Nos acompanhe

Paraíba

Romantismo: 120 casais se unem em casamento coletivo no Maior São João do Mundo

Publicado

em

No dia mais romântico do ano, dedicado aos Namorados, a Prefeitura de Campina Grande promoveu a trigésima edição do seu tradicional Casamento Coletivo. Em 2018, 120 casais concretizaram o sonho da formalização legal de sua união.

O casamento aconteceu na noite desta terça-feira, 12, na Pirâmide do Parque do Povo, sob o testemunho do prefeito Romero Rodrigues e da primeira-dama do município, Micheline Rodrigues, além de outras autoridades e familiares dos noivos, que prestigiaram um dos eventos mais aguardados do Maior São João do Mundo, justamente na véspera do Dia de Santo Antônio, considerado o “Santo Casamenteiro”.

De acordo com o prefeito Romero Rodrigues, o casamento coletivo é uma iniciativa da prefeitura como demonstração do respeito aos valores familiares, estimulando e concretizando a união de casais em Campina Grande.

“Por isso, ao lado da minha amada esposa, Micheline, neste dia tão especial – o dia dos Namorados – estou aqui para apresentar meus votos de parabéns a todos vocês e desejar que Deus os abençoe”, afirmou o prefeito, que também agradeceu a toda equipe da Secretaria de Cultura pelo empenho e realização do evento, elogiando o esforço do secretário Joia Germano e da coordenadora Gisele Sampaio.

Na companhia do prefeito, compondo a mesa de autoridades, estavam o deputado federal Pedro Cunha Lima; secretário de Cultura, Joia Germano; promotor Berlindo Estrela; vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, Márcio Melo; juíza de Direito, Ivna Mozart Bezerra Soares e  a primeira-dama Micheline Rodrigues.

As autoridades e o público presente acompanharam a celebração do casamento, comandada pela juíza de Direito, Ivna Mozart, que apresentou a sua mensagem em forma de versos. Ela apresentou o poema “A lei do Coração”. Segundo a juíza:

“O amor tem suas razões
Que a própria razão desconhece
As diferenças logo se escondem
Quando o coração amolece”.

Para ao final, arrematar, inspirada em um mote que lhe foi dada pelo prefeito Romero Rodrigues:

“Por isso, os declaro casados
Em nome da lei do coração
E que se soltem nunca mais
Após essa declaração!”

Para o casal Joilson Ferreira Barros e Márcia Tavares, “o casamento coletivo representa a concretização de um sonho de amor deles e de outras dezenas de casais”. Aproveitaram para elogiar e agradecer o trabalho da Prefeitura de Campina Grande que, mais uma vez, tomou a iniciativa de realizar este momento marcante do período  junino da cidade. “Recebemos toda orientação, apoio e condições para que o nosso sonho se realizasse nesta noite”, disseram.

Toda esta emoção deste e de outros casais teve como palco a pirâmide do Parque do Povo, que recebeu uma decoração especial, com flores do campo coloridas (cerca de 3 mil hastes), adornos e uma passarela vermelha para receber os 120 noivos. A proposta consistiu em transformar a Pirâmide em uma grande capela para receber noivos e seus convidados, com adornos que fazem reverência ao momento do casamento religioso, além de remeter ao contexto da festa junina.

Os convidados foram acomodados em arquibancadas com capacidade para mil pessoas. E todas as demais cadeiras dispostas na Pirâmide foram cobertas com tecidos brancos. Quem assinou toda essa decoração especial para a Pirâmide do Parque do Povo foi Soares Rocha, renomado decorador de Campina Grande, que montou uma equipe especial para essa ocasião (10 pessoas).

Destaques e diferenciais da celebração

Neste ano, o cortejo dos noivos seguiu de forma diferenciada. Os homens entraram primeiro e aguardaram as noivas no altar. Outro momento sempre muito esperado pelo público é quando as noivas jogam os buquês, ao mesmo tempo, para o alto. Só que neste ano houve um grande diferencial. Quem teve a sorte de “agarrar” um buquê será contemplado com o casório no próximo ano. Ao final da grande festa de casamento o grupo Os Três do Nordeste animou o público e os noivos com um tradicional arrasta pé.

Neste ano, além da Filarmônica Municipal Epitácio Pessoa, o Coral Coro em Canto, da Universidade Federal de Campina Grande, apresentou um repertório com canções que remeteram aos clássicos da MPB e também do cancioneiro popular. Cerca de 80 músicos, entre instrumentistas e intérpretes, apresentarão uma verdadeira opereta nordestina.

Já o tradicional Bolo da Noiva teve caracteres que remeteram ao período junino. Por isso, a decoração do bolo de casamento também foi especial, com partes em estampas, fitas e, acima do bolo, um pequeno casal junino. Já o brinde foi realizado com espumante, outro destaque da celebração.

Grande mobilização assegurou sucesso do evento

Para promover a união legal dos 120 casais centenas de colaboradores foram mobilizados nos últimos meses para assegurar toda a beleza e ritual do evento. Esses ritos preparatórios envolvem desde a parte burocrática (do casamento civil), até a parte festiva que reúne decoradores, maquiadores, cabeleireiros, cerimonialistas, equipe de alimentação e de serviços gerais.

Além disso, auxiliaram na coordenação do Casamento Coletivo equipes da Senac e do Clube da Bolsa.  Por parte da PMCG, integraram a equipe da coordenação do evento (cerca de 70), como também servidores do cartórios e outros profissionais.

