Nos acompanhe

Negócios

Alexa – Noções básicas de SEO: os 8 principais erros que os novatos cometem

Publicado

em

ALEXA – Erros de SEO podem ser fáceis de fazer, especialmente quando você está apenas começando – seja como um novo SEO, ou como um negócio incipiente.

Por estar ciente das armadilhas específicas que as novas empresas e estreantes de SEO podem ter ao tentar otimizar seu site e seu conteúdo, você pode evitar os erros e descuidos mais comuns, implementar as melhores práticas e acelerar o sucesso da sua visibilidade de pesquisa, destaca publicação da Search Engine Watch.

Aqui estão oito erros que você deve evitar:

1) Não iniciar o SEO mais cedo

As empresas podem (e muitas vezes fazem) investir anos criando conteúdo atraente que é exatamente o que o público-alvo está procurando. No entanto, mesmo o melhor conteúdo não será muito útil se o público-alvo não conseguir encontrá-lo ou não souber que ele existe.

Engajar-se em SEO para garantir que o conteúdo seja visível e proeminente – não está embaixo de outros resultados de pesquisa – pode ser tão importante para o sucesso quanto o próprio conteúdo. As empresas menores, em particular, tendem a priorizar a criação de conteúdo sobre a estratégia de SEO, mas as duas realmente precisam andar de mãos dadas. A melhor época para começar o SEO é mais cedo do que muitas empresas pensam.

2) Não escolher palavras-chave de baixa concorrência

Websites emergentes provavelmente não terão tração suficiente para obter rankings de busca elevados em termos competitivos. Espere que isso permaneça verdadeiro por algum tempo, mesmo seguindo todas as melhores práticas do livro; Começar em qualquer novo empreendimento significa trabalhar o seu caminho, e isso certamente soa verdadeiro para SEO.

Infelizmente, muitas novas empresas cometem o erro de se concentrar exclusivamente em palavras-chave de alta concorrência fora do portão e não conseguem alcançar resultados, na medida em que eles se classificam em resultados.

Uma estratégia melhor é começar encontrando e focando em palavras-chave de baixa concorrência . Fazê-lo torna mais viável subir os rankings e aumentar o tráfego e a reputação do site. Isso, por sua vez e com pouco tempo, ajudará a aumentar o sucesso das palavras-chave mais competitivas.

3) Não entender o público e sua intenção de pesquisa

Há um equívoco que o sucesso de SEO é sobre enganar os algoritmos. Na realidade, a melhor prática de SEO mais importante é criar conteúdo que seja atraente para o seu público.

Qualquer tática que atenda às necessidades dos mecanismos de busca deve ficar em segundo lugar – e, em muitos casos, as práticas que satisfazem os buscadores e os mecanismos de pesquisa são as mesmas. A chave é entender a intenção de pesquisa do seu público : o que as pessoas estão tentando realizar quando pesquisam em determinados termos? Eles podem querer informações, ou encontrar ou comprar algo específico.

Quando o conteúdo das suas páginas da Web cumpre essa intenção de pesquisa, tanto o público quanto os mecanismos de pesquisa recompensarão seu site. O que é bom para o público é quase sempre o que é bom para os algoritmos.

4) Segmentação de termos de pesquisa gerais em vez da cauda longa

Os iniciantes em SEO podem acreditar que o foco em termos de pesquisa ampla e básica é o lugar natural para começar. Por outro lado, termos de cauda longa mais específicos e detalhados geralmente se revelam muito mais vantajosos.

Quando alguém insere um termo amplo em seu mecanismo de busca de escolha, algumas suposições podem ser feitas.

Primeiro, eles provavelmente estão no início do processo de aprender sobre um assunto sobre o qual eles ainda não têm muito conhecimento. Dois, mesmo que os termos estejam claramente relacionados a um produto ou serviço específico, esses usuários muitas vezes ainda não estão prontos para fazer uma compra.

Além disso, termos de pesquisa ampla geralmente são palavras-chave de alta concorrência, conforme discutido acima. As páginas de resultados de mecanismos de pesquisa para termos gerais também tendem a ter mais anúncios na parte superior, reduzindo as listagens orgânicas (geralmente tornando-as menos valiosas como conseqüência).

5) Esquecendo os detalhes da página da Web “sob o capô”

Para muitos iniciantes em SEO, pode ser muito fácil esquecer os detalhes de aprimoramento de SEO que devem ser adicionados a todas as páginas da Web em seu site – títulos de páginas, meta descrições, nomes de arquivos de imagem e texto alternativo, URLs etc. porque eles não são visíveis na superfície do seu conteúdo.

No entanto, esses elementos são essenciais para modelar como os mecanismos de pesquisa – e, portanto, o público que você está procurando – visualizam suas páginas. A tag de título, slug (URL da página) e meta descrição para uma página da Web controlam o texto que é exibido em uma página de resultados do mecanismo de pesquisa e quando compartilhado na mídia social.

