Nos acompanhe

Brasil

Protesto motivado por ‘fake news’ termina com explosão de bomba

Publicado

em

Uma fake news amplamente divulgada em grupos de WhatsApp e em redes sociais provocou um protesto na sede do Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança e Vigilância de São Paulo (Seevisp), no Largo do Arouche, na região central, na quarta-feira, 10. A manifestação terminou com a explosão de uma bomba caseira, lançada contra o prédio. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os estilhaços atingiram pessoas que estavam no local.

Segundo reportagem da jornalista Bianca Lemos, da Veja, a notícia falsa era compartilhada em forma de áudio e atribuída ao presidente do sindicato, Pedro Dantas. Na gravação, um homem, que se passava por ele, dizia que “vigilantes são vagabundos” e que “merecem ganhar pouco”. O boato foi desmentido por Dantas e divulgado no site do Seevisp, mas não foi o bastante para conter a indignação dos que acreditaram na veracidade do áudio e compareceram ao protesto na manhã de quarta-feira.

De acordo com o sindicato, o ato foi motivado pelo áudio e pela insatisfação da categoria com o aumento salarial de 2,6%, já que reivindicavam um reajuste de 9%. Segundo a assessoria, a fake news foi tão difundida que ganhou o apoio de um parlamentar, o deputado federal Chico Vigilante (PT), que gravou um vídeo defendendo a classe e dizendo que o áudio é “uma vergonha” e que o suposto presidente deveria “renunciar ao cargo”. Procurado, o parlamentar não se manifestou sobre o assunto.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores de Segurança Privada (Contrasp) emitiu uma nota de repúdio ao ato, que vandalizou equipamentos do sindicato e danificou uma das portas. No comunicado, a entidade diz que os crimes foram praticados por “pseudo-trabalhadores” e que “vigilantes sérios e inteligentes não atuam dessa forma, portanto, essas pessoas que cometeram esses crimes não são vigilantes – uma profissão tão honrada e digna”.

O prédio vandalizado pelos manifestantes está fechado e será reaberto na próxima segunda-feira (15). Ainda não há estimativa do prejuízo causado pelo grupo. De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado como dano, lesão corporal e porte ilegal de arma de fogo. A procedência do vídeo e os responsáveis pela sua divulgação ainda estão sendo investigados.

De acordo com a Seevisp, Pedro Dantas está afastado das atividades devido a problemas de saúde causados por estresse e as medidas judiciais estão sendo devidamente tomadas.

Continue Lendo

Brasil

Raquel Dodge não quer alvos da Registro Espúrio em liberdade

Publicado

em

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu que o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), mantenha prisões preventivas determinadas na Operação Registro Espúrio, por entender que as provas colhidas durante os mandados de busca e apreensão reforçam a necessidade do encarceramento dos investigados, apurou o Broadcast Político. Somente sobre um dos presos, a lobista Veruska Peixoto da Silva, a PGR opinou a substituição pela prisão domiciliar, pelo fato da investigada ter um filho menor de 12 anos, informa reportagem do Estadão.

Além de Veruska, foram alvos de prisão preventiva o ex-secretário de Relações do Trabalho Carlos Cavalcante Lacerda, a ex-chefe da divisão de Registro Sindical no MTE, Renata Frias Pimentel, o ex-chefe de Gabinete da Secretaria de Relações do Trabalho no MTE, Renato Araujo Junior, o coordenador-geral de Registro Sindical, Leonardo Cabral Dias, o ex-secretário executivo do Ministério do Trabalho, Leonardo José Arantes, e o ex-diretor de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Rogério Papalardo Arantes e Jéssica Mattos Capeletti.

Na primeira fase da Registro Espúrio, foram alvos de busca e apreensão o gabinete de três parlamentares – Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB).

Clique AQUi e confira a reportagem completa

Continue Lendo

Brasil

PT está dividido sobre como negociar aliança com o PSB

Publicado

em

O PT está dividido sobre como negociar eventual aliança com o PSB. Uma parte dos dirigentes acha que a legenda deve endurecer para que os socialistas apoiem o candidato petista à Presidência em troca de uma aliança com eles em Pernambuco, estado que já governam e que é a joia da coroa do partido, informa publicação da jornalista Mônica Bergamo, da Folha.

AQUI, AGORA

Outro grupo, capitaneado por lideranças como Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais, e o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco, quer selar já uma aliança com trocas apenas regionais. Na principal delas, os socialistas apoiam a reeleição do petista em Minas Gerais e o PT apoia a campanha do atual governador, Paulo Câmara (PSB-PE), em Pernambuco

A FORÇA

Um dos argumentos dos que querem endurecer é a força de Lula em Pernambuco, que tornaria o PSB dependente do apoio do PT no estado: segundo pesquisa do Datamétrica divulgada nesta semana pelo Diário de Pernambuco, Lula mantém 59% das intenções de voto, contra 3% de Ciro Gomes —a outra opção dos socialistas para a campanha presidencial.

CARTA

O PT oferece ainda um cardápio vasto ao PSB nas negociações: a cabeça de chapa em estados como Amapá, Amazonas, Paraíba e Espírito Santo, além de Pernambuco. E também o cargo de vice na campanha presidencial.

Clique AQUI e confira a publicação na íntegra.

Continue Lendo

Brasil

Eleições 2018: Resumão do racha no PSB

Publicado

em

O PSB ainda se mantém neutro na disputa nacional, mas não faltam conversas e opiniões internas sobre quem merece o apoio da sigla tão cobiçada. Como relata a coluna Poder em Jogo, do jornal O Globo, está difícil coordenar os apoios entre os Estados

Geraldo Alckmin (PSDB) é o preferido do PSB em SP, PI e PR. Em MG, RJ, CE, ES e DF, a opção é Ciro Gomes (PDT). Tem também quem queira fechar com o possível candidato indicado por Lula para concorrer pelo PT: PE, BA, SE, AC, AP, PB e RN.

BR18

Continue Lendo