Nos acompanhe

Paraíba

Com 100% de cobertura na Capital, UPAs fazem mais de 28 mil atendimentos ao mês

Publicado

em

Sofrendo de perda de movimentos na coluna cervical, o aposentado Roberto Cândido comemorou, em dezembro de 2016, a chegada de um serviço de urgência e emergência mais perto de casa, planejado e entregue para atender os moradores de seu bairro. Residente do Cristo Redentor, ele se tornou usuário da UPA Augusto Almeida Filho, em Cruz das Armas, à qual recorria em casos de crise. Antes disso, precisava procurar atendimento em bairros distantes, em busca de serviço semelhante.

A UPA Cruz das Armas, utilizada por Roberto Cândido, foi a segunda das três novas unidades entregues pela gestão municipal e que juntas à UPA Oceania garantem a cobertura de 100% da Capital para atendimento de urgência e emergência. Ao todo, as quatro UPAs de João Pessoa realizam uma média de 28,3 mil atendimentos por mês. As unidades garantem assistência pré-hospitalar 24 horas à população em casos de urgência e emergência em clínica geral e pediatria.

“Cada uma das unidades está preparada para dar suporte a 200 mil habitantes dos bairros em seu entorno. Hoje, com as unidades do Valentina, de Cruz das Armas, Bancários e Jardim Oceania garantimos esse atendimento para os 800 mil habitantes de João Pessoa”, explicou a gerente de Urgência e Emergência da Capital, Rafaela Marinho.

A construção das unidades trouxe um grande impacto para o atendimento da Capital. O primeiro deles foi o de encurtar as distâncias entre o usuário e o serviço, possibilitando um acesso mais rápido e mais cômodo para a população. Por outro lado, as novas unidades possibilitaram a redução do excesso de pacientes em uma UPA ou em hospitais, o que garante um atendimento mais rápido e de ainda mais qualidade para a população.

Roberto Cândido afirma que sua realidade mudou com a nova unidade. “Eu tenho perda de movimentos e era muito difícil procurar atendimento. Tinha que ir pra longe pegando Õnibus. Entregaram a UPA do Valentina e eu comecei a ir para lá, o atendimento era muito bom, mas a distância ainda era um problema. Agora tem a de Cruz das Armas e ficou ótimo. Ter o serviço perto de casa é outra coisa”, afirmou o aposentado. Ele ainda elogiou o atendimento. “Sempre que precisei fui muito bem atendido”.

Distribuição do atendimento – A construção das novas UPAs ocorreu com o objetivo de democratizar o serviço de urgência e emergência, chegando a todos com mais eficiência e qualidade. Em 2012, o único ponto específico para este tipo de atendimento era a UPA Oceania, localizada na Avenida Flávio Ribeiro Coutinho, o chamado Retão de Manaíra. A unidade, no entanto, não podia suprir toda a demanda, o que mantinha alta a procura pelos hospitais.

Em agosto de 2014, a UPA Célio Pires de Sá, no Valentina, marcou o início da mudança. Ela trouxe atendimento mais próximo para toda a população da zona sul, incluindo bairros muito populosos, como Mangabeira. A unidade, que tem realizado uma média de oito mil atendimentos por mês, ainda cumpriu outro papel importante.

“Essa UPA chegou com a missão importante de desafogar a porta de entrada para urgência e emergência clínica no Ortotrauma e no Hospital do Valentina. Graças a ela, hoje o Hospital do Valentina tem especialidade em pediatria, o que melhorou o atendimento como um todo para a população”, explicou a diretora multiprofissional da UPA, Patrícia Martins.

Cruz das Armas – A UPA de Cruz das Armas chegou dois anos depois, e trouxe alento para uma região que estava descoberta. “Essa é uma região que possui muitas comunidades e uma população muito carente, gente que procura a UPA por resfriados ou dores de cabeça simplesmente por não poderem comprar o remédio”, explicou a diretora Roberta Barros.

Ela explicou que toda essa demanda estava sendo direcionada para a UPA do Valentina e para o Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) do Cristo. Agora o atendimento está perto de casa e as outras unidades podem focar em suas regiões. “Além disso, temos um número alto de atendimentos de outros municípios, já que somos a unidade mais próxima à entrada da cidade”, explicou, listando demandas de Bayeux, Santa Rita, Conde, Pedras de Fogo, Alhandra e outras cidades.

Especialidade – A UPA Dr. Lindbergh Farias, nos Bancários, foi a última a ser inaugurada, e veio com função dupla. Além de cobrir uma nova região, a unidade também funciona desafogando o atendimento do Ortotrauma, já que possui especialidade no atendimento de ortopedia. “Temos dois médicos ortopedistas diariamente e um total de 18 profissionais dessa especialidade na escala prontos para atendimentos que não exijam cirurgia”, explicou a diretora Claudenice Barbosa. Em quatro meses de funcionamento, a unidade já atendeu mais de 30 mil pessoas, sendo 1.270 em casos de ortopedia.

