Nos acompanhe

Paraíba

Ministério Público Federal participa de TAC para acabar com lixões na Paraíba

Publicado

em

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba participa do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) em que prefeitos paraibanos se comprometeram a acabar com os lixões, a dar aos resíduos sólidos um destino adequado e a implementar ações para recuperar a área degradada. Na segunda-feira (8), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Nacionais Renováveis (Ibama) também assinou o TAC e, com isso, as ações civis públicas eventualmente já ajuizadas pelo Ibama relativas aos lixões dos 68 municípios que assinaram o acordo serão suspensas.

Os TACs foram assinados com as prefeituras em 2018, no âmbito do projeto ‘Fim dos Lixões’, idealizado pelo Ministério Público Estadual (MPPB), com o objetivo de garantir uma solução consensual para o problema. O MPF integra o ajustamento de conduta em razão do envolvimento do Ibama e da existência de diversas ações judiciais na Justiça Federal tratando do mesmo assunto.  Há também no MPF o procedimento investigativo nº 124.000.001759/2010-01 para apurar a existência de lixão nas proximidades da aldeia São Domingos, no município de Marcação, no litoral norte do estado, informa publicação do MPF.

A formalização da participação do Ibama no projeto ocorreu durante solenidade na sede do Ministério Público Estadual, em João Pessoa, e contou com a presença de várias autoridades, como o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico; o representante do Ministério Público Federal, Antônio Edílio Magalhães; o secretário de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente, Deusdete Queiroga Filho; o presidente da Federação das Associações dos Municípios (Famup), George Coelho; representantes do Ibama na Paraíba e de prefeitos municipais.

O representante do MPF, Edílio Magalhães, destacou que, além de promover desenvolvimento sustentável, o fim dos lixões diminui as despesas do Estado com saúde pública e parabenizou a todas as instituições envolvidas, Estado e prefeituras, pela iniciativa. “Dar o destino adequado ao lixo não é só uma questão ambiental; é uma questão de civilidade”, disse.

Pelo MPPB, estiveram presentes o 2° subprocurador de Justiça, Álvaro Gadelha; o procurador de Justiça, Francisco Sagres; o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias e Justiça de Defesa do Meio Ambiente, Saúde e Consumidor, o promotor de Justiça Raniere Dantas e o promotor de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de João Pessoa, José Farias.

Farias informou que em 2005, o MPPB, a Sudema e o Ibama promoveram um seminário voltado aos promotores de Justiça para tratar do problema dos lixões e que ficou acordado que Sudema e Ibama fariam fiscalizações e autuariam os municípios que estivessem descumprindo a lei ambiental. “Após as autuações, não houve a continuidade de ações conjuntas entre os órgãos e o Ibama manejou 58 ações civis públicas contra municípios, para obrigá-los a fazer um aterro sanitário, uma solução que eles não teriam condições de implementar. Todas as sentenças foram prolatadas nesse sentido, mas nenhuma foi executada e isso gerou multas que oneraram ainda mais os municípios”, explicou.

O presidente da Famup, George Coelho, falou do empenho dos prefeitos para solucionar o problema dos lixões e destacou que as multas aplicadas pelos órgãos ambientais são um entrave que prejudica os municípios. Segundo ele, os recursos pagos pelas prefeituras com as multas poderiam ser destinados à solução do problema ambiental.

O projeto – O procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico, enfatizou que o projeto ‘Fim dos Lixões’ tem como objetivo garantir uma solução consensual para um problema antigo. O projeto consiste na proposição aos prefeitos da assinatura de um acordo de não-persecução penal, em que o gestor se compromete a adotar a solução mais viável para erradicar o lixão existente no município, no prazo de um ano, além da assinatura de um TAC com a Promotoria de Justiça do Meio Ambiente local, em que se compromete a adotar, no prazo de cinco anos, medidas para recuperar a área que foi degradada pelo lixão. “Apresentamos o projeto aos prefeitos dos municípios de duas regiões (polarizadas por Guarabira e João Pessoa) e ele foi muito bem aceito. Nosso objetivo não é punir e sim resolver o problema. Cinco municípios já apresentaram projetos à Sudema e é muito importante esse endosso da presidência nacional do Ibama ao projeto”, destacou.

