Gomes, delator na Operação Calvário, Ricardo comentou sobre a suspeita e disse que estaria sabendo de algumas coisas. Na mesma conversa, o ex-presidiário fala sobre a preocupação em deixar o Governo do Estado nas mãos da família Feliciano para participar da disputa ao Senado Federal nas últimas eleições.

Confira o áudio:

Confira a degravação:

RICARDO: Como vai (ininteligível)…

DANIEL: (ininteligível)… (ruído) (tosse) Como é que estamos?

RICARDO: (ininteligível)…

DANIEL: Bem?

RICARDO: Tudo (ininteligível)…. Tu tem telefone tem?

DANIEL: Tenho.

RICARDO: Deixa eu botar ali na mesa… que eu descobri uma coisa ontem…

DANIEL: Eu também gosto de…

RICARDO: …não mas eu descobri uma coisa ontem…

DANIEL: (ininteligível)…

RICARDO: (ininteligível)… que pega tudo…

DANIEL: Tem um aparelhinho hoje em dia que os caras…

RICARDO: …pega, pega…

DANIEL: …fazem (ininteligível)…

RICARDO: …(ininteligível)… e o cara não sabe que tá sendo…

DANIEL: O IPHONE é um problema, não dá pra tirar a bateria. Eu também sempre…

RICARDO: Porra…

DANIEL: …tenho feito isso.

RICARDO: …eu fiquei (ininteligível)…

DANIEL: (risos) (ininteligível)…

RICARDO: Me disseram coisas…

DANIEL: “Ahn”

RICARDO: …que tinha acontecido e que souberam através desse, desse (ininteligível)…

DANIEL: Desse, desse aplicativo.

RICARDO: (ininteligível)… ou seja o cara ta…

DANIEL: Hoje em dia não tem mais jeito governador.

RICARDO: O cara tá grampeado ambientalmente.

DANIEL: Hoje em dia. (ruído). E como é que tão tudo cara?

RICARDO: Tão caminhando.

DANIEL: Animado aí pra eleição.

RICARDO: Rapaz (ruído) acho que vai…

DANIEL: Dá (ininteligível)…?

RICARDO: JOÃO, JOÃO tá indo bem.

DANIEL: Bem…tenho, tenho ouvido bem, bastante coisa dele viu.

RICARDO: É, tá indo bem…

DANIEL: Acho que ta.

RICARDO: tá indo bem, encarna bem assim o espírito do, do governo.

DANIEL: É, eu acho que ele ta, tá indo na, na maré boa.

RICARDO: (ininteligível)… eu é que tenho que esperar o tempo e…

DANIEL: Resolver a vida né?

RICARDO: …“definir” e tal porque…

DANIEL: Mas eu acho que o senhor tem que vim, cara…

RICARDO: Mas é porque (ininteligível)…

DANIEL: Eu sei que é difícil né (ininteligível)… uma decisão…

RICARDO: Isso é um jogo pesado.

DANIEL: É…

RICARDO: (ininteligível)…

DANIEL: Mas olha, além de ta, além de tá garantido uma, uma vaga o senhor ajuda ele indo “fazendo” campanha fora.

RICARDO: (ininteligível)… mas e…

DANIEL: Porque no governo você vai ficar um pouco preso.

RICARDO: …mas e se LÍGIA der o “cangapé” em todo mundo.

DANIEL: Esse é, esse é o…esse…

RICARDO: Porque (ininteligível)… bota em cima da mesa, conta como é, tal…

DANIEL: (ininteligível)… tem uma conversa prévia com ela e é difícil, imagina. Dizem que ela não é a complicada…

RICARDO: É.

DANIEL: …complicado é o marido.

RICARDO: É o marido. O marido faz, o marido já fez (ininteligível)….

DANIEL: O marido e o filho. Dizem que o filho também.

RICARDO: Horrível, horrível. Tanto é que o filho eu num, eu nem deixo entrar na sala que eu tô.

DANIEL: Entendi.

RICARDO: (ininteligível)… . É pesado o menino.(ininteligível)… Aí eu não posso…

DANIEL: É.

RICARDO: Porque, se tivesse um instrumento, aí tudo bem.

DANIEL: Seu prazo máximo é o que, é fi…é início de abril né?

RICARDO: Abril é, início de abril. Se tivesse um instrumento que dissesse: o tá aqui, é você num, num pode mudar nenhum membro do governo, aí eu tocava até Dezembro.

DANIEL: Entendi.

RICARDO: Aí saía, e tocava e ela viraria Governadora, que é o máximo que (ininteligível)….

DANIEL: Claro, pois é, acho que pra ela seria ótimo, sem dúvida alguma.

RICARDO: O problema é que ela vai dizer, não…DAMIÃO não, tudo bem rapaz, chegar lá…

DANIEL: (risos)

RICARDO: …arruma uma confusão né?

DANIEL: No dia seguinte já muda tudo.

RICARDO: Uma confusão, a cabo branco faz lá um, a globo faz lá uma confusão ou (ininteligível)… pronto.

DANIEL: Não, esse é o grande risco, concordo com o senhor que é o grande…

RICARDO: (ininteligível)…

DANIEL: E não dá pra correr esse risco né?

