Nos acompanhe

Paraíba

Deputado devolve R$ 200 mil à Câmara após abastecer em posto do irmão com dinheiro público

Publicado

em

O deputado federal Wellington Roberto (PR-PB) quitou, no último mês de janeiro, uma devolução de quase R$ 200 mil à Câmara após ter reconhecido uma irregularidade no uso da cota parlamentar.

Por quase seis anos, de outubro de 2009 a junho de 2015, o congressista gastou R$ 198.196,80 da verba indenizatória de seu gabinete abastecendo veículos particulares no posto de combustíveis do irmão e da cunhada, em Campina Grande (PB).

O deputado, que se reelegeu como o terceiro mais votado da Paraíba nas eleições 2018, com 107.465 votos, precisou dividir a devolução à Câmara em 37 parcelas de R$ 5.356,68. A restituição começou em janeiro de 2016 e terminou no mês passado, três anos depois, informa reportagem do Congresso em Foco.

A fraude havia sido descoberta, em junho de 2015, pela Operação Política Supervisionada (OPS), organização informal que fiscaliza a aplicação de recursos públicos no Congresso. A entidade entregou abaixo-assinado à Presidência da Câmara e alertou o próprio deputado Wellington Roberto, que só concordou em devolver os valores ao ser obrigado pela Casa.

O Congresso em Foco procurou o parlamentar, que alegou, via assessoria, que “desconhecia o artigo da portaria” que proíbe tal prática. O Ato da Mesa 43/2009 determina, em seu artigo 4º, parágrafo 13, que “não se admitirá a utilização da Cota para ressarcimento de despesas relativas a bens fornecidos ou serviços prestados por empresa ou entidade da qual o proprietário ou detentor de qualquer participação seja o deputado ou parente seu até o terceiro grau”, o que inclui o irmão.

Em dezembro de 2015, Wellington Roberto protagonizou um incidente que, gravado em vídeo, alcançou 5 milhões de visualizações ao ser noticiado pelo Congresso em Foco. Durante uma reunião do Conselho de Ética para discutir o processo de cassação do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – preso pela Operação Lava Jato em Curitiba há mais de dois anos –, o congressista paraibano trocou ofensas e tapas com o colega Zé Geraldo (PT-PA).

Continue Lendo

Paraíba

Calvário: “João administra um governo ilegítimo e precisa renunciar”, diz Wallber Virgolino

Publicado

em

Questionado pela imprensa a respeito da última fase da Operação Calvário, que chegou à Assembleia Legislativa apontando possível envolvimento da deputada estadual Estela Bezerra (PSB), o deputado Wallber Virgolino (Patriotas) utilizou de provérbio bíblico. “A sagrada escritura já previa, não há nada oculto que não venha a ser revelado, e nada escondido que não venha  a ser conhecido e trazido à luz. Lucas 8:17”, disse o deputado.

Segundo Wallber,  a calvário está servindo, além de passar a Paraíba a limpo, derrubar todas as máscaras. “A Calvário chegou a ALPB, mas por tudo que presenciamos ao longo desses anos, não restará pedra sobre pedra”, disse. “Todos os poderes estão contaminados pela política criminosa implantada pela gestão socialista. Não existe mais dúvidas que toda a gestão se contaminou, inclusive a gestão de João”, afirmou.

Wallber Virgolino defendeu a renúncia de João Azevedo. “Particularmente, acho que João já deve pensar em uma saída honrosa, como a renúncia espontânea, antes que.  o GAECO o convide a se retirar do governo, sugeriu Wallber. “João administra um governo ilegítimo conquistado ao custo de sangue e lágrimas do povo paraibano”, completou.

Continue Lendo

Paraíba

“Peladões” surpreendem e fazem intervenção na entrada da Reitoria da UFPB, em João Pessoa

Publicado

em

Confira o vídeo: Uma intervenção cultural ocorre nesta quinta-feira (17) na entrada da Reitoria da Universidade Federal da Paraíba. Pelados e cobertos de lama, artistas deitaram no chão da Reitoria e todos que passam pelo local são obrigados a caminhar pelos “pelados”. A intervenção, chamada “Corpo Híbrido”, faz parte da programação do 23º Encontro Nacional dos Estudantes de Arte (Enearte).

O evento teve início no último domingo (13) e segue até o próximo domingo (20).

A programação inclui performances, intervenções e instalações artísticas, apresentações musicais, oficinas e minicursos. O ato desta quinta-feira foi protagonizado por dois estudantes do curso de dança da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Vitória Albuquerque e Marcos Moraes são os responsáveis pela performance, que durou cerca de 40 minutos.

A intenção foi levar à reflexão sobre as construções corporais que são impostas pela sociedade e acabam precisando se moldar, enrijecer ou padronizar sua presença.

Continue Lendo

Paraíba

Juiz da Vara da Família proíbe Ricardo Coutinho de deixar o país com filho de Pâmela Bório

Publicado

em

Decisão do juiz da 1ª Vara da Família de João Pessoa, Antônio Amaral, no processo número 0002022-78.2019.815.2004, proíbe o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) de deixar o país em companhia do filho, que teve com a ex-primeira-dama, Pâmela Bório.

O magistrado acatou os argumentos da mãe da criança, que indicava perigo de não retorno do filho. Para a viagem, Coutinho apresentou na Vara da Infância de João Pessoa roteiro de eventos que participará, na Espanha, enquanto representante da Fundação João Mangabeira, ligada ao PSB. A viagem ocorreria entre os dias 22 deste mês e 4 de novembro.

Além do filho que teve com Pâmela, embarcariam a atual mulher do ex-governador, Amanda Rodrigues, e os dois filhos dela, enteados de Ricardo.

Desde os últimos dias, são fortes os rumores de que Ricardo Coutinho deixaria o Brasil diante dos recentes desdobramentos da Operação Calvário.

Em contato com a imprensa, o deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL), informou que diante das revelações criminosas trazidas à tona através das investigações do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco), que revelou fortes esquemas de corrupção e desvio de recursos públicos da Saúde e Educação nos governos de Ricardo Coutinho, irá solicitar à justiça a retenção dos passaportes do ex-governador, para que mesmo sem a companhia do filho Ricardo não possa deixar o país.

Continue Lendo