Nos acompanhe

Negócios

Busca por sustentabilidade melhora técnicas de exames de imagens

Publicado

em

A inovação é o principal aliado na melhoria de processos para tornar o setor de saúde mais sustentável e eficiente. Novas tecnologias permitem a redução de resíduos gerados, além de garantir mais agilidade e eficiência no resultado de exames de imagem. Considerando a estimativa de que 1% a 3% de todo o lixo e resíduos produzidos originam-se de unidades de saúde, a práticas sustentáveis são temas cada vez mais presentes na gestão e prestação de serviços nestes locais.
No segmento, sustentabilidade significa adotar materiais, métodos e ações eficientes que causem o mínimo impacto sobre o meio ambiente. Nos centros hospitalares e demais unidades de saúde, o setor de radiologia e diagnóstico por imagem é um potencial gerador de resíduos tóxicos ao homem e ao meio ambiente.
Tal fato ocorre, particularmente, na prática da radiologia convencional, que exige a utilização de soluções químicas nocivas e não biodegradáveis para as etapas de revelação, lavagem e fixação radiográficas. Além disso, a própria película radiográfica, na qual é impresso o exame, causa danos ao meio ambiente quando descartados irregularmente, uma vez que possui plástico (acetato) e metal pesado (prata) em sua composição. Assim, os filmes radiográficos e os agentes químicos usados no processo de revelação não podem ser descartados em lixo comum, e exigem a execução de um processo específico de descarte de material, no intuito de se reduzir o impacto no meio ambiente.
“Em busca de reduzir resíduos e garantir mais eficiência, o setor buscou desenvolver soluções que minimizam os efeitos do processo, além de reformulação de processos até então executados. Devido aos avanços tecnológicos, hoje é possível processar os tradicionais exames radiográficos através de computadores, tornando a imagem digital”, explica a gestora da Dimpi Gestão em Saúde, Claudia Camisão.
Na radiologia digital, o filme convencional é substituído pela “placa de imagem”, sensível aos raios-x e lida por um equipamento moderno de computação, que gera uma imagem digital de alta resolução. A placa de imagem ou plate é reutilizável e pode ter vida útil de até 6.000 exames, ou seja, uma única placa é capaz de impedir a circulação de milhares de películas radiográficas. Além de abolir os produtos químicos, o plástico e o metal pesado que compõem o processo da radiologia convencional, a qualidade técnica da imagem adquirida através da radiologia digital é superior, aumentando a sensibilidade do exame e reduzindo a necessidade de repetições e a exposição à radiação ionizante inerente ao método.
 “Entendemos a importância do tema e incorporamos a sustentabilidade nas rotinas, práticas e processos. A modernização de serviços de radiologia e diagnóstico por imagem é fundamental para a redução da produção de resíduos gerados por unidades de saúde e tem sido preconizada em todos os projetos aos quais a empresa se envolve”, acrescenta Claudia.
Ao longo dos anos, a Dimpi protagonizou a “digitalização” e modernização de diversos setores de radiologia e diagnóstico por imagem, oferecendo maior qualidade de imagem, mais agilidade na realização do exame e, é claro, maior responsabilidade ambiental.

Continue Lendo

Negócios

Prefeitura e Energisa assinam termo para redução de conta de luz para famílias de baixa renda

Publicado

em

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), assinou termo de cooperação com a Energisa, nesta sexta-feira (6), para implementação de medidas que visam o cadastramento de famílias de baixa renda que possuem direito a fazer parte da Tarifa Verde, com redução de até 65% na conta de energia elétrica.

Para Diego Tavares, secretário da pasta, a parceria é extremamente importante, se somando aos programas que a prefeitura já realiza para pessoas de baixa renda. “A prefeitura tem avançado cada vez mais na política de assistência social e, neste momento, unimos forças com a Energisa para dar a oportunidade de terem uma conta de luz mais barata, melhores lâmpadas e quem sabe uma nova geladeira. Temos a perspectiva de que aproximadamente 30 mil famílias têm direito ao desconto e ainda não sabem disto, portanto, queremos ajudá-las a ter conhecimento deste benefício”, completou.

A parceria terá ação prática com equipes da Energisa em regiões de vulnerabilidade social da Capital realizando entrevistas e preenchendo fomulário do CadÚnico, como explicado por Carla Petrucci, especialista em eficiência energética da Energisa. “Nos deparamos em algumas comunidades que o cliente está dentro do critério mas não está cadastrado no CadÚnico, o que faz com que ele não receba o benefício do desconto na conta de luz. Avaliando essa necessidade, nós propomos este acordo. Como já estamos lá, faremos o cadastramento onde o cliente pode ter desconto de até 65% na conta de luz dependendo da faixa de consumo”, informou.

CadÚnico – O Cadastro Único é um conjunto de informações sobre as famílias brasileiras em situação de pobreza e extrema pobreza. Essas informações são utilizadas pelo Governo Federal, pelos Estados e pelos municípios para implementação de políticas públicas capazes de promover a melhoria da vida dessas famílias. Em João Pessoa, o cadastro pode ser feito no prédio do CadÚnico na Rua Coronel Benevenuto Gonçalves da Costa, S/N, Mangabeira II.

Continue Lendo

Negócios

Salários incompatíveis: Coren pede impugnação em dois concursos na PB e defende remuneração justa

Publicado

em

O Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren PB) ingressou com dois pedidos de impugnação de concursos públicos no último dia 21. Os editais impugnados são dos municípios de Gurinhém e Pirpirituba. Ambos apresentam remunerações incondizentes com as atividades dos profissionais de Enfermagem.

