Nos acompanhe

Brasil

“O homem e a mulher do campo podem ficar tranquilos” garante Aguinaldo Ribeiro

Publicado

em

Assumindo de vez o protagonismo na elaboração do texto completo e substitutivo da reforma da Previdência, que será apresentado nesta quinta-feira (13) na Comissão Especial da Câmara, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, o relator da proposta, deputado Samuel Moreira e os líderes da Casa, incluindo o líder da maioria, deputado paraibano Aguinaldo Ribeiro (Progressitsas), apresentaram os principais pontos de mudança no texto original e que mudam a proposta encaminhada pelo presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com Aguinaldo, uma das principais preocupações é a preservação dos direitos integrais do trabalhador rural. Aguinaldo destacou que quem conhece a realidade do homem e da mulher do campo sabe das adversidades pelas quais eles passam sobretudo os trabalhadores do Nordeste que convivem reiteradas vezes com a seca.

“Para quem conhece a realidade do campo a gente sabe o que é e o quão sofrida é sobretudo no Nordeste brasileiro onde temos um ciclo de seca por reiteradas vezes e a gente sabe a realidade e a expectativa de vida, por isso se colocou a questão da aposentadoria rural e é importante que fique claro que esse acordo passou preliminarmente pela preservação dos direitos do homem e da mulher do campo, segundo a questão do BPC que já havíamos tratado anteriormente e aquela época também já havia sido negociada a retirada do Beneficio da Prestação Continuada” destacou o deputado.

Aguinaldo ainda revelou que o tema da Previdência vem sendo tratado desde dezembro de 2016 e que no início haviam ainda muitas dúvidas a respeito do tema até porque muitos cogitavam a possibilidade de não haver o déficit que posteriormente foi comprovado.

O deputado paraibano também disse acreditar que depois de tantos debates acerca do tema, a população passou a ter uma maior compreensão da necessidade da realização da reforma.

“Nós estamos tratando desse tema desde dezembro de 2016 e naquele instante a gente tinha um ambiente totalmente diferente desse e talvez eu concorde com o presidente Rodrigo Maia que foi aquele ambiente hostil que nós tínhamos sobre a Previdência, com muitas incompreensões e dúvidas porque chegaram a  dizer que sequer haveria déficit e o que se mostrou ao longo do tempo era que era mais que urgente se promover uma reforma da Previdência que pudesse promover o equilíbrio fiscal no país, foi aquele momento que possibilitou que a gente chegasse ate aqui, tivéssemos hoje um outro ambiente, de compreensão de grande parte da sociedade de que é necessário sim, fazer a reforma” disse.

O líder da maioria ainda ressaltou a necessidade de manter na Constituição Federal os direitos sobretudo daqueles que são mais vulneráveis.

“Estamos trabalhando aqui para preservar os vulneráveis, preservando aquele cidadão também que ganha até um salário mínimo que não será atingido por essa reforma” revelou.

Com a  reforma, a economia deve girar em torno de R$ 800 bilhões a R$ 900 bilhões em dez anos.

Confira os pontos que foram retirados e os que serão alterados do texto original:

Retirados:

 – Capitalização
– Benefício de Prestação Continuada
– Aposentadoria rural
– Desconstitucionalização das regras previdenciárias
– Inclusão de estados e municípios

Alterados:

– Regra de transição
– Idade mínima para Professoras

Continue Lendo

Brasil

Vídeo: Paraibana, Raquel Sheherazade diz a Bolsonaro: “Acorda, presidente!”

Publicado

em

Confira o vídeo: A jornalista paraibana, Raquel Sheherazade, se manifestou em vídeo publicado na rede social sobre a polêmica envolvendo declarações agressivas feitas na sexta-feira (19) pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e disparou: “Acorda Presidente!”

 

 

Continue Lendo

Brasil

Colegiado de Presidentes de Assembleias do Nordeste divulga nota sobre polêmica de Jair Bolsonaro

Publicado

em

O Colegiado de Presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste (ParlaNordeste) recebeu, com repulsa, as declarações preconceituosas do presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta sexta-feira, 19 de julho.   A região, terceira maior economia do Brasil, é morada de 53 milhões de brasileiros que têm orgulho de viver não só na Paraíba, mas também, no Maranhão, em Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí.
O ParlaNordeste ressalta o importante trabalho desenvolvido pelos nove governadores eleitos e reeleitos democraticamente pelo povo nordestino, os quais não têm medido esforços para promoverem o desenvolvimento dos seus estados e proporcionarem uma vida digna à população. Por isso, lutaremos contra todo tipo retaliação em função de diferenças políticas ou preconceito. Exigimos respeito e não abriremos mão do cumprimento dos deveres do Governo Federal para com a nossa região.
Othelino Neto – presidente do Parlanordeste (MA)
Adriano Galdino (PB) – vice-presidente do Parlanordeste
José Sarto (CE) – secretário do Parlanordeste
Themístocles Filho (PI)
Luciano Bispo (SE)
Nelson Leal (BA)
Marcelo Vitor (AL)

Continue Lendo

Brasil

Bolsonaro se defende de críticas a declaração sobre o Nordeste

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro tentou se defender neste sábado, 20, das críticas que tem recebido após um áudio vazado mostrar ele falando de forma pejorativa de governadores do Nordeste. O presidente negou ter ofendido os nordestinos e disse que as declarações foram distorcidas. “Falei sobre governadores do Maranhão e da Paraíba, que são intragáveis. Tenho tanta crítica ao Nordeste que casei com a filha de um cearense”, disse a jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada.

Em um café da manhã com correspondentes internacionais, Bolsonaro apareceu dizendo ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”. O governador em questão, Flávio Dino (PCdoB), e outros políticos nordestinos condenaram a declaração em uma carta, destaca publicação da Veja.

Bolsonaro disse que foi “uma crítica em 3 segundos” e que a imprensa “fez uma festa” com a declaração. Questionado sobre se a declaração pode atrapalhar a votação da reforma da Previdência na Câmara, Bolsonaro disse que o Parlamento não “é tão raso” a esse ponto.

“Eles [os governadores do Nordeste] são unidos. Eles têm uma ideologia, perderam as eleições e tentam o tempo todo através da desinformação manipular eleitores nordestinos”, disse o presidente.

Continue Lendo