Nos acompanhe

Negócios

Contratação de pessoas com deficiência bate recorde após fiscalização do Trabalho

Publicado

em

Ações de fiscalização da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia levaram à contratação de 46,9 mil Pessoas com Deficiência (PcD) e reabilitados em 2018, considerando o número de empregados formais (44.782) e aprendizes (2.118). Ao todo, foram 11,4 mil inspeções em todo o país. Os números, tanto de operações quanto de trabalhadores contratados após as inspeções, são recordes desde 2003, quando começou a série histórica.

Em 2017, os fiscais do Trabalho realizaram 9.727 operações, que resultaram na admissão de 37.534 trabalhadores com deficiência, computando os empregados regulares e os aprendizes. Desde 2003, foram contratadas mais de 448 mil pessoas com deficiência e reabilitados em todo o país, em decorrência de operações de fiscais do Trabalho. O recorde anterior de ações e contratações havia acontecido em 2014, quando houve 10.957 inspeções e 42.613 pessoas com deficiência foram incluídas no mercado de trabalho por força da fiscalização.

Durante as ações, os fiscais verificam o cumprimento da lei 8.213/91, conhecida como “Lei de Cotas”. O texto prevê que empresas com mais de 100 funcionários tenham em seu quadro de empregados ao menos 2% de PcDs. O percentual aumenta de acordo com a quantidade de trabalhadores, chegando a 5% para companhias com mais de 1.000 funcionários. Para o serviço público, a lei 8.112, de 1990, determina que sejam reservados até 20% das vagas de concurso público para pessoas com deficiência.
O espaço da pessoa com deficiência nas empresas ainda é pequeno. Dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) mostram que, entre 2011 e 2017, o número de PcD no mercado de trabalho passou de 325.291 para 441.339 – acréscimo de apenas 116 mil pessoas. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que em 2018 o total de trabalhadores nessa condição era de 442.007 pessoas – apenas 668 empregados a mais de um ano para o outro.

Mudança de atitude – Segundo o chefe da Divisão de Fiscalização para Inclusão de Pessoas com Deficiência e Combate à Discriminação no Trabalho, João Paulo Teixeira, muitas vezes o contratante prefere não fazer as adequações necessárias para incluir o trabalhador com deficiência. “É necessária uma mudança de atitude nas empresas, para deixar de enxergar unicamente a deficiência dessas pessoas e passar a identificar seus talentos e capacidades. Por enxergar somente a deficiência, algumas empresas preferem pessoas com deficiência leve, para não haver o esforço de modificar o ambiente de trabalho”, explicou.

Segundo Teixeira, as adaptações de acessibilidade podem gerar um custo, mas precisam ser feitas para atender essa mão de obra, uma vez que o número de pessoas com deficiência leve, com alta capacitação, pode não ser suficiente para preencher 100% das vagas. Essa promoção de um ambiente e instrumentos de trabalho acessíveis é conhecida como esforço de inclusão. “E isso é uma obrigação das empresas, conforme a lei”, destacou.

Acessibilidade – Neste ano, os fiscais do Trabalho vão verificar não apenas o cumprimento da cota mínima de contratações, mas também vão avaliar a acessibilidade nos ambientes de trabalho. “O que constatamos é que muitas vezes as empresas não incluíam por falta de acessibilidade ou, até pior, as empresas contratavam uma pessoa com deficiência, mas não promoviam um espaço laboral adequado”, diz Teixeira. “Já houve casos em que o empregador admitiu uma pessoa com deficiência física, mas a porta do banheiro era estreita e não comportava a largura da cadeira de rodas. Esse funcionário, então, ficava muitas horas sem ir ao banheiro e até mesmo usava fraldas para trabalhar.”

O último Censo Demográfico realizado no Brasil aponta que, em 2010, havia 8.998.671 pessoas entre 18 e 64 anos com deficiências mais severas – número bem superior às 756.125 vagas reservadas por lei para as pessoas com deficiência e reabilitados. “Pessoas com deficiência visual e intelectual, por exemplo, têm grandes dificuldades com a inserção no mercado de trabalho porque demandam mais adaptação do ambiente de trabalho, do processo de trabalho e do instrumento de trabalho. Se não houvesse cotas, será que essas pessoas estariam trabalhando?”, questionou o chefe da Divisão de Fiscalização.

