Nos acompanhe

Brasil

LDO: PEC de Cássio que revoga artigo da Constituição está pronta para ir ao plenário no Senado

Publicado

em

A votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é uma das atividades mais importantes do Congresso Nacional. É a LDO que define as orientações para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) da União e é nela que são estimadas as receitas e fixadas as despesas do governo federal para o próximo ano. Tal é a importância da votação da LDO que a Constituição é clara ao vedar a interrupção da sessão legislativa sem que ela ocorra (artigo 57, § 2.º).

No entanto, não é incomum que os parlamentares saiam para o recesso de meio de ano, entre 18 e 31 de julho, com a LDO ainda em discussão. A saída, evidentemente, não é oficial. A rigor, a sessão legislativa não é interrompida, ainda que a grande maioria dos parlamentares não esteja em Brasília nessas duas semanas. É o chamado “recesso branco”.

O melhor para o País seria a permanência dos congressistas na capital federal a fim de votar a LDO, sem haver a interrupção dos trabalhos pelo chamado “recesso branco”. Seria um eloquente sinal emitido por deputados e senadores de que o Poder Legislativo está atento às mais prementes necessidades do País. Nesse momento, não cabe recesso, branco ou da cor que seja.

Além disso, o adiamento da votação da LDO para agosto tem implicações de natureza prática. A Lei de Diretrizes Orçamentárias deve, em princípio, estar votada no início de agosto, já que o projeto de Lei Orçamentária – que depende da LDO – tem de ser encaminhado ao Congresso naquele mês. Atrasos nessa tramitação criam dificuldades para a administração pública nos primeiros meses de cada ano. Logo, a vinculação entre a aprovação da LDO e a saída para o recesso legislativo não é um mero capricho da Lei Maior, destaca reportagem do Estadão.

Em 2015, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) apresentou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 103, cujo propósito é revogar o § 2.º do artigo 57 da Constituição. O senador argumenta que, caso seja aprovada, a PEC dará ao Congresso um prazo “mais elástico” para conduzir o processo de elaboração da LDO sem que se tenha, ao final de cada semestre, de “votar o tema no afogadilho” devido ao prazo fixado em mandamento constitucional. A tese foi acolhida no relatório do senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) apresentado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e aprovado em março de 2017. A PEC 103 se encontra pronta para deliberação do plenário do Senado desde o final de janeiro deste ano.

Caso seja aprovada, a PEC 103 resolve a questão legal e põe fim ao “recesso branco”, que deixaria de ser informal, disfarçado, mas não aos problemas de ordem prática ocasionados pelo eventual atraso na votação da LDO. Nada impedirá que a discussão das diretrizes orçamentárias no Congresso ocorra “no afogadilho”, como teme o senador Cunha Lima. Em outras palavras: revogada a vedação constitucional para o recesso sem aprovação da LDO, os parlamentares podem sentir-se mais confortáveis para dilatar prazos que, ao fim e ao cabo, podem comprometer a elaboração do Orçamento da União.

Clique AQUI e confira a reportagem completa

Continue Lendo

Artigos

RádioBlog faz pausa carnavalesca, cai na folia e retoma atividades na próxima quinta-feira

Publicado

em

Em ritmo carnavalesco, o Paraíba RádioBlog fará uma breve pausa, cairá na folia e retoma as atividades na próxima quinta-feira (27).

Bom carnaval a todos e, se beber, não dirijam!

Continue Lendo

Brasil

Pés de Barro: Para escapar de notificação da Corregedoria, Wilson Santiago tenta licença médica

Publicado

em

Após ter o mandato salvo pela Câmara mediante o compromisso de bastidor de que seu caso seria analisado pelo Conselho de Ética, o deputado Wilson Santiago (PTB-PB) tentou escapar de ser notificado pela Corregedoria da Casa, passo anterior à fase do Conselho. Ele chegou inclusive a apresentar um pedido de licença médica.

Foi preciso uma pressão contrária de líderes partidários e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Responsável por autorizar as licenças médicas, o 3º secretário da Mesa, Fábio Faria (PSD-RN), disse que, se o pedido chegar, a tendência é que não seja acatado.

Santiago recebeu na segunda (17) a notificação para apresentar sua defesa. O advogado do parlamentar não comentou o episódio.

Painel – Folha

Continue Lendo

Brasil

‘Um País que se divide entre retroescavadeira e bala…’

Publicado

em

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), presidente da Comissão de Educação da Câmara, não escondeu sua perplexidade com os dois tiros sofridos pelo senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE), depois de tentar debelar um protesto de policiais militares usando uma retroescavadeira contra eles. Para o deputado, o episódio mostra bem um sério problema do Brasil.

“Um País que se divide entre retroescavadeira e bala… Será que não existe uma maioria para perceber que os dois lados estão errados?”, escreveu o deputado no seu Twitter.

Um país que se divide entre retroescavadeira e bala… Será que não existe uma maioria para perceber que os dois lados estão errados?

BR Político

Continue Lendo