Nos acompanhe

Paraíba

PBGás investe R$ 1,5 milhão em novas estações de distribuição de gás natural

Publicado

em

Diretores da Companhia Paraibana de Gás (PBGás) realizaram uma visita técnica à nova Estação de Redução de Pressão e Medição (ERPM) de São Miguel de Taipu e de Bayeux nessa terça-feira (5). A companhia investiu R$ 1,5 milhão na modernização das estações. A nova ERPM de São Miguel de Taipu dará mais agilidade e autonomia para a equipe técnica da PBGás operar o gasoduto entre João Pessoa e Campina Grande, sem a dependência operacional da Transpetro, responsável até então por esse serviço. Já a ERPM de Bayeux foi reformada e modernizada oferec endo mais confiabilidade e segurança.

As estações foram visitadas pelo diretor técnico comercial, Carlos Vasconcelos, pelo diretor administrativo financeiro, Giovane Rosa, pelo gerente de engenharia, Italo Reinaldo, e técnicos e engenheiros da PBGás. Para o diretor técnico e comercial da PBGás, Carlos Vasconcelos, o sucesso desta operação coloca a PBGás num patamar mais elevado quanto à capacidade técnica e experiência de sua equipe em grandes montagens de ERPM e fortalecem áreas estratégicas da companhia como a medição, odorização e segurança.

O diretor administrativo financeiro da PBGás, Giovane Rosa, destacou que as estações estão entre as mais modernas do país com padrão visual e condições operacionais, oferecendo segurança na operação que garante o fornecimento de gás canalizado para Grande João Pessoa e Campina Grande.

De acordo com o gerente de engenharia da PBGás, Ítalo Reinaldo, mais de 30 técnicos entre funcionários da PBGás e terceirizados trabalharam intensivamente para garantir o cumprimento de todas as normas. Ele acrescentou que com a estação de regulagem de pressão e medição de São Miguel de Taipu a companhia poderá operar com maior segurança e confiabilidade o gasoduto tronco até Campina Grande, garantindo o pleno e contínuo fornecimento de gás natural para os clientes da região da Borborema.

A nova ERPM de Bayeux é responsável pela regulação da pressão de 70% do gás consumido em João Pessoa. “Essa é uma das mais importantes estações da companhia por ser responsável pelo abastecimento da Grande João Pessoa e, graças ao empenho de todos, os serviços foram realizados sem interrupção de gás para comércios, residências, indústrias e postos de combustíveis”, completou Ítalo.

Continue Lendo

Paraíba

Eleições: Para 70%, Ricardo deixa o governo; 68% acreditam que Cartaxo deixa a PMJP

Publicado

em

Enquete realizada pelo programa Correio Debate, da 98,3 FM João Pessoa, nesta terça-feira (20), apontou que cerca de 70% dos ouvintes acreditam que o governador Ricardo Coutinho (PSB) deixe o Governo do Estado para disputar as eleições ao Senado Federal.

A enquete, que não possui qualquer caráter científico, revela ainda que 68% dos ouvintes acreditam que o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), deixe a prefeitura para disputar o Governo do Estado.

Os radialistas Nilvan Ferreira, João Costa e Écliton Monteiro, que substitui Victor Paiva que está em férias, ouviram 50 ouvintes do radiofônico líder de audiência no estado da Paraíba.

Confira o áudio:

Continue Lendo

Paraíba

Prefeitura de cajazeiras realiza serviços na área do lixão e contorna situação

Publicado

em

A equipe da Secretaria de Infraestrutura realizou um trabalho intensivo na área onde são dispensados os resíduos sólidos da cidade, o conhecido lixão. Desde a sexta-feira (16), foram iniciados trabalho de adequação dos acessos dos veículos que realizam o transporte do lixo da cidade, sendo tudo solucionado na segunda-feira (19).

Devido as fortes chuvas, o acesso dos caminhões ficou prejudicado e o material recolhido passou a ser estocado nas margens da estrada, causando alguns transtornos.

Conforme o secretário Zé Filho, o trabalho realizado com o maquinário no local, possibilitou a abertura de novos acessos, e ainda foi feita limpeza de toda área, inclusive, parte da estrada vicinal.

Continue Lendo

Paraíba

MP cobra medidas para o saneamento básico nos municípios da região de Mamanguape

Publicado

em

O Ministério Público da Paraíba reuniu representantes das prefeituras da região de Mamanguape, no início desta semana, para cobrar o cumprimento da Recomendação Ministerial 12/15, que trata da adoção de medidas para o saneamento ambiental das cidades. De acordo com a Promotoria de Justiça de Mamanguape, a recomendação não vem sendo cumprida, gerando danos à saúde das pessoas e ao meio ambiente. Foi fixado o prazo de seis meses para que os gestores implantem as ações necessárias e conscientizem a população para que obedeçam ao código de posturas municipal, fazendo a ligação de seus esgotos à rede coletora ou providenciando fossas sépticas.