Estados – São Paulo foi a Unidade da Federação que mais contratou Pessoas com Deficiência no país em 2018, com 133.481 trabalhadores. Em seguida, vieram Minas Gerais (45.225), Rio de Janeiro (36.906), Rio Grande do Sul (32.719) e Paraná (30.222).

Os mais escolarizados ocupam a maior parte das oportunidades de emprego. Dos 442.007 PcDs contratados no ano passado, 301.879 tinham ensino médio ou ensino superior (incompleto ou concluído) – equivalente a 68% do total.

Continue Lendo

Negócios

Fórum das Mulheres de Negócios promove campanha “Bebê Solidário”

Publicado

em

No dia 1 de maio, o Fórum das Mulheres de Negócios, que reúne empresárias de todo o Estado, promoverá mais uma ação social. É a campanha “Bebê Solidário”, no Hardman Hotel, a partir das 17h, voltado para associadas e mulheres em geral que queiram ajudar e também conhecer o Fórum.

Além de networking entre as participantes, haverá um momento de conhecimento. A ação contará com a realização de um bate- papo sobre a saúde da mulher com a Dra. Marcela Lucena, fisioterapeuta pélvica especializada em saúde íntima feminina.

No evento, serão arrecadadas doações de fraldas para os filhos das gestantes da Maternidade Frei Damião, em João Pessoa. O investimento para a participação é de R$40.

Para se associar – As integrantes do Fórum das Mulheres de Negócios contam com uma série de benefícios, tais como clube de descontos, cursos e capacitações, palestras mensais, networking, rodada de negócios, trabalhos sociais, entre outros. Para a empresária que deseja fazer parte do Fórum, são necessários alguns critérios. Informações no Instragram @forumdasmulheresdenegocios

Continue Lendo

Negócios

O Boticário convida filhos a contarem seu amor neste Dia das Mães

Publicado

em

Ser mãe é assumir vários papeis simultaneamente, e o motivo é um único e inquestionável sentimento – o amor. Só que nem sempre elas se dão conta do quão incríveis elas são. Por isso, nesse Dia das Mães, O Boticário incentiva os filhos a relembrá-las da importância delas na família. E, para complementar essa grande homenagem, nada como um presente que possa representar todo amor da relação entre mães e filhos.
A marca mais amada dos brasileiros traz um filme especial para o Dia das Mães que promete provocar muita emoção ao ilustrar algo que não é novidade, mas que sempre vai tocar o coração das pessoas – a dedicação de toda mãe para que seus filhos se sintam seguros e capazes de realizar e conquistar tudo o que desejam na vida. Além disso, O Boticário criou diversos kits especiais com destaque para o novo Floratta Red, uma fragrância inspirada pela maçã de Vermont. Seu perfume frutado equilibra a delicadeza e a doçura da flor e exala uma irresistível sofisticação com um toque gourmand. As sugestões de presentes chegam às lojas, e-commerce (www.boticario.com.br) e revendedores da marca no dia 24 de abril.
A gerente de Gifts do Boticário, Fernanda Reis, destaca que esta data é uma das mais importantes para o varejo. “Estamos sempre evoluindo para surpreender no momento de presentear. Queremos que todos os nossos kits representem o verdadeiro significado do amor. Além disso, neste ciclo, cada kit vendido parte da renda será revertido para ajudar melhorar as condições de trabalho das pessoas que atuam nas cooperativas de reciclagem”, comenta.
Os kits chegam em valores bem diversos, de R$ 39,90 até R$ 289,00. Outra opção são os combos compostos por produtos, nécessaires e frasqueiras para deixar os presentes ainda mais incríveis e customizados para demonstrar todo esse afeto e surpreender essa pessoa única e tão importante na nossa vida.
 
