Nos acompanhe

Paraíba

Escolas em tempo integral não estão agradando na Paraíba

Publicado

em

A Paraíba ganhará no próximo ano mais 67 Escolas Cidadãs Integrais, entre técnicas (ECIT) e convencionais (ECI), fechando 2018 com 100 equipamentos em todo o Estado. O anúncio, realizado na manhã de ontem no Espaço Cultural José Lins do Rego, não agradou professores da rede estadual de ensino, que acreditam que ficarão prejudicados com as mudanças nestas unidades.

Isto porque os novos equipamentos não são de fato novos, mas sim escolas antigas que serão requalificadas e transformadas em unidades de ensino integral, com turno de 9 horas e 30 minutos. Na mudança, os professores também acompanharão a nova carga horária, revela reportagem de Beto Pessoa, do Correio da Paraíba.

A mudança prejudicaria os docentes que têm um segundo emprego. É o que afirma um dos coordenadores do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (Sintep), Antônio Arruda. “É um projeto que veio de cima para baixo, não foi discutido com a categoria. A maior parte dos professores hoje tem dois empregos, para complementar a renda. Se ele for obrigado a trabalhar integralmente, ele terá que abdicar de um deles”, disse.

Segundo informações da Associação dos Professores em Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP), um professor inicial classe A polivalente ganha hoje R$ 1.724. Se optar por seguir na escola integral, ele terá um acréscimo de R$ 1.000 nessa renda, valor insuficiente para muitos que têm dois empregos, destaca o presidente do Sintep, Antônio Arruda.

“Não compensa. Um professor que trabalha na prefeitura, por exemplo, teria que deixar seu trabalho para se dedicar integralmente ao Estado, mas o valor não compensa”, disse.

Na solenidade de anúncio da expansão das escolas integrais, o governador Ricardo Coutinho disse que os professores não serão prejudicados com as mudanças e afirmou que as políticas para educação têm como foco a melhoria do ensino para as novas gerações.

“A escola existe em função dos estudantes, não para quem milita e trabalha lá. Ninguém é proprietário da escola, ela existe para servir aos estudantes. Todos os professores têm a oportunidade de continuar na escola, desde que sejam exclusivos. É um direito da Secretaria de Educação”, disse.

Na avaliação do governador, a dinâmica das escolas integrais exige novas logísticas de trabalho por parte dos educadores.

Estudantes protestam. Enquanto acontecia a solenidade de anúncio das novas escolas integrais, estudantes da rede estadual de ensino fizeram protesto em diversos pontos do Centro de João Pessoa. Na frente da Escola Professor Olivina Olívia, uma das que passarão a ter ensino integral no próximo ano, estudantes se aglomeraram para criticar a mudança.

Uma das líderes do grupo, a estudante Geny Karla, de 19 anos, disse que a escola não tem estrutura para comportar todos os alunos em tempo integral. Além disso, uma prova será realizada para definir os alunos que ficarão no colégio, método de ingresso que ela não concorda.

“A escola é grande, mas tem estrutura para suportar o ensino regular, ou seja, manhã e tarde. Se for integral, não vai comportar, e muitos alunos vão ter que sair de lá. Não tem como suportar 1.800 alunos de manhã. Se tornar integral, vão sair 1.300. Os que querem ficar vão ter que fazer uma prova. Os professores também vão ter que sair, pois têm vários que trabalham no outro turno, assim como vários alunos”, salientou a estudante.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação (SEE) para informar o montante investido para a reestruturação das escolas, bem como comentar a insatisfação dos alunos sobre o corte do quadro discente, mas até o fechamento desta edição não teve a demanda atendida.

Continue Lendo

Paraíba

Eleições 2018: Lindolfo, Tyrone e Wilson arrastam multidão por três bairros de Sousa

Publicado

em

Foi um sucesso. Assim, os aliados do governador Ricardo Coutinho (PSB) na cidade de Sousa, classificaram a movimentação política realizada em três bairros na noite desta quinta-feira (20).

Uma multidão acompanhou os candidatos Lindolfo Pires e Wilson Santiago num arrastão que foi iniciado no bairro da estação, seguindo pelas comunidades do Jardim Sorrilandia I, II e Jardim Iracema.

Estiveram presentes além dos candidatos mencionados, o Prefeito Fábio Tyrone, vereadores, líderes políticos e comunitários.

Os discursos de Lindolfo, Wilson e Tyrone levaram a multidão à loucura. Nos pronunciamentos realizados, o nome de João Azevedo soou como o candidato mais preparado para conduzir os destinos da Paraíba pelos próximos quatro anos.

Veneziano e Luís Couto foram lembrados para o Senado. Tanto Lindolfo, como Santiago e Tyrone, explicaram para a população a importância de votar corretamente nos postulantes que vão ajudar João, carreando recursos de Brasília para o estado.

Líderes do bloco girassol apostam numa arrancada que pode levar a vitória do candidato do PSB ainda no primeiro turno das eleições na Paraíba. Segundo o IBOPE, João Azevedo cresceu 15 pontos percentuais, e abriu oito de vantagem na pesquisa espontânea.

Vale ressaltar que o bloco girassol já realizou 14 atos de campanha na cidade sorriso desde o inicio do processo eleitoral.

O ex-prefeito João Estrela (PDT) não compareceu por motivos de saúde, porém, nada grave

Continue Lendo

Paraíba

Lucélio visita a APAE e reafirma compromisso com pessoas com deficiência

Publicado

em

No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, o candidato a governador pela coligação Força da Esperança, Lucélio Cartaxo, reafirmou o compromisso firmado em seu Programa de Governo, de fortalecer as ações de inclusão em toda a Paraíba. Lucélio visitou a unidade da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), em João Pessoa, onde conversou com pais, alunos e funcionários e ouviu as demandas e sugestões de propostas para o futuro governo.
“Vamos apoiar entidades como a APAE e fortalecer a rede de cobertura às pessoas com deficiência com a expansão e a requalificação da Funad. Precisamos avançar para incluir as pessoas com deficiência no dia a dia, como é feito aqui em João Pessoa através da garantia da acessibilidade em equipamentos públicos como escolas, UPAs, residenciais, na Calçadinha da Orla e da Beira-Rio e das praças”, comentou.
Uma dessas praças é justamente a Praça Acessível, que está sendo construída em frente à APAE e vai contar com toda a acessibilidade e equipamentos para pessoas com deficiência.
“Há mais de 20 anos que a gente lutava por essa praça. É um sonho antigo. Finalmente agora ela está se tornando uma realidade. É uma conquista muito importante para as pessoas com dediciência”, comentou Rosália Araújo, diretora social da APAE João Pessoa.
Outras propostas do Programa de Governo da coligação Força da Esperança são ampliação do número de cuidadores e de salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE) na rede estadual de ensino, a implantação de Centros de Referência em Microcefalia no interior e a criação de roteiros turísticos acessíveis.

Continue Lendo

Paraíba

Morte de Iremar Flor: “É sempre muito triste para quem fica”, lamenta Cássio

Publicado

em

O vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima, lamentou, em nota, o seu pesar pelo falecimento, na manhã desta sexta-feira (21), do prefeito de Pilões, Iremar Flor. O senador disse que “a morte é sempre muito triste para quem fica”.

“Lamento profundamente que o prefeito Iremar Flor, de Pilões, tenha perdido a guerra contra o câncer. A morte é sempre muito triste para quem fica. Neste momento de dor, a minha sincera solidariedade ao povo de Pilões, a quem ele tanto se dedicou, e à família de Iremar Flor. Que Deus o receba de braços abertos e o tenha em bom lugar” – disse o senador.

Continue Lendo