A 3ª promotora de Justiça de Mamanguape, Carmem Eleonora da Silva Perazzo, – que tem atuação nas cidades de Mataraca, Cuité de Mamanguape, Itapororoca e Capim – expediu a recomendação no final de 2015. Segundo ela, os municípios deveriam ter adotado ações que resultassem na eliminação de despejos de esgotos a céu aberto e da poluição dos rios e lençóis freáticos e na prevenção de doenças decorrentes da falta de saneamento básico, agravadas pela proliferação, por exemplo, do mosquito transmissor da dengue, chinkungunya, e zika.

Fiscalizações
Carmem Perazzo verificou que as medidas recomendadas não estavam sendo cumpridas e, durante a audiência, ouviu os representantes dos municípios sobre as dificuldades e necessidades para a execução dos trabalhos, bem como alternativas para a viabilização. Ao final da audiência, foi dado o prazo de 180 dias para que os municípios realizem as devidas adequações para o cumprimento da recomendação ministerial, entre elas a realização de fiscalizações para observar a existência de fossas sépticas e ligação à rede de esgotamento sanitário.

A Promotoria de Justiça lembra que os municípios devem promover o saneamento básico, a proteção do meio ambiente, o combate à poluição em qualquer de suas formas, a organização e prestação dos serviços públicos de interesse local e a promoção do adequado ordenamento territorial.

Conscientização da população
A representante do MPPB também determinou que houvesse divulgação junto à população sobre a necessidade de que os moradores realizem a ligação das unidades habitacionais à rede coletora de esgoto, onde haja a oferta, para que os dejetos não sejam despejados no meio ambiente. As pessoas devem compreender que a falta de cooperação poderá incorrer em penas de detenção e multa, conforme artigo 68 da Lei 9.605/98.

Participaram da audiência: Egberto Coutinho Madruga, Eymard de Araújo Pedroza e Juvenas Viana de Souza (prefeito, procurador jurídico e secretário de Turismo e Meio Ambiente de Mataraca, respectivamente), Hugo Gomes de Oliveira e Felipe Roberto Mendonça dos Santos (assessor de Comunicação e procurador jurídico de Itapororoca), José Joaquim Ferreira e Jordano Felix Marinho (secretário do Meio Ambiente e vigilante sanitário de Capim), Daniele Ismael da Costa Macedo e Gemerson Farias da Costa (procuradora jurídica e secretário do Meio ambiente de Mamanguape, respectivamente).

O município de Cuité de Mamanguape não mandou representantes à reunião, que aconteceu na última segunda-feira, e foi notificado a informar, em um prazo de 48 horas, se vai aderir ao estabelecido na audiência.

Medidas recomendadas aos municípios:

– Realização de levantamento da situação da destinação de esgoto sanitário de todas as suas economias, detectando cada unidade que não conta com destinação conforme a lei;

– Nos locais com oferta de esgotamento sanitário, criação de incentivos para que todos os imóveis sejam ligados à rede promovam a respectiva ligação dentro de determinado prazo;

– Nos locais não servidos por rede coletora de esgotos, exigência de construção de fossas sépticas, filtros e sumidouros e/ou disposição de efluente tratado no sistema de drenagem de águas pluviais;

– No exercício de seu poder de polícia, fiscalização da manutenção periódica dos sistemas individuais de tratamento de esgoto, realizando vistorias, promovendo notificações, lavrando autos de infração e aplicando todas as sanções administrativas cabíveis;

– Comunicação à Promotoria de Justiça casos de recalcitrância para as medidas cabíveis, inclusive, penais;

– Encaminhamento à Câmara de Vereadores projeto de lei local que preveja penalidades e outras medidas coercitivas para o descumprimento da obrigatoriedade dos imóveis de se ligarem às redes coletoras de esgoto ou, na sua inexistência, manterem solução individual de tratamento de esgoto sanitário;

– Apresentação de relatório das atividades realizadas e objetivos atingidos;

– Concessão do ‘habite-se’ mediante vistorias in loco em obras, devidamente documentadas;

– Auxílio e incentivo a famílias em situação de vulnerabilidade social e/ou baixa renda para a instalação de sistemas individuais de tratamento de esgoto (fossa séptica, filtro e sumidouro).

Continue Lendo