Para o coordenador do Centro de Apoio, Raniere Dantas, a ratificação da presidência nacional do Ibama ao projeto do MPPB é um ‘marco histórico’. “A questão dos resíduos sólidos na Paraíba é caótica. Quando iniciamos o projeto, apenas 12% dos municípios destinavam os resíduos a aterros sanitários. A aceitação do projeto foi tão boa que prefeitos de outras regiões já estão nos procurando. Isso porque conseguimos chegar a um consenso único entre MPPB, MPF, Sudema, Ibama e prefeitos para um problema ambiental porque, de nada adianta que prefeitos sejam presos, se continuarmos com o problema do lixão. O projeto tem uma série de benefícios, não só ambientais, como econômicos, pois gera emprego e renda. Uma cooperativa de reciclagem bem organizada é capaz de gerar salários a catadores de R$ 2,4 mil por mês. O que a gente quer é um encaminhamento para que tenhamos, realmente, uma solução para o problema ambiental”, defendeu.

O procurador de Justiça, Francisco Sagres, por sua vez, destacou a importância da solução extrajudicial para a questão dos lixões na Paraíba. “Esse é um problema grave e estamos lutando para que os municípios se agreguem a esse interesse, que é da sociedade e o apoio do Ibama e da Famup é fundamental. Temos hoje dois estados que acabaram com os lixões: Paraná e Alagoas. Queremos ser o terceiro estado a conseguir isso”, falou.

O secretário de Recursos Hídricos e Meio Ambiente também parabenizou a ação considerada de vanguarda do MPPB e anunciou que serão destinados recursos para auxiliar os municípios a acabarem com os lixões. “O governo do Estado tem se solidarizado e deve fechar em julho uma previsão de recursos para uma ação conjunta em relação à questão do lixo”, disse.

O presidente do Ibama, Eduardo Bim, também parabenizou a iniciativa do MPPB. “O Ibama não nasceu para autuar. Prezamos por soluções consensuais que viabilizem uma melhor tutela ambiental e prezamos por esse tipo de trabalho”, disse.

Confira a íntegra do TAC

Municípios que se comprometeram a acabar com o lixão:

Alhandra
Alagoinha
Algodão de Jandaíra
Araçagi
Arara
Araruna
Baía da Traição
Bananeiras
Baraúna
Barra de Santa Rosa
Belém
Borborema
Caaporã
Cacimba de Dentro
Caiçara
Caldas Brandão
Capim
Casserengue
Cruz do Espírito Santo
Cuité
Cuité de Mamanguape
Cuitegi
Curral de Cima
Damião
Dona Inês
Duas Estradas
Frei Martinho
Guarabira
Gurinhém
Itabaiana
Itapororoca
Jacaraú
Juripiranga
Lagoa de Dentro
Logradouro
Lucena
Mamanguape
Marcação
Mari
Mataraca
Mogeiro
Mulungu
Nova Floresta
Nova Palmeira
Pedra Lavrada
Pedras de Fogo
Pedro Régis
Picuí
Pilar
Pilões
Pilõezinhos
Pirpirituba
Pitimbu
Remígio
Riachão
Riachão do Poço
Rio Tinto
Salgado de São Félix
São José dos Ramos
São Miguel de Taipu
Sapé
Serra da Raiz
Serraria
Sertãozinho
Sobrado
Solânea
Sossego
Tacima

Continue Lendo

Negócios

R$ 4 milhões: Superintendente do Detran, Agamenon Vieira credencia empresa sem processo licitatório

Publicado

em

O superintendente do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN-PB), Agamenon Vieira, participou no último sábado (14) de premiação oferecida pela empresa VSoft Informática, conforme publicado em perfil no Instagram do próprio órgão de trânsito.

O post na rede social chamou a atenção, uma vez que a empresa VSoft foi contratada pelo próprio Agamenon Vieira para prestar serviços no DETRAN-PB, sem processo de licitação, e que deveria ter seus serviços fiscalizados pelo próprio Departamento Estadual de Trânsito. Mas as coincidências não param por aí.

Em contato com o RádioBlog, uma fonte do próprio Departamento Estadual de Trânsito informou que Agamenon Vieira editou, meses após assumir a chefia do DETRAN-PB, portaria 070/2017, credenciando empresa para “desenvolvimento e disponibilização de sistema eletrônico de anotação, transmissão e recepção dos relatórios de avaliação de aulas de prática de direção veicular, no âmbito do Estado da Paraíba”. A empresa agraciada, sem procedimento licitatório, foi a VSoft Informática Ltda.- ME, inscrita sob o CNPJ 03.776.595/0001-60.

