Nos acompanhe

Negócios

Centro de inovação abre inscrições para curso sobre Data Science

Publicado

em

Todos os dias estima-se que 2,5 quintilhões de bytes de informação são gerados no mundo digital. E este número só tende a crescer com a popularidade das redes sociais e o advento de novas tecnologias, sobretudo os smartphones, wearables e objetos conectados. É importante observar que de todos os dados gerados até hoje, 90% foram computados somente nos últimos dois anos. O Fórum Econômico Mundial já aponta “dados” como o ativo mais valioso da economia moderna. Diante deste cenário, o CESAR, um dos maiores centros de inovação do Brasil, abre inscrições para um curso de extensão em Data Science, que tem como objetivo desenvolver as habilidades necessárias para que profissionais possam extrair valores dos dados, além de insights que impactem em seus resultados.

“A tecnologia avança de forma rápida e os dados gerados por ela também. É uma nova moeda, o novo petróleo”, explica Victor Nogales, Gerente de Negócios do CESAR. “E o Data Science é o mecanismo para criar valor a partir dela”, completa. Não é à toa que empresas como a Alphabet (mãe da Google), Amazon, Apple, Facebook e Microsoft, cujos modelos de negócios estão baseados na captura e análise de informação, estão entre as organizações listadas como as mais valiosas no mundo.

“A proposta do curso é fazer com que os participantes conheçam os aspectos relevantes do Data Science e do Big Data para que, ao final, estejam aptos para analisarem grandes massa de dados e extraírem informação valiosa”, continua Nogales. “Estamos sendo constantemente procurados por empresas locais e nacionais em busca de profissionais qualificados nas tecnologias do Data Science”, esclarece.

O público-alvo da capacitação é formado por pessoas com interesse em coleta, armazenamento e processamento de dados de larga escala – entre eles engenheiros de software, arquitetos de soluções e analistas de infraestrutura de dados. Para participar não é exigida graduação, apenas experiência na área.

 

Vivenciando problemas reais

Outro diferencial do curso de Data Science do CESAR é a parceria com a empresa In Loco Media, que desenvolveu uma solução inédita para localização em ambientes fechados. A partir desta tecnologia, se pode determinar a intenção do consumidor, os locais que visitou e oferecer publicidade de forma mais assertiva.

“A tecnologia de geolocalização desenvolvida pela In Loco Media gera um volume gigante de dados sobre o comportamento humano. A partir desses terabytes de informação, os alunos do curso de Data Science poderão colocar a mão na massa e cultivar uma percepção mais aprofundada sobre o universo da análise e extração de dados”, conclui Alan Gomes, VP de Engenharia da In Loco Media.

É o time diversificado e multidisciplinar surgido desta parceria que, em conjunto, vai ministrar o curso e levar problemas reais de ambas as organizações – CESAR e In Loco – para dentro da sala de aula. “Vamos trabalhar na formação deste profissional baseado em problemas. O Data Science hoje é crucial para o sucesso de um negócio e precisamos especializar profissionais para este mercado em extrema ascensão”, finaliza Nogales.

Atualmente, o CESAR é o único centro de pesquisa no país com mestrados profissionais em Design e Engenharia de Software – este último considerado o melhor do país na categoria Ciência da Computação de acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Além disso a instituição possui cursos presenciais e online na área de TIC, e a partir de 2018 também oferecerá dois cursos de graduação, sempre seguindo a metodologia Problem Based Learning.

 

Continue Lendo

Negócios

PMJP cria Comissão de Estudos para Flexibilização e dialoga com representantes do setor produtivo

Publicado

em

Planejando os passos seguintes no enfrentamento à crise provocada pelo novo Coronavírus, a Prefeitura de João Pessoa criou a Comissão de Estudos para a Flexibilização, que vem se reunindo com representantes do setor produtivo no sentido de debater e receber propostas para o momento em que houver segurança para o retorno gradual às atividades econômicas. Por uma determinação do prefeito Luciano Cartaxo, representantes do poder executivo municipal participam de reuniões de trabalho desde a quarta-feira (03), encerrando o ciclo inicial de diálogo na segunda-feira (08). As conferências servirão como base para o planejamento municipal de flexibilização, construído a partir de critérios sanitários, sociais e econômicos.

Entre os segmentos já ouvidos estão a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-JP), a Fecomercio-PB, a Associação Comercial da Paraíba, a Abrasel-PB, o Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa (SEHA-JP) e representantes de shoppings centers. Apenas nesta sexta-feira (05), a Comissão se reuniu com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros no Município de João Pessoa (Sintur-JP), com o Sinduscon, além de entidades que representam os profissionais liberais, a exemplo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Sescon-PB, Sinapro, Creci, CAU, CRA, CREA, CRC, Corecon e Abap.

