Nos acompanhe

Paraíba

Assembleia Legislativa comemora dia do Assistente Social e debate racismo no Brasil

Publicado

em

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta segunda-feira (20), sessão especial para comemorar o dia do Assistente Social, celebrado em 15 de maio. A propositura, de autoria da deputada Cida Ramos (PSB), teve como objetivo debater as conquistas e desafios da categoria, que traz, neste ano, a discussão da questão racial no Brasil.

Para Cida, que é assistente social por formação e professora da área, a atuação desses profissionais representa a defesa e garantia de direitos sociais. “É uma profissão que garante políticas públicas. Então, no momento em que essas políticas estão em processo de ameaça, é importante que se fortaleça essa categoria, encaminhando ao Governo do Estado a realização de concursos públicos para qualificar a ação desses profissionais e garantir a jornada de 30 horas de trabalho, sem redução salarial, que é uma reivindicação nacional, por exemplo”, afirmou a deputada.

A assistente social do Ministério Público Estadual (MPPB), Clodine Azevedo, ressaltou a importância de debater o tema na Assembleia. “Eu acredito que aqui é um espaço de luta da categoria como um todo e, além de dar uma visibilidade, nós entendemos que o Poder Legislativo tem uma grande importância em todo o processo das políticas públicas, aos quais todos os assistentes sociais estão inseridos. Portanto, é um momento de reflexão e de luta. Nós não vamos permitir ou baixar a cabeça por situações adversas que estamos vivenciando”, destacou.

De acordo com a presidente da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), Simone Jordão, o país passa por mudanças, que ameaçam o acesso a direitos sociais fundamentais à população. “Eu agradeço muito a Assembleia por estar aqui hoje com essa categoria tão importante para a vida do povo brasileiro, principalmente a população menos favorecida, que usa os serviços públicos e que precisa diariamente que a gente esteja discutindo essa temática”, declarou.

Já a vereadora de João Pessoa, Sandra Marrocos, comentou as principais reivindicações dos profissionais de Serviço Social. “Precisamos falar sobre o piso de assistente social, que inclusive não tem uma regulamentação ainda e seria boa uma interlocução em nível estadual, dando ferramentas para se trabalhar no município de João Pessoa. Outra questão é a reforma da Previdência e as implicações que causam tanto na profissão, como no público atendido, porque a gente dialoga diretamente com a questão social e, consequentemente, com todas as demandas que vêm das relações sociais e de classe”, pontuou.

Luta contra o racismo

A vice-presidente do Conselho Regional de Serviço Social, Luciana Cantalice, falou sobre a escolha do combate ao racismo como tema na comemoração da categoria deste ano. “É uma discussão sobre o racismo, também com o corte de gênero e de classe, porque nós observamos que hoje a grande maioria dos usuários do serviço social é preto, pobre e mulher, ou seja, os maiores atingidos por essa questão social é essa população. Então, nada mais evidente e justo que a gente combata o racismo, que não é uma questão circunstancial e, sim, estrutural em nosso país”, explicou.

A deputada Cida Ramos também ressaltou a relevância de trazer o debate para a Casa do povo. “É uma questão hoje que nos preocupa muito. Diante de um processo de armamento da população, a gente sabe e os dados indicam que pobre, negro e morador de periferia são as maiores vítimas da violência e do armamento. Então, é algo que também essa Casa precisa se debruçar, pelas mortes dos jovens negros e pela criminalização dessa juventude”, concluiu a parlamentar.

Também participaram da sessão especial a secretária de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), Neide Nunes; a diretora da Secretaria de Formação Política do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência da Paraíba (Sindsprev-PB), Silvana Farias; a vice-chefe do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Fátima Leite; a professora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFPB, Marinalva Conserva; a assistente social do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), Kelly Samara; e o diretor da Associação dos Docentes da UFPB, Marcelo Sitcovsky.

Continue Lendo

Paraíba

Após receber denúncias, deputado fiscaliza Hospital Edson Ramalho e constata irregularidades

Publicado

em

Após receber inúmeras denúncias de pacientes e servidores, o deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL) fiscalizou “in loco” o Hospital Edson Ramalho, em João Pessoa.

Segundo o parlamentar, as irregularidades cometidas pela nova administração da unidade de saúde, apontadas pelos reclamantes, foram constatas. “Casos como perseguição a servidores”, disse. “Ontem, uma servidora que aqui trabalha durante 20 anos, chorou bastante em meu ombro dizendo que havia sido perseguida”, revelou o deputado.

Ainda segundo o deputado Cabo Gilberto Silva, também por perseguição na nova diretoria, vários outros servidores foram perseguidos no Hospital Edson Ramalho. “Espero que o Governo do Estado resolva esses problemas, colocando um profissional da área de saúde para administrar o hospital, assim como fez com a Secretaria de Saúde, onde colocou o Doutor Geraldo, que tem meu respeito”, disse o deputado.

Continue Lendo

Paraíba

Comissão aprova projeto que proíbe o vilipêndio de dogmas e crenças no estado da Paraíba

Publicado

em

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou, nesta terça-feira (17), Projeto de Lei 398/2019, de autoria do deputado estadual Wallber Virgolino (Patriotas), que proíbe o vilipêndio de dogmas e crenças de toda e qualquer religião, sob a forma de sátira, ridicularização e menosprezo, no âmbito do Estado da Paraíba.

Wallber Virgolino explica que a Constituição Federal assegura que todo brasileiro tem o direito de ter uma crença religiosa e, pensando nisso, apresentou a iniciativa no parlamento.

“Peças teatrais, propagandas de TV e rádio, entre outros meios que ridicularizem a figura de Deus, de Jesus, símbolos ou imagens de qualquer outra religião, devem ser proibidas na Paraíba”, disse. “Estamos com nosso mandato empenhado em defender a moral, a família, a religião e bons costumes”, declarou.

Aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, a matéria segue para apreciação e voto no plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba.

Continue Lendo

Paraíba

ALPB aprova projeto que fixa prazo de 30 dias para realização de exames em pacientes com câncer

Publicado

em

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, por unanimidade, na sessão ordinária desta terça-feira (17), projeto de Lei 950/2019, de autoria do deputado Wilson Filho, que estabelece o prazo máximo de espera de 30 dias, nas unidades de saúde do Estado da Paraíba, para a realização de exames clínicos, laboratoriais e complementares por pacientes diagnosticados com câncer.

Wilson Filho lembra que, de acordo com a Constituição Federal, a saúde é direito de todos no país. Neste sentido, o parlamentar ressalta que há grande demanda de procedimentos e intervenções gerando, desta forma, uma “fila de espera”.

Segundo o deputado, muitos pacientes portadores de câncer morrem na Paraíba sem sequer passarem por algum tipo de atendimento na rede pública de saúde. “Estes pacientes necessitam de atendimento com certa celeridade, pois, é comprovado que todos os dias as células malignas do corpo se multiplicam, atacando outros órgãos e sistemas, tornando essencial o tratamento da forma mais célere possível”, justificou Wilson Filho.

Também foi aprovado, por unanimidade, Projeto de Lei 305/2019, de autoria do presidente Adriano Galdino, instituindo a Semana Estadual de Enfrentamento à Tríplice Epidemia: Dengue, Zika e Chikungunya. O objetivo, segundo Galdino, é conscientizar a sociedade a respeito dos riscos oferecidos pelo mosquito aedes aegypti e intensificar ações voltadas a combatê-lo.

Continue Lendo