RICARDO: (ininteligível)…

DANIEL: Porque aí o senhor, aí o senhor perdeu a mão do governo aí ficou pior.

RICARDO: Na prefeitura é o, é o caos pô, é (…) foi o caos né, porque…o cara que era um…

DANIEL: Que era próximo né, acontecer o que aconteceu.

RICARDO: (ininteligível)… o cara que era um…sabe? Imagina um, uma pessoa que num…

DANIEL: É, é uma decisão difícil, bem difícil. Vai ter que pensar bem o que fazer.

RICARDO: Eu tentar…é por isso que eu tenho que estruturar tudo. Eu tenho que, eu tenho que fazer o seguinte sabe DANIEL, se eu for sair…

DANIEL: Tem que tá com tudo…

RICARDO: …eu tenho que pegar adutora lá de não sei de onde, eu pegar o dinheiro todo, boto na CAGEPA, “pá”. Obra de não sei de onde…

DANIEL: É.

RICARDO: …aí vou, vou, vou, e…

DANIEL: Tentar pelo menos…

RICARDO: É.

DANIEL: …minimizar o risco.

RICARDO: É.

Continue Lendo

Paraíba

Associação dos Delegados divulga nota de repúdio aos ataques de Ricardo Coutinho a Alan Terruel

Publicado

em

 

NOTA DE REPÚDIO

A Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba – ADEPDEL vem a público se manifestar seu total repúdio às declarações do Ex-Governador e investigado da Operação Calvário, Ricardo Coutinho, contra o Delegado de Polícia Civil, Dr. Állan Murilo Barbosa Terruel, publicadas nas redes sociais, portais e blogs da Paraíba.

Inicialmente, cabe registrar que o Delegado Állan Terruel é referência de profissional no nosso Estado e em todo o País. Profissional dedicado ao trabalho, de conduta ilibada e responsável por presidir, coordenador e colaborar com grandes operações de repressão qualificada no nosso Estado. Um orgulho da Polícia Civil e da ADEPDEL.

Leia também:

Submundo da arapongagem: “…,estamos preparando chumbo grosso,..”, diz Ricardo Coutinho

A Polícia Civil evoluiu muito nos últimos anos, com muitas operações de repercussão nacional, redução de homicídios e aumento na elucidação de crimes. Foi também considerada a melhor Polícia Civil do País, segundo pesquisa da revista Exame.

A sociedade reconhece o trabalho da Polícia Civil, de João Pessoa a Cajazeiras.
Infelizmente, a Polícia Civil não está livre de tentativas de ingerências políticas, pois a sua chefia e vários cargos de relevância são de livre nomeação e exoneração pelo Governador. Não faz muito tempo que denunciamos que a Polícia Civil sangrava, em alusão às exonerações ocorridas em outubro de 2018 e, até hoje, não explicadas.

Quanto às declarações do ex-governador e investigado da Operação Calvário, só temos a lamentar tamanho desrespeito ao profissional, à Polícia Civil e à sociedade. Chamar um profissional que está imbuído de combater corrupção de ʺbolsonarista desgraçadoʺ, ʺescrotoʺ e dizer que ʺ…estamos preparando chumbo grosso…ʺ é uma prova cabal de tentativa de ingerência política na instituição Polícia Civil. Isso não admitiremos.

Talvez tenhamos encontrado o real motivo para remunerar os profissionais de segurança com penduricalhos. Como o Delegado não tem inamovibilidade e não recebe por subsídio, é muito mais fácil puni-lo com uma remoção e cortar verbas precárias para que ele não possa desempenhar atividades que incomodem os poderosos, em especial, os corruptos.

Os Delegados de Polícia Civil do Estado trabalham para a sociedade, não têm apego a cargos, não estão de passagem e sempre seguirão o caminho do bem, em busca de uma Polícia Judiciária cidadã, que possa priorizar o que a sociedade realmente quer.

Contudo, faz-se necessário a aprovação de medidas que possam garantir o início ou a continuidade de investigações ou operações, sem surpresas de remoções injustificadas. Para isso, é necessária a aprovação da PEC 01 de 2019, que tramita na Assembleia Legislativa, bem como a proposição de um mandato para o Delegado Geral de Polícia Civil, pois isso dará mais segurança e autonomia para que o gestor maior da instituição possa tomar as decisões necessárias, sem o receio de ser exonerado a qualquer momento pelo Governador.

Acreditamos no trabalho do Ministério Público da Paraíba, em especial do GAECO, e da Justiça Paraibana. Essas instituições estão dando orgulho à sociedade no combate à criminalidade organizada e à corrupção.

A Polícia Civil, como Polícia de Estado e não de Governo, não pode ser tolhida de contribuir para o combate à corrupção. E hoje o faz, mesmo que sem a estrutura necessária, com a Delegacia de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado.

Por fim, pedimos o apoio da sociedade paraibana na luta pelo pagamento do subsídio, que significa o fim dos penduricalhos e o fim das remoções de profissionais para terem perdas financeiras, bem como na aprovação da PEC 01 de 2019 que acabará com as remoções sem justa causa, além do estabelecimento do mandato para o Delegado Geral.

João Pessoa, 23 de janeiro de 2020.
A DIRETORIA – ADEPDEL

Continue Lendo