Nos acompanhe

Negócios

Energisa na Paraíba vai investir R$ 202 milhões em 2019

Publicado

em

A Energisa Paraíba e a Energisa Borborema preveem um investimento de R$ 202 milhões este ano na área de concessão das distribuidoras. O volume é 23% superior ao que foi investido em 2018. As informações foram repassadas ao governador João Azevedo nesta semana, pela diretoria da concessionária em visita na Granja Santana, em João Pessoa. Atualmente, a Energisa atende a aproximadamente 1,6 milhão de clientes, divididos em 222 municípios e emprega diretamente quase 2 mil pessoas.

Entre as principais obras está a construção de duas subestações – uma em Bayeux e outra no bairro do Altiplano. A primeira vai atender 40 mil clientes, entre eles o Aeroporto Castro Pinto e Hospital Regional de Santa Rita, e a segunda visa atender ao crescimento do mercado, em especial o segmento imobiliário. Além disso, será construída a quinta sede própria da empresa no estado em Sousa, no valor de R$ 3 milhões, ampliadas quatro subestações e construída uma seccionadora em Cabedelo.

Vale destacar que, em 2019, a Energisa comemora 20 anos de atuação na Borborema que engloba as cidades de Campina Grande, Queimadas, Fagundes, Boa Vista, Massaranduba e Lagoa Seca, totalizando 210 mil unidades consumidoras. Nesse período, a região ganhou em qualidade de serviço com investimento total de R$ 413 milhões. Apenas para citar um desses investimentos o número de subestações subiu de uma, em 1999, para oito em 2019.

Os clientes da Energisa Borborema têm hoje a melhor energia do Brasil, reconhecida pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica, com 99,95% de disponibilidade no fornecimento durante o ano. Isso significa que, das 8.760 horas do ano, a o abastecimento de energia é interrompido em apenas quatro. Esses investimentos são contínuos e serão mantidos em 2019 com mais R$ 18 milhões.

Entre as áreas e iniciativas beneficiadas nas concessionárias estão o atendimento de novas cargas e expansão das redes, a manutenção e a substituição de ativos, o combate ao furto de energia e o aperfeiçoamento de processos internos e capacitação das equipes.

A prioridade da empresa é oferecer um serviço cada vez melhor aos clientes, garantindo uma oferta de energia permanente e segura e levando bem-estar à população. Desta forma, a empresa se mantém como vetor essencial para o desenvolvimento econômico e social da região. “Trabalhamos incessantemente pela excelência da prestação de serviços. Mas nada poderia ser feito sem ter, em nossos quadros, paraibanos servindo por paraibanos. Hoje, 84% dos nossos quase dois mil colaboradores são filhos da terra”, ressalta Ricardo Charbel, diretor-presidente da Energisa na Paraíba.

O combate ao furto de energia continua sendo uma das prioridades da Energisa. Este ano, serão investidos R$ 66,4 milhões em iniciativas com essa finalidade. “O chamado ‘gato’ é crime e acarreta perdas milionárias à sociedade. Todos saem prejudicados: a população, que paga a conta do furto e tem o fornecimento prejudicado; o estado, que perde milhões em arrecadação de impostos; e a empresa, que perde receita e tem seus investimentos na melhoria dos serviços afetados”, afirma Jairo Perez, diretor técnico e comercial da Energisa na Paraíba, destacando os meios utilizados nessa missão. “Somos muito eficientes em combater o furto com tecnologia e ações coordenadas e inteligentes e o importante apoio da Perícia da Polícia Civil”, conclui.

Responsabilidade social

A Energisa patrocina e apoia inúmeras iniciativas que valorizam o desenvolvimento socioeconômico, ambiental e cultural da região onde atua. Estes projetos buscam impulsionar o desenvolvimento econômico, regional e social das comunidades, contribuindo para o estímulo e acessibilidade ao lazer, ao esporte e à cultura. Em 2018, a Energisa na Paraíba realizou os seguintes projetos:

– Espaço Energia – 331.097 mil visitantes desde a sua inauguração em 2009.
– Usina Cultural – público de 337,6 mil pessoas, 1.884 eventos e mais de R$ 1.1 milhão gerados para produtores nos últimos quatro anos.
– Nossa Energia – 89 cidades visitadas pelas unidades móveis, com mais de 2,5 mil palestras educativas realizadas e trocas de 201 mil lâmpadas antigas por lâmpadas de LED e 300 geladeiras não eficientes substituídas por novas. Foram investidos R$ 4,4 milhões.

– Eficientização de Iluminação Pública – R$ 4,6 milhões investidos em seis cidades.

E este ano, no período de 18 a 22 de fevereiro, a cidade de Cajazeiras recebe a primeira edição da ‘Caravana da Visão’, ação realizada em parceria com a Fundação Oftamológica Rubem Cunha, de São Paulo. Na ocasião, 592 crianças, que passaram por uma triagem em novembro do ano passado para identificar problemas de visão, serão examinadas por médicos especialistas. As que necessitarem de óculos serão atendidas.

Reconhecimentos/prêmios – 2018

Energisa Borborema
Prêmio Abradee – Prêmio Nacional (Empresa < 500 Mil Clientes) Energisa Borborema
Prêmio Abradee – Gestão Operacional

Energisa Paraíba
Prêmio Abradee – Gestão Econômico-Financeira – Energisa Paraíba
Prêmio Abradee – Melhor Empresa Do Nordeste – Energisa Paraíba

Energisa Paraíba e Energisa Borborema
Selo GPTW – Melhor Empresa para se trabalhar

Grupo Energisa
Prêmio “Empresa que melhor se Comunica com os jornalistas”

Continue Lendo

Negócios

Angra 3: Governo Federal trabalha para expandir a mineração de urânio na Paraíba

Publicado

em

O governo federal vem trabalhando há mais de ano para estabelecer novo marco regulatório para o setor nuclear.