Para a presidente do Coren, Dra. Renata Ramalho, “é preciso que os gestores compreendam que enfermeiras e enfermeiros assumem cada dia mais um papel de protagonismo na identificação das necessidades de cuidado da população, bem como na promoção e proteção da saúde dos indivíduos”. “Estes profissionais estão cuidando de vidas humanas e é preciso que as remunerações sejam compatíveis com o trabalho que é feito”, reiterou.

No município de Gurinhém o Edital nº 001/2019 estipula o salário de R$ 980,00 para Técnicos de Enfermagem. Já o Código de Ética da profissão diz no Art. 62º, seção IV, que todo profissional deve: “Receber salários ou honorários compatíveis com o nível de formação profissional, jornada de trabalho, a complexidade das ações e responsabilidade pelo exercício profissional”. Para a presidente, Renata Ramalho, o salário oferecido pelo Executivo municipal “desvaloriza a profissão de Técnico de Enfermagem e não condiz com o cargo”.

Em Pirpirituba, o Edital do Concurso Público nº 001/2019 foi impugnado por apresentar remuneração rigorosamente igual para técnicos de enfermagem e enfermeiros, sendo a mesma de R$ 998,00. Em Ofício encaminhado a Prefeitura de Pirpirituba, o Coren PB destaca a incompatibilidade dos salários iguais para cargos com exigências e qualificações diferentes, sendo um de nível médio e outro de nível superior.

Em ambos os casos a presidente solicitou aos gestores que façam a retificação dos editais, garantindo uma remuneração justa para os profissionais de enfermagem.

Entenda as diferenças

Enfermeiro – O enfermeiro precisa ter realizado o bacharelado em Enfermagem, em uma graduação que dura cinco anos. O campo de atuação desse profissional é o mais amplo.

Ele atua em todos os níveis de atendimento, inclusive nos casos de maior complexidade e gravidade clínica. É o enfermeiro, ao lado do médico, quem presta os cuidados necessários ao paciente. Ele está capacitado para tomar decisões imediatas nessas situações de emergência. Também trabalha como responsável para organização e direção dos serviços de Enfermagem e supervisão de técnicos e auxiliares.

O profissional tem uma atuação ampla em diversas áreas: hospitais, unidades básicas de saúde, em empresas (como enfermeiro do trabalho), ambulatórios, creches, escolas entre outros.

Técnico em Enfermagem – O técnico de Enfermagem é um profissional com certificado profissionalizante que faz parte da equipe de Enfermagem. O curso técnico pode durar de três a quatro semestres. Atua em grau auxiliar de cuidados ao paciente, sempre com a supervisão do enfermeiro, que coordena as ações.

Ele é capacitado a fazer procedimentos de cuidados em pacientes em casos de média e alta complexidade. Atendimentos de pacientes em pré e pós-operatório são funções do técnico. Mas não está restrito a isso. Ele trabalha também em clínicas de tratamento intensivo e centros cirúrgicos. Se supervisionados pelo enfermeiro, pode atender casos mais graves nas instalações de saúde.

Auxiliar de Enfermagem – O auxiliar de Enfermagem trabalha com procedimentos mais simples em setores ambulatoriais. O curso tem duração média entre um ano e meio e dois anos. Atuam em diferentes ambientes de saúde executando ações de menor complexidade e de ordem repetitiva, também sob supervisão do enfermeiro.

É capacitado a higienizar pacientes, esterilizar equipamentos de trabalho, fazer curativos, aplicar vacinas e administrar medicamentos, sempre em casos com baixa gravidade.

Continue Lendo

Negócios

Governo vai comprar produtos da agricultura familiar para 15 hospitais do Estado

Publicado

em

O Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), vai adquirir, a partir de 2020, produtos da agricultura familiar para abastecimento de 15 hospitais da rede estadual de saúde. O anúncio foi feito pelo secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, e pela secretária executiva de Economia Solidária (Sesol), Roseana Meira, durante reunião, na manhã desta quinta-feira (5), com representantes de 22 cooperativas pertencentes à União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes-PB).

Na ocasião, o secretário Geraldo Medeiros enfatizou que o Programa de Economia Solidária tem o objetivo de atingir e auxiliar o pequeno produtor no sentido de que tenha meio de comercializar seus produtos. “A garantia da Secretaria Estadual de Saúde, através desse convênio com 15 hospitais estaduais, traz para estes pequenos agricultores e cooperativas, um alento e a segurança de que os seus produtos têm onde ser vendidos. Saímos dessa reunião com a efetivação do convênio que será publicado no início de janeiro, consequentemente garantindo para todo o ano de 2020 a compra da produção dos pequenos produtores que integram essas cooperativas”, afirmou o secretário.

Para a secretária executiva de Economia Solidária, Roseana Meira, a reunião foi um marco importante no processo de articulação junto às cooperativas. “A Sesol cumpre seu papel de facilitador para os empreendimentos poderem comercializar seus produtos sem a interferência de intermediários, atravessadores e que os órgãos adquiram produtos livres de agrotóxicos, e que tenhamos uma garantia ainda maior de segurança alimentar”, afirmou, ressaltando a importância da ação do Governo do Estado em prol do desenvolvimento da economia do Estado. “São recursos que chegam para as cooperativas, para as comunidades, para os produtores vinculados a essas cooperativas, são produtos hortifrutigranjeiros, laticínios, uma diversidade de produtos que movimentam as economias locais”, completou.

Roseana Meira adiantou que, além da articulação com a Secretaria de Estado da Saúde, já está agendada reunião entre as cooperativas e a Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia para nova discussão sobre compras institucionais para as escolas no âmbito do Estado; e ainda com a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária. “É uma ação conjunta, parceira entre o Estado e o Terceiro Setor para que avance do ponto de vista da economia solidária no Estado da Paraíba”, finalizou.

Continue Lendo