Embora invisível nas próprias páginas, este texto serve como um tipo de anúncio para o seu site onde ele aparece. Os iniciantes em SEO também não devem ser tímidos com testes contínuos para determinar qual texto produz as melhores taxas de cliques.

6) Pensar que o preenchimento de palavras-chave ajudará
Recheio de palavras-chave é a prática de usar tantas palavras-chave quanto possível em uma página para ganhar favor com os motores de busca. O resultado é um conteúdo inadequado que cria uma experiência ruim para o usuário.

Embora muitos iniciantes achem que o recheio de palavras-chave será um atalho para o ranking, os mecanismos de pesquisa desaprovam essa prática. Os algoritmos são espertos demais para serem enganados por palavras-chave, e os mecanismos de busca estão cada vez mais encontrando e penalizando sites que tentam fazê-lo.

Mais uma vez, a produção de conteúdo que legitimamente satisfaz a intenção de pesquisa de uma audiência é a melhor e mais bem sucedida técnica de SEO.

7) Esquecendo de construir links internos

Uma vez que você tenha conseguido trazer alguém para o seu site, você quer mantê-lo lá – tanto para SEO quanto, é claro, para seus propósitos comerciais. Ofereça ao seu público fácil acesso a outras partes do conteúdo que fluem logicamente da página em que estão.

8) Não medir resultados

Por fim, os recém-chegados de SEO têm maior probabilidade de implementar novas práticas sem rastrear corretamente os resultados para informar se são eficazes ou não. O SEO é um empreendimento altamente orientado a dados, e as ferramentas de análise para acompanhar o sucesso de SEO estão prontamente disponíveis e precisam ser usadas desde o início.

Continue Lendo

Negócios

Paraíba tem representante na Comissão Nacional de Advocacia Municipalista

Publicado

em

A Paraíba terá cadeira na Comissão Especial de Advocacia Municipalista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O presidente da Associação Paraibana da Advocacia Municipalista (APAM), o advogado Marco Villar, será o secretário-adjunto desse colegiado que nasce com o objetivo de fortalecer ainda mais a advocacia municipalista. A comissão tem como presidente o conselheiro federal pelo Ceará, André Costa e é composta por quatro diretores e mais 11 membros titulares, além de membros consultores.

A criação da Comissão Especial de Advocacia Municipalista foi uma reivindicação da Paraíba, primeiro Estado a formar entidade representativa para defender os juristas que atuam junto aos municípios. “Ficamos muito felizes com a ampliação da nossa luta. Agora temos representatividade nacional para lutar em defesa desses pais e mães de família”, destacou Marco Villar. Ele agradeceu ainda o empenho do presidente da OAB nacional, Felipe Santa Cruz, da OAB-PB, Paulo Maia e do secretário-geral do Conselho Federal da OAB, Alberto Simonetti, pelo empenho para que a comissão virasse realidade.

A Comissão terá, dentre outras, as finalidades de defender a constitucionalidade, a legalidade, a dignidade e a valorização do exercício da advocacia privada municipal; estabelecer relações institucionais com os órgãos dos Tribunais de Contas, do Ministério Público e do Poder Judiciário; promover o diálogo e o apoio às comissões das Seccionais da OAB que atuam em defesa e promoção dos direitos da advocacia privada municipal; propor medidas necessárias ao aperfeiçoamento profissional da advocacia privada municipalista.

Também são suas atribuições acompanhar as propostas legislativas e as decisões judiciais de interferem na atuação profissional da categoria dos advogados privados municipais; e representar a OAB Nacional em eventos institucionais, acadêmicos e profissionais que tenham como foco a atuação da advocacia privada municipal e os temas inerentes ao direito municipal.

Para o conselheiro federal André Costa, a criação da Comissão Especial de Advogados Municipalistas e a sua designação para exercer a Presidência é “o reconhecimento da Diretoria da OAB Nacional que é possível construir um diálogo franco, aberto e democrático e uma pauta comum entre os representantes da advocacia privada que atua no âmbito municipal e os representantes das entidades e das comissões que defendem os procuradores municipais e a advocacia pública, buscando evitar que os interesses de qualquer dessas categorias resultem na criminalização da advocacia e de suas prerrogativas”.

Continue Lendo

Negócios

Franquias criam modelos mais econômicos para atrair novos investidores

Publicado

em

Para continuar crescendo diante do cenário atual brasileiro, algumas redes de franquias resolveram inovar e, de olho em novos mercados e empreendedores com menos recursos, investiram em uma estratégia que tem repercutido muito bem: o lançamento de modelos mais enxutos. Segundo dados da ABF -Associação Brasileira de Franchising-, o número de microfranquias cresceu 8% no último ano, reflexo, principalmente, das franquias que passaram a investir em novos negócios e se tornaram ‘mistas’, ou seja, redes de grande porte que incluíram outras opções ao negócio da rede, mais acessíveis e viáveis ao bolso do empreendedor.