Serviço:
Floratta Red Des. Colônia, 75 ml Preço: R$ 95,90
Família Olfativa: Floriental Frutal
·         Saída: Frutas vermelhas, laranja, maçã
·         Corpo: Flor de laranjeira, tuberosa, violeta, flor de lótus, flor do beijo
·         Fundo: chocolate amargo, musk, sândalo, cedro, âmbar
Kits exclusivos
Kit exclusivo Elysée
R$ 269,90
·         Elysée O Boticário Eau de Parfum, 50 ml
·         Shower gel corporal, 100 ml
·         Creme desodorante hidratante para mãos, 50 g
·         Frasqueira
Kit exclusivo Coffee Woman Seduction
R$ 174,90
·         Coffee Woman Seduction desodorante colônia, 100ml
·         Óleo desodorante hidratante corporal, 150ml
·         Loção desodorante hidratante Corporal, 200ml
·         Caixa de Presente
Kit exclusivo Elysée
R$ 129,90
·         Floratta Flores Secretas, 75ml
·         Creme desodorante hidratante corporal, 200ml
·         Sabonete líquido corporal, 200ml
·         Caixa de presente
Kit exclusivo Cuide-se Bem – Rosa & Algodão
R$ 76,90
·         Cuide-se Bem Body Splash desodorante colônia Rosa & Algodão, 200ml
·         Loção desodorante hidratante, 200ml
·         Creme desodorante hidratante para mãos, 50g
·         Caixa de Presente
Kit exclusivo Glamour – sabontes
R$ 39,90
·         Sabonete perfumados, 4 unidades de 90g cada
·         Caixa de Presente
Combos
Combo presente Glamour – Just Shine!
R$ 139,90
·         Glamour Just Shine! O Boticário desodorante colônia, 75 ml
·         Nécessaire holográfico Rosé
Combo presente Nativa SPA Ameixa
R$ 119,90
·         Body Splash desodorante colônia, 200ml
·         Loção desodorante hidratante, 400ml
Creme desodorante hidratante para mãos, 75g
Combo presente Intense
R$ 119,90
·         Máscara para cílios volume, 7, 8g
·         Lápis preto para olhos, 1, 3g
· Rosa Needarie

Continue Lendo

Negócios

ALPB aprova projeto que estimula utilização de etanol, combustível que gera 80 mil empregos

Publicado

em

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou o projeto de Lei Ordinária 42/2019, de autoria do deputado Tovar Correia Lima (PSDB), que revoga a Lei 10.365/2014, que obriga postos a fixarem cartazes que desestimulam o abastecimento com álcool. Esse tipo de combustível é ecologicamente correto e é responsável pela geração de emprego e renda para 80 mil postos de trabalho. Além disso, a Associação dos Plantadores de Cana-de-açúcar do Estado informa que não existe uma ciência exata sobre os motores de automóveis. Dependendo do modelo, uns consomem combustíveis mais que outros.

Segundo Tovar, o projeto apresentado garante o uso de um produto responsável pela geração de milhares de emprego na Paraíba, que contribui consideravelmente para a economia do estado e que ainda auxilia na preservação do meio ambiente. Dados da Agência Internacional de Energia mostram que a utilização do etanol produzido através da cana-de-açúcar reduz em média 89% a emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2), metano (CH4) e óxido nitroso (NO2), se comparado com a gasolina.

De acordo com a Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool do Estado da Paraíba (Sidalcool), a Paraíba produz, em período de safra, 420 milhões de litros de etanol e garante a geração de 80 mil empregos diretos e indiretos. Apenas de forma direta, são gerados 21,8 mil empregos em 26 municípios do litoral, onde existem a produção de cana-de-açúcar.

O presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool do Estado da Paraíba (Sidalcool), Edmundo Barbosa, destacou que o projeto apresentado pelo deputado Tovar contribui para garantir a venda mais justa do etanol na Paraíba. Para ele, a matéria também reforça a Política Nacional de Biocombustível, o RenovBio.

“Esse projeto chega em um momento importante, quando estamos trabalhando pelo fortalecimento do RenovaBio, que é uma política de Estado que pretende reconhecer o papel estratégico dos bicombustíveis na matriz de energia nacional, tanto para a segurança energética quanto para redução de emissões de gases causadores do efeito estufa”, destacou Edmundo Barbosa.

Para o presidente da Associação dos Plantadores de Cana-de-açúcar do Estado da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, o projeto de Tovar chega para corrigir uma injustiça e discriminação com o setor sucroalcooleiro. “Não existe uma ciência exata sobre os motores de automóveis. Dependendo do modelo, uns consomem combustíveis mais que outros. Então essas placas nos postos prejudicam a venda do etanol que é um produto limpo e contribui com a preservação do meio ambiente. Defendemos que cada consumidor escolha seu combustível sem precisar de placas discriminatórias”, observou.

O cartaz, questionado pelo deputado Tovar por meio do projeto aprovado na Assembleia Legislativa,apresenta a informação sobre o percentual da diferença entre os preços de gasolina e do etanol.

Continue Lendo