Continue Lendo

Paraíba

Prefeito de São José de Espinharas empossa concursados e entrega veículos

Publicado

em

O prefeito do município de São José de Espinharas, Netto Gomes, empossou na tarde desta quarta-feira (19), dez servidores que passam a atuar, a partir de agora, na Secretaria de Saúde, Secretaria de Obras, Infraestrutura e Serviços Públicos e na Secretaria de Educação, Cultura e Turismo. Além disso, ele também entregou dois novos veículos que vão reforçar o atendimento à população do município.
Um veículo modelo Van será destinado para o trabalho de transporte de pacientes fora de domicílio, atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Já a nova caminhonete modelo L200 Triton, será utilizada no trabalho da Vigilância em Saúde. A van foi adquirida através de uma emenda individual deputado federal Aguinaldo Ribeiro, no valor de R$ 249.000,00 e a L200 Triton foi uma doação do Ministério da Saúde, também em atendimento a um pedido do Aguinaldo Ribeiro.
Para o prefeito Netto Gomes, a parceira com o parlamentar foi um presente para o município, que passou a ser conhecido em Brasília, conquistando recursos para melhorar a qualidade de vida da população. A união da gestão com o trabalho de Aguinaldo em Brasília já rendeu um investimento de R$ 5.591.000,00 para o município.
O Secretário de Administração e Recursos Humanos, Arnobio Soares, recepcionou os novos servidores e parabenizou o prefeito Netto Gomes pela dedicação e trabalho que vem realizando para otimizar os serviços públicos na cidade.
Já o servidor empossado, Régis Jackson, ressaltou que o dia 18 de junho se tornou um dia muito especial. Ele recebeu a portaria e agora pode efetivamente se apresentar como Farmacêutico Concursado da cidade que ele escolheu para morar.
“Uma felicidade imensa, agradeço a Deus por tudo o que vem proporcionando na minha vida, e a gestão municipal pela iniciativa de realizar concursos, empossando àqueles que se dedicaram para contribuir com o serviço público”, ressaltou.

Continue Lendo

Paraíba

Projeto prevê política de prevenção de acidentes e combate a incêndios nas escolas da Paraíba

Publicado

em

Projeto de Lei 177/2019 do deputado estadual Cabo Gilberto Silva (PSL), aprovado na Assembleia Legislativa, institui políticas de prevenção de acidentes e combate a incêndios nas escolas estaduais, municipais e particulares de João Pessoa.

O Projeto de Lei prevê a identificação de áreas que apresentem risco de acidentes, inclusive de incêndios e explosões nos estabelecimentos de ensino. “A ideia é envolver a participação e o comprometimento de alunos, dirigentes, professores e demais profissionais da educação, promovendo o levantamento e a efetiva implementação de medidas de segurança para reduzir ou neutralizar os riscos existentes”, explicou o deputado.

Ainda segundo o parlamentar, as escolas contarão com o auxílio do Corpo de Bombeiros na elaboração de mapas de riscos, plano e fuga e a estratégia do exercício de evacuação emergencial. “É preciso estar sempre preparados para uma possível urgência, promovendo uma cultura positiva entre alunos e funcionários, todos participando da política de segurança da escola”, disse.

Aprovado na Assembleia, o Projeto de Lei segue para análise, sanção ou veto do governador João Azevedo (PSB).

 

Clique AQUI e confira o documento

Continue Lendo

Paraíba

Votação dos royalties pode garantir R$ 5,1 bilhões para os municípios paraibanos

Publicado

em

A votação das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) 4917, 4916, 4918 e 4920 pelo Supremo Tribunal Federal (STF), agendado pelo dia 20 de novembro deve garantir aos 223 municípios paraibanos um total de R$ 5.153.744.385 em arrecadação de royalties, com bônus por meio do Fundo Especial do Petróleo. Sem o bônus a quantia destinada seria de R$ 471.340.952. As ADIs estão suspendendo dispositivos da Lei 12.734/2012, em especial no artigo 20, e apontou que a produção do petróleo no pré-sal pertence à União, pois é feita a muitas milhas da costa marítima. Assim, qualquer divisão deve contemplar o País como um todo.

A instituição está organizando uma grande mobilização com a participação de prefeitos para o dia da votação no STF. O presidente George Coelho disse que esse será o grande desafio para a entidade no final do ano. De acordo com ele, é preciso se fazer presente para que os ministros vejam a união dos gestores em prol dos recursos que serão fundamentais para manutenção das administrações municipais.

Coelho lembrou que o movimento pressionando o STF para colocar a matéria em pauta teve início na Paraíba, com a mobilização dos gestores locais, que levaram a proposta de realizar um ato em frente ao Supremo, durante a Marcha Nacional dos Prefeitos deste ano, em Brasília.

“É importante que o Supremo Tribunal Federal tome uma decisão sobre os royalties, para que possamos resolver problemas que comprometem ações básicas oferecidas a população. Os municípios brasileiros vêm sofrendo graves prejuízos financeiros por conta desse impasse. Nós da Famup, juntamente com a CNM estamos confiantes em um entendimento positivo por conta dos ministros para que esses recursos sejam liberados”, destacou George Coelho.

O presidente da Famup disse ainda que essa deliberação por parte do STF é um avanço do movimento municipalista e da XXII Marcha. Os consultores jurídicos da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que atuam nestes processos – Elena Garrido, Paulo Caliendo e Ricardo Hermany – acreditam que a deliberação será favorável aos municípios, especialmente porque a lei aprovada pelo Congresso Nacional, em 2012, contemplou o que está previsto na Constituição Federal.

Os juristas da Confederação voltam a lembrar de posições a favor da tese municipalista, como o parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) e o da Procuradoria Geral da República (PGR). A entidade, ainda em 2014, apresentou à PGR — em audiência com o Procurador Geral da República na oportunidade, Rodrigo Janot, e com o então presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, acompanhado de consultores da entidade — dados técnicos, mostrando a constitucionalidade da lei e o impacto da ADI nos cofres municipais. Essas informações foram comtempladas favoravelmente no parecer enviado ao Supremo, inclusive em relação ao mérito e à destinação dos recursos para o benefício da população.

Continue Lendo