“Os resultados que precisamos alcançar nos próximos dias serão decisivos para o reinício das atividades econômicas e sociais. Estabelecemos critérios sanitários claros no que diz respeito ao enfrentamento da doença e só vamos flexibilizar quando houver segurança para a população. A Comissão tem o papel de ouvir, colher sugestões e receber indicativos de protocolos previstos por cada entidade, que serão analisados nesta etapa de planejamento da reabertura gradual”, explicou o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo. A reuniões são mediadas por representantes das secretarias de Administração, Finanças, Saúde, Gestão Governamental e Articulação Política, Planejamento, Mobilidade Urbana, Turismo, Trabalho, Produção e Renda e pela Procuradoria-Geral do Município.

*Frente Integrada de Trabalho* – As informações serão analisadas por uma frente integrada de trabalho, que envolve a participação de médicos, epidemiologistas e sanitaristas. Após o recebimento dos dados serão validadas as regras de distanciamento social, higiene e monitoramento da doença, prevendo um protocolo específico para cada setor. O ciclo de flexibilização, em fase de discussão, será gradativo e irá levar em conta o potencial de controle das medidas de prevenção que o retorno de cada atividade pode representar. Critérios como a curva de contaminação da Covid-19, registros de óbitos, taxa de ocupação de leitos de UTI e o cumprimento do isolamento estarão entre os pontos analisados antes do anúncio de qualquer medida de flexibilização.

Continue Lendo

Negócios

Justiça autoriza funcionamento de estabelecimento que vende produtos de limpeza e higiene

Publicado

em

Decisão do juiz Aluízio Bezerra Filho, da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital, autoriza o funcionamento da empresa Dicoplast, que vende produtos de limpeza e higiene pessoal. A parte autora alegou que com base no Decreto Municipal nº 9.481/20, a empresa foi autuada em 20 de maio e determinado seu fechamento por suposta violação a normas de isolamento social. De acordo com o auto de infração, o estabelecimento não poderia funcionar com portas abertas, eis que sua atividade comercial não estaria excetuada no Decreto Municipal nº 9.481/2020.

No Mandado de Segurança  nº 0829971-19.2020.8.15.2001, a empresa afirma que tem sua atuação comercial voltada para venda de materiais de limpeza, higiene pessoal individual e coletiva, sendo, portanto, considerada de natureza essencial em tempos de pandemia, por força dos decretos nº 10.282/2020 da União e nº 40.217/20 do Governo do Estado. Pediu a concessão de medida liminar para, suspendendo os efeitos do auto de infração e interdição, autorizar o seu funcionamento, eis que atua em atividade essencial, respeitando todas as medidas sanitárias, informa publicação do TJPB.

Ao decidir sobre o pedido, o juiz Aluízio Bezerra afirmou que embora o Decreto Municipal nº 9.481/20 não faça menção específica aos estabelecimentos que comercializem produtos de limpeza e higiene, entende que esse setor é essencial para a manutenção da limpeza e higiene das pessoas, sob pena de prejudicar sensivelmente a sanitização de ambientes tão necessária nesse tempo Covid-19, onde a medida mais indicada e eficaz é a higienização. “De modo que a essencialidade da comercialização de produtos de limpeza e higiene pessoal está evidenciada visto que, lavar as mãos, lavar o cabelo, lavar a roupa e lavar o chão, é o único meio que se sabe real para eliminar o vírus”, ressaltou.

Ainda de acordo com o magistrado, o funcionamento do estabelecimento comercial em questão é de interesse de toda a coletividade, que terá mais opções para aquisição de produtos essenciais, proporcionando acesso a itens de higiene e limpeza mais próximos de suas residências, evitando deslocamentos desnecessários e contribuindo para a manutenção estável dos preços.

Ele determinou o funcionamento do estabelecimento, no âmbito do Município de João Pessoa, para a comercialização exclusiva de alimentos, produtos de higiene e limpeza, durante a vigência das medidas restritivas em razão da pandemia do coronavírus, com a adoção de todas as medidas necessárias para resguardar a saúde de seus trabalhadores e clientes, evitando toda e qualquer forma de aglomeração, seja dentro ou fora do estabelecimento. O descumprimento da medida importará em multa diária de R$ 50 mil.

Da decisão cabe recurso.

Confira, aqui, a decisão.

Continue Lendo

Negócios

Empresários decidem manter em circulação 30% da frota de coletivos de Campina Grande por 10 dias

Publicado

em

O prefeito Romero Rodrigues anunciou, no final da tarde desta quinta-feira, 4, que os empresários de transporte urbano de Campina Grande decidiram suspender a paralisação imediata de toda a frota de ônibus do Município. Segundo Romero, o setor vai manter em circulação, pelo menos, 30% dos veículos pelos próximos 10 dias.

A reunião com o sindicato das empresas, o Sitrans, foi conduzida pelo superintendente Félix Neto, de Trânsito e Transportes Públicos de Campina Grande. Félix assegurou que a Prefeitura tem pleno conhecimento dos problemas que se agravaram para as empresas por conta da pandemia, mas apelou, em nome do prefeito, para as responsabilidades inerentes às concessões.

Ficou acertado, na reunião, que será mantido o diálogo entre o Sitrans e a STTP durante esse período de trégua, mas que sempre se manterá como principal norte o interesse público.

Continue Lendo