Ainda segundo informações da fonte, o procedimento de credenciamento resultou na cobrança de R$ 2,99 por cada aula prática aos futuros motoristas que pretendem retirar o documento de habilitação no Estado da Paraíba. De acordo com Código de Trânsito, são necessárias ao menos 20 aulas práticas para obter a Carteira Nacional de Habilitação, consequentemente, cada cidadão paraibano candidato a retirar CNH passou a pagar R$ 59,60 à empresa VSoft.

Segundo levantamento feito no site do próprio DETRAN, somente nos anos de 2017 e 2018 a Paraíba teve um acréscimo de aproximadamente 67 mil novos condutores habilitados, que resultou num lucro aproximado de R$ 4 milhões à empresa VSoft Informática, que tem como sócio administrador o empresário paraibano Daniel Targino.

 

Auditoria: João Azevedo envia aliado ao Denatran para levantar informações sobre o Detran-PB

Fonte do Governo do Estado informou ao RádioBlog que o governador João Azevedo enviou um aliado ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em Brasília. O objetivo, realizar um levantamento de documentos, decretos, contratos, entre outros, que possam subsidiar o Governo a respeito da atual situação no órgão, na Paraíba.

“João está buscando fazer o certo, levantar o que está errado, corrigir e punir os envolvidos”, disse a fonte ao RádioBlog.

Calvário

Segundo informações já veiculadas pelo RádioBlog, uma das novas e bombásticas revelações de Livânia Farias em delação ao Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB), se referem a agentes públicos e contratos no Detran. A expectativa é de que nos próximos dias a Paraíba tenha acesso detalhadamente às informações prestadas pela ex-secretária, presa na Operação Calvário e que atualmente cumpre medidas cautelares.

Informações extraoficiais indicam que, em sua última sessão de delação, a ex-secretária Livânia Farias teria entregado um esquema de propinas no Detran, além de envolver parentes próximos de figurões do Estado. O caso envolveria a contratação de empresas de forma irregular e ao arrepio da legislação e contra orientação do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).

Ainda de acordo com informações, Livânia não teria acesso direto ao esquema do Detran, haveria outros “operadores qualificados para tocar as operações”.

Continue Lendo

Paraíba

Deputado estadual é assaltado por dupla armada em João Pessoa

Publicado

em

O deputado estadual da Paraíba, Raniery Paulino (MDB), foi assaltado dois homens, um deles armado, na manhã desta terça-feira, no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa, próximo à sua residência. Segundo informações repassadas pelo deputado em um vídeo publicado por ele em seu perfil em uma rede social, o assaltante apontou a arma e roubou seu aparelho celular.

Ainda segundo informações repassadas pelo gabinete do deputado, Raniery Paulino registrou a ocorrência na 10ª Delegacia Distrital (DD) de João Pessoa, no bairro de Tambaú. O deputado informou ao gabinete que não poderia comparecer aos trabalhos da manhã desta terça em decorrência do registro do crime do qual foi vítima. Sua ausência foi justificada por isso, de acordo com o gabinete.

Ainda conforme o gabinete de Raniery Paulino, o celular do deputado tinha sido localizado por meio do GPS, mas não houve confirmação se o aparelho foi recuperado.

A Polícia Militar informou, por sua vez, que houve registro de assalto no Miramar, mas a princípio não tem relação.

Continue Lendo

Brasil

Lauro Jardim: Suposto nepotismo da senadora Daniella Ribeiro repercute na imprensa nacional

Publicado

em

Daniella Ribeiro, suplente da Comissão de Relações Exteriores no Senado, não terá condições de apontar o dedo para Eduardo Bolsonaro, caso ela seja contra a indicação do 03. Pelo menos, não por nepotismo.

Estão lotadas no gabinete da senadora duas primas dela: Maria Luíza Farias, com salário de R$ 21 mil; e Alina Barboza, que recebe R$ 10,7 mil. Mas não só, destaca publicação na coluna do jornalista Lauro Jardim, de O Globo.

Alina é mãe de Marina Galdêncio, outra familiar beneficiada com uma vaguinha, de R$ 20,8 mil, arranjada pela parlamentar.

Somados os salários da parentada da senadora, eleita pelo PP da Paraíba, chegam a R$ 630 mil por ano.

Continue Lendo