Conforme a coordenadora Giseli Sampaio, a maratona envolvendo centenas de pessoas e detalhes minuciosos começou há quase três meses, no período das inscrições, quando equipes foram designadas para receber toda a documentação dos casais interessados em formalizar suas uniões durante o Casamento Coletivo realizado no Parque do Povo. Desde, então, foram sendo selecionadas as equipes responsáveis pelo aluguel e ajustes necessários nos ternos e vestidos das noivas, confecção dos bolos e doces do casamento, aluguel das louças usadas na festa e na produção dos buquês.

Continue Lendo

Paraíba

Wallber Virgolino pede o cancelamento do contrato entre a Cruz Vermelha e o Governo do Estado

Publicado

em

O deputado estadual Wallber Virgolino (Patriota), que encabeça as discussões na Assembleia Legislativa em torno das irregularidades na condução da administração do Hospital de Trauma e a Cruz Vermelha, já protocolou na Casa um pedido de cancelamento de contrato firmado entre Secretária Estadual de Saúde e a Cruz Vermelha.
“Depois das graves denúncias comprovadas, tenho a obrigação de encabeçar essa briga em nome dos homens e mulheres de bem da Paraíba. Queremos investigar os desmandos do Poder executivo e por isso protocolei esse pedido. O povo não pode mais ser enganado. Vamos ficar de olho, inclusive cobrando as autoridades, respostas urgentes e energéticas”, disse Wallber.

Continue Lendo

Paraíba

Deputado Felipe Leitão compõe CCJ na Assembleia Legislativa da Paraíba

Publicado

em

O deputado estadual Felipe Leitão (DEM) vai compor a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa da Paraíba para o biênio 2019-2020.
Deputado destaca a experiência e sentimento após indicação dos colegas.
“Motivo de muito orgulho, honrado em meu primeiro mandato receber a indicação de meus colegas deputados para integrar comissão de maior importância da casa, todos os projetos de extrema importância passarão pela CCJ. Trago comigo a experiência quando fui vereador da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP)”, afirmou o deputado.
A deputada Pollyanna Dutra (PSB) foi eleita presidente da Comissão, e o deputado Ricardo Barbosa (PSB), vice-presidente.
A CCJ é composta por sete deputados: Camila Toscano (PSDB), Ricardo Barbosa (PSB), Edmilson Soares (Podemos), Tovar Correia Lima (PSDB), Felipe Leitão (DEM), Júnior Araújo (Avante) e Pollyanna Dutra (PSB).
O deputado Democrata também integra a Comissão dos Direitos da Mulher como membro.
(Foto: Edcarlos Santana)

Continue Lendo

Negócios

MP celebra TACs para regularização de contratos de advogados e contadores em Dona Inês e Bananeiras

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba firmou mais três termos de ajustamento de conduta para a regularização da contratação de advogados e contadores, nessa terça-feira (20/02). Os TACs foram firmados após inquéritos civis públicos que constataram que os contratos existentes não atendem aos requisitos legais, tendo sido firmados sem processos licitatórios. Desta vez, firmaram o compromisso o prefeito de Dona Inês e o presidente da Câmara de Vereadores de Bananeiras. Com estes, desde o ano passado, já foram firmados 62 acordos, com previsão de formação de procuradorias e contadorias e realização de concursos públicos.

Assinaram os documentos a 1ª promotoria de Justiça de Bananeiras, Ana Maria Pordeus Gadelha; o promotor coordenador do Centro de Atuação Operacional (CAO) do Patrimônio Público, Leonardo Quintans Coutinho; o prefeito de Dona Inês, João Idalino da Silva, e o presidente da Câmara de Vereadores de Bananeiras, Kilson Rayff Dantas da Silva.

De acordo com a promotora Ana Maria Pordeus, a Lei n° 8.666/93 faculta a contratação de serviços jurídicos e contábeis pela Administração Pública mediante inexigibilidade de licitação em casos pontuais e excepcionais em que estejam demonstradas, simultaneamente, a singularidade do serviço e a notoriedade do profissional, não cabendo na hipótese a contratação para serviços ordinários e corriqueiros da administração, que devem ser desempenhadas preferencialmente por servidores públicos efetivos.

Os TACs estabelece prazos, que vão de 30 de abril a 19 de dezembro deste ano para que os gestores façam as adequações necessários, que, dependendo do caso, são: a rescisão dos contratos por inexigibilidade de licitação para prestação de serviços advocatícios e contábeis; a adequação da procuradoria do município, criando os cargos efetivos e comissionados em quantitativo que entender necessários para o funcionamento do órgão, respeitando a paridade entre efetivos e comissionados; a realização de concurso e nomeação ou, no caso dos contadores, a realização de procedimento licitatório para contratação dos serviços com critérios objetivos de técnica e preço.

O promotor de Justiça, Leonardo Quintans, lembrou que o Ministério Público não é contra a contratação de advogados e contadores por prefeituras e câmaras municipais, mas que tem obrigação de zelar para que isso seja feita dentro da lei. Desde 2016, quando percebeu que a contratação direta era regra e não exceção nos municípios, o MPPB vem expedindo recomendações para que os gestores observem a lei e celebrando TACs para ajustar essas condutas às exigências legais.

Continue Lendo