É o caso da Boali, que quer universalizar o acesso a alimentação saudável. A rede acrescentou dois modelos de negócios com valores mais enxutos -entre R$ 60 mil e R$ 150 mil-, com operação delivery e quiosque, respectivamente. Para Rodrigo Barros, CEO da Boali, “a rede quer diversificar seus canais de vendas atraindo novos parceiros dispostos a universalizar o acesso à boa alimentação por um preço módico e, assim, chegar a 80 unidades até o final de 2020”.

Outra rede tradicional do segmento é a Casa de Bolos, pioneira no segmento de bolos caseiros. Com o objetivo de crescer ‘dentro de casa’ -através dos próprios franqueados-, a rede criou o modelo chamado Quiosque do Bolo Caseiro no Pote, com investimento de R$ 99 mil e com foco exclusivo em centros comerciais.  “Temos o intuito de tornar nossas lojas uma extensão da casa do consumidor e com o desejo de nossos bolos estarem presentes na vida das famílias brasileiras como uma ferramenta para unir pessoas. Quando tudo isso é abraçado pelo franqueado, temos então mais um embaixador da marca, que propaga o conceito e cresce com ela”, explica Rafael Ramos, diretor de marketing do Grupo Casa de Bolos.

Já no segmento de educação, quem inovou foi a Park Idiomas. Criada em 1996 e no franchising desde 2000, a rede nasceu em Uberlândia já com a proposta de ser diferente em essência, tornando o aprendizado mais natural e eficaz. E conseguiu! Com o intuito de trazer o aluno para situações do dia a dia, lançaram recentemente o primeiro quiosque de escolas de idiomas do Brasil. O modelo custa a partir de R$ 75 mil, tem 22m² e cinco salas de aula, capaz de atender até 150 alunos, com uma média de dois por turma.

E se crise assusta, também pode se tornar sinônimo de oportunidade. Neste caso, algumas redes optaram por lançar modelos móveis ao invés de unidades físicas, como fez o Brechó Agora é Meu quando criou a BrechóBag. A inovação dispensa investimentos com infraestrutura, mobiliário e aluguel e é a oportunidade para quem quer empreender gastando pouco. A franquia custa R$ 5,9 mil e o franqueado recebe uma mala personalizada com capacidade para 100 peças.“É a evolução do modelo de venda porta a porta, antes só feita através de catálogos. O objetivo do novo formato da rede de franquias é democratizar o acesso às peças conceituais, chegando ao máximo de pessoas”, explica Siomara Leite, diretora da rede.

 

Continue Lendo

Negócios

FINCC 2019 recebe caravanas empresarias de todo o País

Publicado

em

Soluções criativas, valor artístico agregado, caminhos acessíveis – bem dosados, esses ingredientes podem fazer qualquer negócio crescer e ganhar mercado. Esse é o objetivo da Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos (Fincc), que reúne empresários e empreendedores de diversos segmentos, de 25 a 28 de setembro, no Espaço Cultural, em João Pessoa. Além da participação de 90 expositores de todos os estados do Nordeste, a feira conta ainda com caravanas empresariais de várias regiões do país. Para o evento, Sebrae Pernambuco, Uberlândia e Sergipe já confirmaram caravanas diárias. “O que motiva a participação de empreendedores e empresários é a proposta inovadora e as oportunidades que a feira oferece, além da programação de palestras com profissionais nacionais e internacionais, o que agrega valor ao evento”, conta Regina Amorim, gestora de Turismo do Sebrae Paraíba.

Segundo ela, as novas economias são o caminho para os negócios no século XXI, por serem uma forma de pensar e fazer negócios que começa por uma boa ideia, em vez de pelo capital financeiro. “Trabalhada de forma criativa, colaborativa e sustentável, essa ideia se transforma em ativo econômico e recurso para o surgimento de negócios duradouros e para estimular modelos inovadores, que desenvolvam a economia criativa”, detalha.

A evento é uma promoção do Sebrae Paraíba, em parceria com escritórios regionais do Sebrae no Nordeste, e com o apoio do Governo da Paraíba e da Prefeitura Municipal de João Pessoa.

Oportunidade – A Fincc também terá palestras, oficinas e espaços para exposição e venda de produtos relacionados a segmentos da economia criativa. O networking será promovido durante os Coquetéis de Networking, que deverão aproximar profissionais de áreas afins, e o Pitch com Café, no qual os empreendedores poderão apresentar, durante cinco minutos, seus produtos para investidores, patrocinadores e aceleradoras. Paralelamente, também serão realizadas palestras, oficinas, mentoria e rodadas de negócios.

 

Serviço:

Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos

Data: 25 a 28 de setembro de 2019

Horário: 14h às 21h

Local: Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa

Continue Lendo