Segundo reportagem da Folha, a ideia é criar as condições para que o investimento privado possa destravar a construção da usina de Angra 3 e expandir a mineração de urânio para estados como Amazonas, Ceará, Goiás, Tocantins, Pará, Paraíba e Paraná.

Esse trabalho importante de melhoria no marco regulatório do setor nuclear ficará soterrado se houver qualquer acidente ambiental com material radioativo. Seria um custo excessivamente alto para a sociedade brasileira, que subsidia o setor nuclear a peso de ouro.

Continue Lendo

Negócios

Privatização dos aeroportos de João Pessoa e Campina pode inviabilizar voos de grandes aeronaves

Publicado

em

O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) está alertando para uma preocupação sobre a decisão do Governo Federal de privatizar os aeroportos de João Pessoa e Campina Grande, cujo leilão já foi anunciado e vai ocorrer no dia 15 de março, na Bovespa. O alerta foi feito durante discurso na tribuna do Senado Federal.

Segundo os dados apresentados pelo governo para a 5ª Rodada de Concessões de Aeroportos, o Bloco Nordeste inclui os aeroportos de João Pessoa, Campina Grande, Recife, Aracajú, Maceió e Juazeiro do Norte. O aeroporto de João Pessoa movimenta 1,4 milhão de passageiros por ano, enquanto o de Campina Grande movimenta 150 mil. Porém, com as concessões esses números poderão cair drasticamente, afirma o Senador.

É que a concessionária vencedora terá que cumprir algumas obrigações, que preveem adaptações técnicas. Dentre elas, a mudança nos tipos de aeronaves que podem operar nos dois aeródromos paraibanos. Atualmente, segundo cadastro da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, os aeroportos de João Pessoa e Campina Grande são homologados para garantir operações com aeronaves 4C, operadas pelas principais companhias aéreas brasileiras (Latam e Avianca operam com o A319, A320 e A321; enquanto que a Gol opera com o Boeing 737-800).

Contudo, alerta Veneziano, o novo operador aeroportuário terá obrigação de adequar os aeroportos para receber aeronaves da categoria 3C (categoria menor que a atual). “Assim, nestes aeroportos, as grandes companhias aéreas brasileiras não terão o conforto necessário para operar com suas aeronaves, da categoria maior, a 4C”.

Retirada do ILS de Campina Grande – Outro alerta feito por Veneziano trata do ILS, equipamento conseguido pelo então Senador Vital do Rêgo Filho (hoje Ministro do Tribunal de Contas da União – TCU). O ILS, equipamento de pouso por instrumento de precisão, foi instalado no aeroporto de Campina Grande para auxiliar manobras de aeronaves em condições adversas, mas nunca chegou a operar em sua plenitude, devido a adequações na pista e na área de escape que nunca foram feitas.

O relato técnico a que Veneziano teve acesso informa que poucos aeroportos no Brasil dispõem de ILS e que o de Campina Grande nunca funcionou de forma plena por conta da “proximidade da Terminal de Passageiros da Pista de Pouso e Decolagem e do Pátio de Aeronaves, ferindo a ‘rampa de aproximação’ do equipamento”.

“Com a obrigatoriedade do operador aeroportuário de adequar todo o sistema de pista e pátio para garantir apenas a operação por instrumentos não-precisão, o aeroporto de Campina Grande corre o risco, mais uma vez, de não garantir o funcionamento pleno deste importante equipamento, conseguido pelo então Senador Vital do Rêgo”, afirmou.

Outro detalhe levantado por Veneziano é que esta será a primeira vez que haverá concessões em bloco, cabendo ao vencedor do leilão administrar todos os aeroportos do respectivo bloco. No caso do Bloco Nordeste, o aeroporto de Recife, com uma movimentação de 7,8 milhões de passageiros ao ano, será o grande atrativo, o que, fatalmente, desestimulará o vencedor de investir nos aeroportos de João Pessoa e Campina Grande. “Será que o concessionário não irá desestimular as operações nos aeroportos menores, para fomentar a operação no seu aeroporto maior?”, questionou o parlamentar.

Continue Lendo

Negócios

O Boticário lança Quasar Brave na Campus Party Brasil

Publicado

em

Para lançar Quasar Brave, O Boticário foi buscar na Ásia ingredientes milenares. Combinando as folhas do Black Ceylan, o ingrediente do tradicional chá preto, ao álcool destilado do saquê, criou uma verdadeira alquimia baseada nos rituais orientais. O resultado desse trabalho poderá ser conferido, em primeira mão, pelos participantes da 12ª edição da Campus Party – um dos principais eventos de tecnologia do Brasil.

Para interagir com os “campuseiros”, a marca desenvolveu uma experiência imersiva, que vai transportar os gamers a um cenário do Japão Antigo, em que eles poderão treinar suas habilidades com a katana (espada tradicional japonesa), num jogo com realidade virtual e uma estrutura física de molas, que permite os participantes “voarem”, durante os golpes contra objetos – sensores detectam todos os movimentos reais para replicá-los no mundo virtual, deixando o jogo ainda mais dinâmico.

Os visitantes que passarem pelo espaço do Boticário, poderão experimentar a nova fragrância da linha Quasar solicitando amostras às promotoras, nas estações de experimentação do espaço da marca ou ainda nos totens de com o produto, montados próximos às áreas de banho. A fragrância, lançada em primeira mão na Campus Party Brasil, já está disponível para compra nas lojas, revendedores e site da marca.

Continue Lendo